Retrospectiva Norber 2020: a trajetória do mercado de janeiro a dezembro

O ano de 2020 foi realmente desafiador. A inesperada ameaça à saúde global fez a sociedade rever valores e mudar hábitos. Assim como as pessoas, as empresas também tiveram de se adequar a uma nova realidade e enfrentar os impactos sociais e econômicos advindos da pandemia. Em uma retrospectiva, confira a trajetória do mercado corporativo de janeiro a dezembro e entenda como as soluções inovadoras da Norber ajudaram as empresas a driblarem desafios.   

Janeiro

O início do ano foi cheio de expectativas. Como quem lista promessas na noite de Réveillon, fizemos listas de prioridades para sermos mais produtivos. As empresas vislumbravam crescimento e a automação de tarefas administrativas estava entre as prioridades para elevar a eficiência operacional.  

Fevereiro

Se no Brasil as empresas concediam folga mediante compensação para os funcionários curtirem o Carnaval, na China e na Europa uma ameaça chamada novo coronavírus tirava vidas e ameaçava economias. Mal sabíamos que as festas nos blocos de rua e trios elétricos seriam nossas últimas comemorações sem risco.  

Março

Em 11 de março a OMS declarou a Covid-19 pandemia. No Brasil, os primeiros casos surgiram com pessoas vindas da Europa, como o funcionário de uma famosa empresa de investimentos. Quando ele foi diagnosticado, o mercado corporativo se assustou. A ameaça estava perto e, como medidas iniciais para proteger os colaboradores, as empresas cancelaram viagens, desmarcaram eventos e passaram a seguir as recomendações sanitárias fornecidas pelos órgãos de saúde. Aos poucos, companhias com cultura digital mais fortalecida ampliaram seus programas de home office.  

Abril

No início de abril, o governo brasileiro estabeleceu o Auxílio Emergencial para milhares de pessoas que ficaram sem renda em decorrência da pandemia. Em relação às empresas, a ajuda veio com medidas como o adiamento do recolhimento do FGTS. Em seguida, a MP 936 (posteriormente transformada em lei) possibilitou a suspensão de contratos e redução da jornada e salário. Pouco antes, a MP 927 flexibilizou regras de home office, férias e banco de horas para minimizar os impactos econômicos da crise. A Norber deu todo o suporte necessário aos clientes, auxiliando-os a ajustarem os sistemas de controle de frequência para, por exemplo, criar um banco de compensação de 18 meses ou fazer antecipação de feriados. O NewPonto Cloud, como o diretor comercial Anderson Guimarães explicou em entrevista, apresentou as características necessárias para assimilar todas as mudanças tranquilamente.

Maio

Na medida em que o número de infectados aumentava e cumpríamos a quarentena, o medo e a sensação de isolamento começaram a pesar. Para quem experimentava o home office pela primeira vez, foi preciso aprender a controlar a ansiedade e criar uma nova rotina para garantir a produtividade. Cuidados com a saúde mental passaram a ser discutidos nas companhias, assim como as características dos líderes que mais se destacavam no enfrentamento da crise.   

Junho

Questões relacionadas à gestão à distância e ao controle de ponto no home office se intensificaram quando ficou claro que a pandemia duraria mais que três meses. A jornada remota passou de provisória para definitiva na estratégia de muitas empresas, evidenciando a importância de cloud computing e de soluções como o NewMobile para a superação de gargalos.    

Julho

O RH teve papel estratégico no enfrentamento da pandemia. Além de criar planos de contingência e apoiar a adaptação à nova realidade de trabalho, também concentrou informações para a tomada de decisões. Entre as atribuições do RH no “novo normal”, destaque para a implementação de tecnologias para um futuro cada vez mais digital e baseado em analítica. Outro papel fundamental é o de melhorar o engajamento das equipes remotas com técnicas motivacionais.  

Agosto

Com a mudança de hábitos, as empresas passaram a rever suas políticas de benefícios. O vale-transporte perdeu a razão de existir dada a ausência de deslocamentos, dando lugar a auxílios financeiros para custeio de despesas extras no home office, como contas de energia, telefone e internet.   

Setembro

A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) começou a vigorar em meados de setembro, depois que o Senado derrubou a MP que postergava seu início para 2021. Além disso, acompanhando o avanço dos planos de reabertura dos Estados, os escritórios se organizaram para o retorno às atividades presenciais, com escalonamento de equipes e controle de acesso aos ambientes. 

