6 lições da Fórmula 1 para aplicar no seu negócio

Rivalidade à flor da pele, mas também trabalho em equipe e resiliência para lidar com a pressão estão em “Drive to Survive”, série da Netflix sobre os bastidores da Fórmula 1. Conheça 6 lições das pistas de corrida para aplicar no seu negócio. 

  1. Superação

Com apenas 20 posições no grid, a Fórmula 1 é um esporte para poucos e bons. Manter-se no nível mais alto do automobilismo mundial exige dos pilotos preparo e superação. Mesmo veteranos com título na bagagem precisam desafiar o cronômetro e gerar resultados, sob o risco de perder espaço para um jovem novato. A idade média dos pilotos, cada vez mais baixa, sugere que experiência sem desempenho não garante lugar no circuito mundial.  

  1. Resiliência

Além de técnica para levar o carro ao limite, os pilotos que alcançam os lugares mais altos do pódio apresentam soft skills bem desenvolvidas. Liderança, concentração, inteligência emocional, motivação e capacidade de tomar decisões rapidamente são habilidades decisivas para competir em tão alto nível. Resiliência também é fundamental para suportar a pressão – do chefe de equipe, dos fãs, da imprensa e patrocinadores – e as puxadas de tapete, que também existem e podem vir até do companheiro de escuderia. 

  1. Comunicação e espírito de equipe

Ainda que Hamilton, Verstappen ou Vettel sejam o foco dos holofotes, por trás de cada piloto há centenas e até milhares de profissionais trabalhando duro nos bastidores para colocar nas pistas o carro mais rápido e confiável já visto. Nas fábricas e nas corridas, o espírito de equipe cultivado entre essa turma de engenheiros, mecânicos e pilotos é essencial, com alinhamentos e feedbacks constantes. Comunicação é outro ponto forte, pois só com troca de informação dinâmica e análise de dados em tempo real traçam-se estratégias, coordenam-se os esforços ou se fazem pit-stops em meros dois segundos.

  1. Planejamento e agilidade

Um carro de Fórmula 1 é feito de milhares de componentes, ou seja, muitas coisas podem dar errado num treino, numa disputa classificatória ou durante a corrida. Para minimizar o risco de eventuais problemas, acidentes e prejuízos, é determinante contar com um planejamento rigoroso e uma gestão perfeita de todos os processos. Como nas empresas, erros podem acontecer. E quando acontecem, a ordem é atuar de maneira ágil e pragmática, colocando o foco no problema e em busca de soluções. 

  1. Inovação

Em um esporte competitivo como a Fórmula 1, quem não investir em tecnologia e inovação fica literalmente para trás. Para evoluir nas pistas, é preciso também disputar a acirrada corrida tecnológica. Na história da competição não faltam exemplos como o da Mercedes, que encontrou uma brecha no regulamento e surpreendeu os adversários com um sistema que alterava a geometria da suspensão através do volante, garantindo mais estabilidade nas curvas. Essa inovação, apesar de polêmica, ajudou a escuderia a otimizar sua performance e alcançar o heptacampeonato de construtores em 2020.   

  1. Conexão com o público

Em todo o mundo, a Fórmula 1 vinha perdendo audiência, já que as gerações ultraconectadas à internet trocaram as corridas na TV aos domingos pelo streaming e redes sociais. Com o objetivo de alcançar um novo público e reconquistar antigos fãs, a produção da série “Drive to Survive” pela Netflix se mostrou uma jogada certeira, com uma narrativa repleta de rivalidade, adrenalina, glamour e personagens polêmicos. A iniciativa, somada ao reposicionamento digital, contribuiu para revitalizar a marca F1 e aumentar a base de fãs em diversos países, em uma lição de como ser atrativo e gerar conexão com as pessoas. 

A sua empresa está conectada com o público? É resiliente, inovadora, competitiva e data-driven como uma escuderia de Fórmula 1?    

