A segurança da informação deve ser prioridade na sua empresa

Na era da informação, não é surpresa que os dados estejam entre os ativos mais valiosos de uma empresa. De tão valiosos, eles se tornam alvo de criminosos, cujos golpes estão cada vez mais sofisticados e frequentes. O risco, infelizmente, não está longe: o Brasil foi o quinto país que mais ataques cibernéticos sofreu em 2021. De sequestro de dados a vazamento de informações sensíveis e invasões a sistemas, essas ocorrências expõem a privacidade das pessoas, geram prejuízos financeiros e causam severos danos à imagem corporativa.  

Além do risco de ciberataques, a entrada em vigor da Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD) vem exigindo maiores cuidados para a adequação às normas relacionadas a coleta, processamento e armazenamento de dados. Por se tratar de uma questão estratégica, a segurança da informação e a proteção de dados devem fazer parte do planejamento empresarial e integrar a lista de prioridades de companhias de todos os portes e segmentos. 

Como aprimorar a proteção de dados 

Um conjunto de medidas podem ser tomadas para reduzir vulnerabilidades, prevenir ataques maliciosos e manter os dados de clientes, colaboradores e da própria organização devidamente protegidos. Além de infraestrutura robusta, é fundamental mapear fragilidades nos fluxos e implementar uma política de proteção de dados eficaz. Isso inclui a criação de senhas fortes e trocas periódicas, instalação de antivírus, realização de backups, uso da nuvem para armazenamento e controle dos níveis de acesso às informações. A conscientização dos colaboradores também deve fazer parte das boas práticas em cibersegurança empresarial, já que links suspeitos são iscas para malwares, spywares, phishing e outras ameaças digitais. 

Outra iniciativa é contar com fornecedores que priorizam a proteção de dados e o cumprimento das legislações vigentes. Sobretudo no RH, que lida com um volume expressivo de informações, é imprescindível ter parceiros que assegurem a integridade e segurança dos dados e informações. 

Um sistema de marcação de ponto online, por exemplo, deve dispor de conexão criptografada, já que o certificado de segurança SSL, aquele cadeado ao lado da URL, garante um ambiente seguro para o acesso via web. O banco de dados blindado e atrelado ao servidor é outro elemento antifraude, pois impede a manipulação das marcações eletrônicas originais, seja pelo usuário ou pelo gestor.

A Norber desenvolve softwares de controle de ponto alinhados aos requisitos de segurança necessários às empresas. O NewPonto Cloud armazena dados na nuvem, possibilitando o gerenciamento online da jornada. Já o NewMobile permite a marcação de ponto via smartphone, de qualquer lugar e em tempo real. Para conhecer as funcionalidades destas soluções, visite www.norber.com.br e fale com a Equipe Comercial.  

Chefe de trabalho remoto: as funções do novo cargo criado na pandemia

Sempre antecipando o futuro, as gigantes do Vale do Silício são experts em experimentar novas práticas de gestão e lançar modelos que depois são adotados mundo afora. A última novidade é a criação da função de “chefe de trabalho remoto”. O cargo, nascido no contexto da pandemia, ganhou evidência com a divulgação de uma vaga pelo Facebook e por outras start-ups de tecnologia, todas elas apostando na permanência das jornadas híbrida e remota em longo prazo. Mas, afinal, o que este profissional faz exatamente e quais suas habilidades? 

De acordo com a descrição da contratante, esse profissional seria “um pensador estratégico que entende de times virtuais e distribuídos; um excepcional formador de relacionamentos e um agente de mudanças”. Na prática, isso significa atender as novas demandas surgidas de uma cultura digital e remota, cuidando para que, mesmo à distância, os colaboradores sintam-se engajados com os objetivos da empresa. 

Quando o home office foi implantado em larga escala em razão da pandemia, ficou claro que o modelo teria diversos benefícios, mas, também, inúmeros desafios. Assim, são funções do chefe de trabalho remoto: 

. Repensar a cultura e o engajamento dos colaboradores, sobretudo dos recém-contratados; 

. Reformular espaços físicos para uso misto e prover infraestrutura (adequação de espaço, redes, softwares, mobiliário etc) para quem está em home office;  

. Avaliar cidades e regiões com melhor estrutura para trabalho remoto; 

. Desenvolver políticas de benefícios a partir das variadas necessidades e rotinas; 

. Conhecer as regras trabalhistas e cuidar dos contratos de trabalho; 

. Avaliar e escolher as ferramentas digitais mais apropriadas para as interações corporativas, com atenção para a segurança e privacidade dos dados.  

. Gerenciar o bem-estar, o controle da jornada e a experiência dos colaboradores híbridos ou remotos, cuidando para que se sintam integrados e parte da empresa; 

Diante destas atribuições, o novo cargo exige uma atuação polivalente, além de trabalho em equipe com o RH, Jurídico e TI. Outra habilidade desse profissional, sem dúvida, é estar ligado em tecnologia. Cada vez mais, o trabalho demandará ferramentas digitais que facilitem a comunicação e a colaboração. Softwares em cloud computing e sistemas de ponto online ou via smartphone, por exemplo, são grandes aliados da gestão à distância, seja ela feita pelos líderes das equipes ou por um funcionário específico.  

A sua empresa tem alguém dedicado para cuidar das demandas surgidas em razão do home office? Em sua opinião, o próprio RH pode assumir essas atribuições?  

A Norber desenvolve sistemas que facilitam a gestão da frequência dos colaboradores, incluindo equipes híbridas e remotas. O NewMobile permite a marcação de ponto via smartphone, de qualquer lugar e em tempo real. Já o NewPonto Cloud armazena dados na nuvem, possibilitando o gerenciamento online da jornada. Para conhecer as funcionalidades destas soluções, visite www.norber.com.br e fale com a Área Comercial.