Outubro

A jornada híbrida, na qual os colaboradores conciliam dias em home office com dias em trabalho presencial, ganha destaque entre as alternativas nas empresas. Para ter flexibilidade, autonomia e produtividade neste modelo, vale usar tecnologias mobile, controle de ponto online e softwares em nuvem.    

Novembro

Com o fim do ano se aproximando, os gestores deram início ao Planejamento 2021. Por mais difícil que seja planejar o futuro em tempos tão incertos, é inegável a importância de se traçar cenários, rever metas, alinhar propósitos e elencar prioridades de investimentos. É só assim, afinal, que uma empresa pode almejar inovação e crescimento.  

Dezembro

Para aumentar a segurança jurídica, nota técnica do governo orientou os empregadores sobre como proceder quanto ao pagamento do 13º salário e das férias nos casos de suspensão do contrato e redução da jornada. Em vários países, a imunização contra a Covid-19 está cada vez mais próxima, trazendo esperança para um Ano Novo melhor. 

A Norber desenvolve sistemas de controle de frequência que ajudam as empresas a driblarem os desafios. Para 2021, desejamos aos nossos funcionários, parceiros e clientes um ano repleto de saúde, paz e muita prosperidade. 

Para conhecer as funcionalidades do NewPonto Cloud, do NewMobile e do NewAcesso, visite www.norber.com.br e fale com a Área Comercial. 

Planejamento 2021: o papel da liderança no “novo normal”

Frente aos desafios que o “novo normal” impõe às empresas, a capacidade de liderança dos gestores será decisiva na condução do planejamento estratégico em 2021. Para avançar na rota do crescimento e da inovação, é fundamental contar com profissionais capazes de lidar com situações adversas, tomar decisões rápidas e transmitir confiança, sem jamais perder os objetivos de vista. Saiba o que mais é esperado dos líderes corporativos no ano que se aproxima.

Resiliência e empatia

Líderes resilientes mantêm equilíbrio e foco, mesmo diante de imprevistos. Sobretudo em momentos de crise, é preciso ser adaptável e flexível para suportar a pressão, não permitindo que problemas alterem seu estado psicológico. Gestores com essa habilidade desenvolvida encaram os desafios com coragem e otimismo, mantendo a autoestima própria e da equipe. Outra habilidade preciosa é a empatia, capacidade de construir melhores relações interpessoais colocando-se no lugar do outro. 

Agilidade e uso de dados 

Em um mundo onde as mudanças acontecem em ritmo acelerado, sai na frente quem toma decisões rápidas e assertivas. A velocidade na entrega é uma demanda do mercado e existem metodologias ágeis que destravam burocracias e aceleram o fluxo do trabalho. Na era do Big Data, use dados disponíveis para orientar escolhas, direcionar estratégias, antecipar necessidades dos clientes e fazer uma melhor gestão de riscos. 

Espírito de inovação

Líderes conectados e antenados fazem da tecnologia uma alavanca para o crescimento da empresa. Cada vez mais, softwares que automatizam processos, sistemas de gestão e soluções em cloud computing são indispensáveis na inevitável corrida por competitividade. Coloque a transformação digital na lista de prioridades, dê um upskilling na força de trabalho e motive seu time a olhar o futuro, valorizando a inovação. 

Capacidade de gerenciar equipes remotas

Novos tempos exigem novos modelos de trabalho. Com o home office e a jornada híbrida se consolidando nas empresas, cabe aos líderes gerenciar equipes remotas com a máxima eficácia possível. Por meio do NewPonto Cloud, sistema de gestão de frequência em nuvem da Norber, o gestor pode fazer o controle de jornada dos colaboradores de maneira remota, com praticidade e agilidade. Outro ponto de atenção das lideranças é o engajamento das equipes que trabalham à distância. Para manter a produtividade em alta, seja uma fonte de inspiração, estabeleça relações de confiança, mantenha a comunicação aberta e estimule o trabalho colaborativo. 

Como líder, quais suas prioridades e estratégias para 2021? Conte-nos sua experiência e seus planos para atingir os objetivos de longo prazo.  

A Norber desenvolve softwares de controle de acesso e de frequência que facilitam a gestão da jornada de colaboradores presenciais e remotos. Para conhecer as funcionalidades do NewPonto Cloud, NewMobile e NewAcesso, visite www.norber.com.br e fale com a Área Comercial.