A Norber desenvolve softwares de controle de ponto que facilitam a gestão da frequência dos colaboradores, tanto presenciais quanto remotos. O NewPonto Cloud armazena dados na nuvem, possibilitando o gerenciamento online da jornada. Já o NewMobile permite a marcação de ponto via smartphone, de qualquer lugar e em tempo real. Para conhecer as funcionalidades destas soluções, visite www.norber.com.br e fale com a Equipe Comercial.

5 power skills para alavancar sua carreira

Há algum tempo, o mercado de trabalho entende que as habilidades comportamentais de um profissional são determinantes para o sucesso do negócio. Em um ambiente de transformações aceleradas como o nosso, as soft skills têm se mostrado tão poderosas e necessárias, que os especialistas em gestão de pessoas agora sugerem chamá-las de “power skills”, reconhecendo sua real importância. Conheça 5 power skills valorizadas pelas empresas e saiba como elas podem alavancar a sua carreira:    

Comunicação

Com parte da força de trabalho em home office, é imprescindível saber se comunicar com clareza e concisão. E se a expressão corporal pouco conta em videochamadas, vale aprimorar a comunicação oral e escrita para fortalecer a relação com equipes remotas, melhorar a qualidade dos briefings e evitar ambiguidades e mal-entendidos. Pratique a escuta ativa, certifique-se de que está sendo compreendido e seja assertivo nas mensagens e feedbacks. 

Adaptabilidade

Do mesmo modo que as empresas, os profissionais também precisam estar dispostos a adaptarem-se a novas rotinas, a modelos de trabalho mais flexíveis e a recursos tecnológicos de última geração. Profissionais abertos a mudanças são também mais resilientes e capazes de suportar momentos de pressão sem prejuízo à saúde mental. 

Pensamento crítico

A capacidade analítica permite antecipar cenários e tomar decisões com agilidade e coerência. Quem tem essa qualidade desenvolvida utiliza dados, julga com os critérios corretos e tem uma visão abrangente das situações, incluindo contextos externos. Como resultado, esses profissionais fazem de um problema uma oportunidade de aprendizado e melhoria, aportando soluções com criatividade e inovação.    

Liderança

Proatividade, curiosidade e empatia são características inatas dos grandes líderes. Altamente motivadas, pessoas que tomam à frente nas iniciativas são também mestres em priorizar tarefas, delegar responsabilidades e, sobretudo, estimular a colaboração e o trabalho em equipe, incluindo colaboradores em jornada remota. Por serem otimistas quanto ao trabalho e à vida, são bons influenciadores e impactam positivamente os talentos que estão ao redor, engajando-os em torno de um mesmo objetivo. 

Autogerenciamento

O autogerenciamento é uma power skill cada vez mais valorizada porque implica ser responsável pelas próprias escolhas e ações. Significa também ser disciplinado para gerenciar o tempo e ter autonomia para desempenhar o trabalho, independentemente de cargo ou local de trabalho.  

Enquanto as hard skills podem ser aprendidas por meio de cursos técnicos específicos, as power skills exigem maturidade, interação com o próximo e inteligência emocional, ou seja, costumam ser desenvolvidas ao longo do tempo e com o acúmulo de experiências. São muito buscadas pelos recrutadores porque permitem às empresas enfrentar situações desafiadoras no presente e no futuro. 

A Norber desenvolve softwares de controle de ponto que facilitam a gestão da frequência dos colaboradores, incluindo os que atuam em trabalho remoto. O NewPonto Cloud armazena dados na nuvem, possibilitando o gerenciamento online da jornada. Já o NewMobile permite a marcação de ponto via smartphone, de qualquer lugar e em tempo real. Para conhecer as funcionalidades destas soluções, visite www.norber.com.br e fale com a Equipe Comercial.  

Microlearning: como funciona essa nova abordagem em treinamentos corporativos

O mercado de trabalho vive um momento de transformações aceleradas, exigindo dos profissionais a permanente atualização de habilidades e conhecimentos. Frente à necessidade de capacitar e desenvolver novas competências nas equipes, ganha espaço nas empresas o microlearning, abordagem que utiliza “cápsulas de conhecimento” para potencializar treinamentos corporativos.  