Cloud computing: benefícios dos sistemas em nuvem para superar gargalos do home office

A crise do coronavírus está produzindo transformações no mercado de trabalho. O home office é uma dessas mudanças – e tudo indica que essa alternativa ao modelo tradicional está não só ajudando a viabilizar a atuação neste momento emergencial como deverá perdurar e crescer, após passada a pandemia. 

Entre as empresas que adotaram o modelo remoto às pressas, o desafio é preparar a infraestrutura de TI de maneira a aprimorar a performance das equipes e garantir a segurança da informação. Nesse sentido, a tecnologia Cloud Computing é uma importante aliada. Conheça benefícios dos sistemas em nuvem para superar os gargalos do home office: 

Colaboração

A palavra-chave do home office é colaboração. Para que as equipes sigam trabalhando colaborativamente, do jeito que fazem presencialmente no escritório, é imprescindível contar com um sistema Cloud que garanta o acesso remoto a informações, documentos e softwares necessários para a execução das tarefas. Com os dados armazenados na nuvem, basta um notebook ou dispositivo conectado à internet para acessá-los remotamente e de qualquer lugar. Essa praticidade agiliza processos, evita retrabalho e permite atualizações em tempo real, alavancando a rapidez na tomada de decisão. 

Segurança da informação

Em um ambiente de trabalho cada vez mais digital, é fundamental que as organizações redobrem medidas preventivas contra ciberataques e vazamento de dados confidenciais e estratégicos. Os sistemas em Cloud desenvolvidos para empresas têm a vantagem de reforçar a segurança da informação com senhas, backup remoto, criptografia e identificação do usuário, reduzindo vulnerabilidades e permitindo acesso apenas a colaboradores identificados. 

Custo-benefício

Cloud computing é um investimento que ajuda as empresas a reduzirem custos em médio e longo prazos. Além de suprimir gastos com equipamentos e manutenção interna, a tecnologia baseada na nuvem é escalonável, ou seja, a capacidade de armazenamento pode ser aumentada de acordo com a demanda de crescimento do negócio.

Se a sua empresa não dispõe de sistemas em Cloud, é hora de avaliar os benefícios que essa tecnologia pode proporcionar, principalmente em tempos de home office em larga escala. 

A Norber desenvolve softwares de controle de frequência que facilitam a gestão da jornada de trabalho dos colaboradores, incluindo os que trabalham remotamente. O NewPonto Cloud armazena dados do controle de frequência na nuvem, possibilitando o gerenciamento online da jornada. Já o NewMobile permite a marcação de ponto via smartphone, de qualquer lugar e em tempo real. Para conhecer as funcionalidades destas soluções, visite www.norber.com.br e fale com a Área Comercial.

Segurança da Informação: por que o RH deve aprimorar a prevenção

Pessoas e dados são os ativos mais valiosos das empresas. O RH, por lidar diretamente
com ambos, tem a responsabilidade de zelar pela segurança da informação e, em
atuação conjunta com o departamento de TI, prevenir os riscos de vazamentos de
dados dos colaboradores e das informações estratégicas da empresa. Com a aprovação
de regulamentações como a Lei Geral de Proteção de Dados, é necessário redobrar a
atenção, já que o uso indevido de informações pessoais, seja de funcionários,
fornecedores ou clientes, pode resultar em prejuízos financeiros e de imagem às
corporações. Veja como aprimorar a prevenção:

Mapeie o fluxo da informação

Com novas normas regulamentando o uso de dados, é imprescindível garantir que
coleta, armazenamento e processamento das informações sejam executados de
acordo com as diretrizes de privacidade e segurança estabelecidos pela empresa. Da
seleção de currículos à folha de pagamento, mapeie o fluxo da informação, verifique a
conformidade do seu uso quanto ao propósito específico e certifique que os dados
estão seguros em todas as etapas dos processos.

Delimite acessos

Será que os diversos profissionais envolvidos nos processos de gestão de pessoas
precisam de fato acessar todas as informações disponíveis? Caso a resposta seja não,
vale implementar um sistema de controle de acesso para restringir lugares,
equipamentos e informações. Com esse mecanismo de segurança é possível
estabelecer níveis de acesso de modo que dados sensíveis ou sigilosos fiquem
limitados aos responsáveis autorizados.

Invista em soluções confiáveis

Softwares, hardwares e redes devem necessariamente comportar soluções para
combater vulnerabilidades da conexão com a internet. Para coibir eventuais invasões,
ataques maliciosos ou fraudes, especialistas em cibersegurança recomendam camadas
de proteção para a infraestrutura tecnológica. Senha, criptografia e assinatura digital,
por exemplo, são requisitos para um sistema de controle de frequência robusto e
confiável.

Amplie a conscientização

De nada adianta esforços e investimentos se as pessoas não estiverem cientes dos
riscos. Por isso, deixe claro através de um Código de Conduta o que é esperado do
colaborador em termos de sigilo e confidencialidade. Para ampliar a conscientização,
realize campanhas para divulgar boas práticas, reforçando orientações como a
importância da criação de senhas fortes e trocas periódicas, assim como restrição à
instalação de jogos e aplicativos não autorizados, realização de backups, atualização do
antivírus e precaução com links suspeitos. A prevenção é a melhor medida para
combater o avanço das ameaças digitais.

A Norber desenvolve softwares de controle de acesso e de frequência alinhados à
necessidade de proteção da informação. O NewPonto Cloud, sistema que automatiza a
gestão do controle de ponto, dispõe de conexão criptografada para garantir a
segurança do acesso via web, além de um banco de dados blindado e atrelado ao
servidor. Para conhecer as funcionalidades desta solução, visite  www.norber.com.br e
fale com a Área Comercial.