Planejamento 2022: cinco fatores decisivos para conceber sua estratégia

Os anos de pandemia foram marcados por turbulências. Agora mais do que nunca, as organizações precisam definir estratégias antecipadamente, preparando-se para driblar desafios e alcançar resultados mesmo diante de incertezas. Para atingir as metas almejadas, é imprescindível contar com um planejamento estratégico que considere tendências de mercado, além de fatores de risco e variáveis internas e externas. O ponto de partida é fazer um bom diagnóstico da situação. Veja o que levar em conta na hora de conceber o planejamento da sua empresa para 2022.

  1. Cenário econômico

Inflação alta, baixo crescimento do PIB, variações no câmbio, assim como as eleições e as crises hídrica e energética, podem representar instabilidade para diversos segmentos de mercado. Tenha em mente o cenário econômico para controlar custos, precificar produtos e serviços, apresentar lançamentos ou alocar investimentos.  

  1. Avanços tecnológicos

A pandemia deixou clara a importância da transformação digital para o sucesso e até mesmo a sobrevivência dos negócios. Com a Internet das Coisas e a iminência da rede 5G apontando um novo grau em automação de processos, é hora de avaliar se o parque tecnológico da sua companhia não está defasado. O investimento em ferramentas de última geração agiliza operações, reduz custos e gera um diferencial competitivo que pode fazer toda a diferença para o crescimento em longo prazo. 

  1. Desempenho organizacional

O seu negócio é tão produtivo quanto poderia? Ao realizar o planejamento para 2022, identifique gargalos que podem estar barrando o alcance de melhores resultados. Avalie o histórico de vendas, cheque a eficácia dos processos internos e verifique balanços financeiros com o intuito de identificar oportunidades de melhorias. Indicadores de desempenho podem e devem ajudar a definir as estratégias a serem seguidas em 2022.  

  1. Cultura corporativa

Razão de ser de uma empresa, o propósito organizacional reflete o valor que sua organização entrega aos clientes e à sociedade. Ele deve guiar os objetivos estratégicos e estar alinhado à cultura corporativa. Ao definir rotas para o próximo ano, lembre-se que a agenda ESG, que foca em meio ambiente, responsabilidade social e governança corporativa, é uma demanda não só de investidores, mas também dos próprios consumidores. 

  1. Colaboradores e novos modelos de trabalho

Ainda que a tecnologia ganhe mais importância a cada dia, os colaboradores são o ativo mais valioso das empresas. Por isso, é fundamental incluir a gestão de pessoas no seu planejamento estratégico. Desenvolvimento de talentos, contratação de novas competências e engajamento das equipes devem estar na pauta de prioridades dos gestores. Além disso, vale avaliar a incorporação de novos modelos de trabalho. A jornada híbrida, com dias presenciais e outros em home office, segue em alta e permite aos profissionais conciliar trabalho e qualidade de vida.  

A Norber desenvolve softwares de controle de ponto que facilitam a gestão da frequência dos colaboradores, incluindo os que atuam em jornada remota. O NewPonto Cloud armazena dados na nuvem, possibilitando o gerenciamento online da jornada. Já o NewMobile permite a marcação de ponto via smartphone, de qualquer lugar e em tempo real. Para conhecer as funcionalidades destas soluções, visite www.norber.com.br