Como funciona o microlearning

O microlearning, ou “microaprendizado”, está se tornando uma das ferramentas preferenciais dos Programas de Treinamento e Desenvolvimento de Talentos. Ao invés de longas palestras ou dos tradicionais workshops, o método utiliza plataformas online para disseminar conteúdos multimídia de curta duração. São vídeos, tutoriais, podcasts e até mesmo games, planejados para captar a atenção da geração de nativos digitais, acostumados a ter informação na palma da mão. 

O propósito da metodologia é facilitar a assimilação rápida de conhecimentos específicos, suprindo demandas pontuais. Com curta duração, linguagem acessível e formato digital, os conteúdos corporativos podem ser acessados via smartphone e outros dispositivos móveis, no momento em que o colaborador achar mais conveniente. Entre os benefícios estão a aplicação em escala, o baixo custo e o alto nível de engajamento. O formato, afinal, vai de encontro às necessidades de requalificação e aprendizado contínuos, nos processos de upskilling, reskilling e lifelong learning.   

Onde pode ser aplicado

O microlearning pode ser aplicado em todos os tipos de treinamento corporativos. Funciona para o onboarding de funcionários recém-contratados, assim como para capacitar colaboradores para o uso de novas ferramentas, ensinar novas técnicas na área de vendas ou desenvolver soft skills indispensáveis às lideranças. O conteúdo, portanto, visa suprir deficiências e deve ser planejado de acordo com as estratégias e objetivos de cada companhia. 

Embora não substitua treinamentos práticos, que exigem dinâmicas de grupo, o ensino à distância é um aliado da aprendizagem corporativa. Além disso, tem se mostrado uma solução bastante adequada para funcionários em jornada remota ou híbrida. Sem dúvida, potencializa a atuação do RH Digital, que não abre mão de recursos tecnológicos para agilizar e aprimorar processos de gestão de pessoas.  

A Norber desenvolve softwares de controle de ponto que facilitam a gestão da frequência dos colaboradores, incluindo equipes remotas. O NewPonto Cloud armazena dados na nuvem, possibilitando o gerenciamento online da jornada. Já o NewMobile permite a marcação de ponto via smartphone, de qualquer lugar e em tempo real. Para conhecer as funcionalidades destas soluções, visite www.norber.com.br. 0

5 soft skills fundamentais para garantir resultados na crise

A prática do home office alterou consideravelmente o dia a dia no trabalho. Em muitas empresas, os profissionais tiveram de se adaptar rapidamente à jornada remota, com os prós e contras que a modalidade impõe. Junto desta mudança na rotina somaram-se o distanciamento social, os cuidados redobrados com a saúde e uma série de outras apreensões. Neste cenário imposto pela pandemia do coronavírus, as características comportamentais são mais importantes do que nunca na medida em que refletem a capacidade do profissional lidar com desafios e garantir resultados positivos. Conheça as soft skills mais exigidas para atravessar o momento:  

  1. Adaptabilidade

O profissional adaptável enxerga nas mudanças não como um problema, mas uma oportunidade de aprendizado e crescimento. Na migração para o home office, certamente está se saindo melhor quem se adapta aos novos recursos disponíveis, como videoconferências e sistemas de gestão em nuvem, transformando as soluções tecnológicas em aliadas do desenvolvimento.

  1. Resiliência

Em momentos críticos, é fundamental manter as emoções sob controle. O profissional resiliente tem maturidade para saber que as dificuldades são momentâneas e consegue não se desesperar. Com resiliência e inteligência emocional, resiste às pressões, administra os problemas e consegue tomar decisões mais racionais, mesmo em cenários de grande instabilidade. 

