Copo meio cheio ou vazio: ganhos e perdas da pandemia

Desde que o coronavírus se alastrou mundo afora, todos tivemos que adaptar as rotinas. O #fiqueemcasa virou norma, adotamos novos cuidados, passamos a conviver com incertezas e a repensar valores pessoais e profissionais. No trabalho, nos adaptamos à jornada remota e hoje fazemos reuniões (e happy hours) virtuais. As mudanças foram muitas e, embora haja mais dúvidas que certezas, já é possível apontar ganhos e perdas da pandemia.

A parte cheia do copo

Se podemos ver aspectos positivos de tudo isso, um deles é o desenvolvimento de um olhar de cuidado para com o próximo. Ao escancarar abismos sociais, a pandemia estimulou a cultura de solidariedade e de doação entre as pessoas e colocou à prova o papel social das empresas. Além da preocupação imediata com o bem-estar físico e emocional dos colaboradores, houve um despertar das empresas para a responsabilidade social corporativa. Cada vez mais, serão cobrados das organizações compromissos verdadeiros com ações inclusivas, governança e práticas de sustentabilidade socioambiental.

Em relação ao modelo de trabalho, ganhamos flexibilidade e autonomia com a implantação do home office em larga escala. Trabalhando de casa, ficamos livres dos longos deslocamentos e passamos a desfrutar mais tempo em família. Isso sem falar dos escritórios domésticos agora mais bem equipados. Para colocar os funcionários em trabalho remoto, as empresas investiram em tecnologia para fornecer soluções adequadas, desde equipamentos e rede para conexão com a Internet até sistemas de controle de frequência em nuvem para uma gestão eficiente e transparente da jornada.

E a parte vazia

Além de fazer um número assustador de vítimas, a pandemia do coronavírus esmagou a economia e impactou empresas financeiramente, algumas mais, outras menos. Colaboradores tiveram a jornada reduzida e outros foram desligados. Por causa da necessidade de isolamento social, perdemos também o convívio com amigos e colegas de trabalho.  

Nas empresas, o home office em larga escala e em tempo integral impõe desafios que podem colocar em risco a produtividade, a criatividade e o engajamento das equipes. Para combater eventuais efeitos colaterais de uma jornada remota mal planejada, é imprescindível que os gestores exerçam uma liderança aberta, colaborativa e afetiva. Neste sentido, comunicar metas com clareza é fundamental para manter a equipe unida e capaz de alcançar os resultados esperados. 

Outro fator a ser considerado é o eventual desequilíbrio entre vida profissional e pessoal. Colaboradores sem experiência com o trabalho remoto podem apresentar dificuldade em gerir o tempo, seja relaxando nas entregas ou excedendo a jornada. Para evitar a perda de produtividade associada a estes tipos de comportamento, vale promover treinamentos sobre gestão do tempo e implantar sistemas de controle de ponto online que limitam o acúmulo de horas extras.   

A Norber desenvolve softwares que facilitam o controle de frequência dos colaboradores, incluindo dos que trabalham em home office. O NewPonto Cloud armazena dados na nuvem, possibilitando o gerenciamento online da jornada. Já o NewMobile permite a marcação de ponto via smartphone, de qualquer lugar e em tempo real. Para conhecer as funcionalidades destas soluções, visite www.norber.com.br e fale com a Área Comercial.