  1. Empatia

Significa colocar-se no lugar do outro e compreender suas ideias, dificuldades e sentimentos. No mundo corporativo, a empatia está associada a uma gestão mais humanizada e acolhedora. Quem tem essa habilidade desenvolvida cria relações de confiança com a equipe, mesmo trabalhando à distância. No relacionamento com os clientes, é capaz de ter uma melhor percepção das reais demandas deles.

  1. Comunicação

Em geral, o profissional comunicativo é aquele que exerce a liderança, trabalha bem em equipe e é um negociador bem-sucedido. Quem consegue expressar ideias com clareza evita uma série de mal-entendidos e motiva as pessoas ao redor, impulsionando-as à ação. É uma competência que deve ser desenvolvida também na escrita, sobretudo em tempos de comunicação por e-mail e mensagens instantâneas. 

  1. Criatividade

Pensar fora da caixa significa usar o pensamento crítico para criar soluções alternativas e capazes de gerar resultados positivos. As empresas que valorizam a criatividade e a transformam em cultura corporativa conseguem gerar inovação e se destacam das demais, inclusive em momentos difíceis.     

A Norber desenvolve softwares que facilitam o controle de frequência dos colaboradores, incluindo dos que trabalham em home office. O NewMobile permite a marcação de ponto via smartphone, de qualquer lugar e em tempo real. Já o NewPonto Cloud armazena dados na nuvem, possibilitando o gerenciamento online da jornada. Para conhecer as funcionalidades destas soluções, visite www.norber.com.br e fale com a Área Comercial.

Soft skills: competências interpessoais do profissional moderno

Soft skills são as competências socioemocionais. Em tempos de negócios disruptivos, em que a evolução tecnológica acelera o ritmo das mudanças, estas habilidades baseadas na inteligência emocional ajudam a formar profissionais mais preparados para a conquista de resultados. Conheça algumas das soft skills mais valorizadas no mercado de trabalho, tão ou mais importantes quanto um currículo turbinado de conhecimentos técnicos:

Cabeça de hiperlink

Ter visão sistêmica da empresa e ser capaz de fazer conexões entre diversas matérias é fundamental em um mundo conectado, não-linear e pouco previsível. Ter cabeça de hiperlink significa agir como um “nexialista”, profissional que congrega pontos de vistas não relacionados e sabe onde buscar informações para criar soluções.

Customer centricity

A estratégia de colocar o cliente no centro do negócio está alinhada à capacidade de identificar necessidades – ou dores – de modo preditivo, antecipando demandas que, muitas vezes, o cliente nem sabe que existem. Para entregar soluções com este nível de valor agregado, é necessário conhecer tendências e as variáveis que podem gerar impactos em médio e longo prazos.

Lifelong learning

O conceito de “lifelong learning”, ou aprendizado ao longo da vida, é o novo mantra do mundo corporativo. A ideia é buscar atualização permanente, adquirindo conhecimentos para encarar novos desafios de modo automotivado e espontâneo, independentemente de modelos convencionais de educação.

Gestão da ansiedade

O autocontrole emocional e a habilidade para gerir a ansiedade em cenários de cobrança são altamente desejáveis em um mercado de trabalho cada vez mais competitivo. Resiliência é palavra de ordem para lidar com problemas, adaptar-se a mudanças, superar obstáculos e resistir à pressão em situações adversas.

Habilidade comunicacional

A escuta ativa e a capacidade de manter uma comunicação clara e eficiente são fundamentais para o trabalho em equipe, principalmente em ambientes que cultivam a diversidade e a interdisciplinaridade. A habilidade comunicacional é um aspecto fundamental para fortalecer a cultura de inovação e de colaboração.

A Norber desenvolve sistemas de controle de acesso e de frequência alinhados às tendências do mercado de trabalho. O NewPonto Cloud é um software de controle de jornada na nuvem que automatiza a folha de pagamento e se integra ao NewMobile, aplicativo para marcação de ponto à distância, via smartphone. Para conhecer as funcionalidades destas soluções, visite www.norber.com.br e fale com a Área Comercial.