Planejamento 2021: tecnologia e gestão ágil na execução da estratégia

O ano de 2020 foi desafiador. No ambiente empresarial, ficou claro que sobrevive quem se adapta com mais agilidade, como no caso da implementação rápida do home office. Nos próximos anos, transformações continuarão acontecendo – e em ritmo acelerado. Para que eventuais imprevistos não coloquem em xeque o planejamento de 2021, é imprescindível associar o propósito do negócio a práticas ágeis, mais adequadas ao tempo de mudanças em que vivemos. Veja como executar a estratégia na prática: 

Estabeleça objetivos de curto prazo

A sua empresa já definiu aonde quer chegar? O primeiro passo é estabelecer objetivos. O sistema OKR – do inglês “Objectives and Key Results” – vem sendo usado por muitas companhias para estruturar de forma prática o processo de alcance de metas. Ao invés de uma meta anual estática, estabeleça alvos específicos e um conjunto de resultados esperados, que funcionarão como parâmetros para o objetivo mais amplo. Também vale estipular prazos mais curtos para os projetos. Ciclos em trimestres são mais facilmente mensuráveis e ajudam a manter vivo o senso de urgência. 

Engaje os colaboradores no plano de ação

Metas só são alcançadas com a participação das pessoas – daí a necessidade de comunicá-las claramente, assegurando que cada colaborador se comprometa com a conquista de resultados. O OKR é bastante útil neste sentido, pois prevê que objetivos e resultados-chave sejam propostos não exclusivamente por líderes e gestores (top-down), mas por toda a equipe (bottom-up). Ao estimular que ideias e planos de ações venham de baixo para cima, você eleva a participação e o engajamento dos profissionais no processo. 

Aplique a gestão ágil

Nascido no universo das startups de tecnologia, o conceito de gestão ágil se espalhou mundo afora e hoje é aplicado por companhias dos mais diversos portes e segmentos. Entre as metodologias mais utilizadas estão Scrum, Kanban e Lean. De modo geral, todas propõem a redução de burocracias em prol da satisfação do cliente. Isso implica em mais flexibilidade e autonomia às equipes envolvidas, assim como uma atuação colaborativa e multidisciplinar. Por acelerarem processos e incentivarem a inovação, vale estudá-las a fundo e escolher a que mais se adequa à cultura da empresa ou equipe, ou até usá-las complementarmente. 

Invista em tecnologia

Em um mundo cada vez mais conectado, ficarão para trás as empresas que não priorizarem a transformação digital. Da tecnologia mobile à computação em nuvem, o mercado corporativo tem à sua disposição vários sistemas que automatizam tarefas e garantem mais rapidez e eficiência às operações. Um exemplo é o NewMobile, que permite a marcação de ponto remoto, via smartphone. De grande utilidade na pandemia, a solução vem facilitando a gestão da frequência dos colaboradores em home office ou em jornada híbrida, tendências que devem permanecer em alta no mercado.  

A Norber desenvolve softwares de controle de acesso e de frequência que facilitam a gestão da jornada de colaboradores presenciais e remotos. Para conhecer as funcionalidades do NewPonto Cloud, NewMobile e NewAcesso, visite www.norber.com.br e fale com a Área Comercial.

Reconhecimento facial: tecnologia é aliada na retomada presencial

Depois de meses com equipes em home office, empresas em diversas cidades começam a organizar a retomada à atividade presencial. A volta gradual ao ambiente de trabalho requer o cumprimento de protocolos de segurança determinados pelos órgãos de saúde. Distanciamento social, escalonamento de horários, uso de máscara e respeito às regras de higiene são algumas das medidas preventivas nesse “novo normal”. 

Como o momento exige cuidados redobrados, muitas empresas estão investindo em tecnologias touchless para garantir a segurança dos colaboradores. Uma dessas tecnologias é a de reconhecimento facial, que dispensa o contato físico e pode ser aplicada tanto no controle de acesso como na marcação de ponto. 

Como funciona

O reconhecimento facial é um tipo de identificação biométrica que mapeia o rosto do indivíduo calculando a distância entre pontos específicos, como boca, nariz e olhos. Uma vez cadastrada, a pessoa pode ser identificada pelo equipamento, cujos sensores fazem a leitura das medidas e, por meio de algoritmos, as compara ao padrão previamente armazenado. Feita a validação, a pessoa é rapidamente identificada, sem necessidade de tocar em nada.   

Aplicação nas empresas

No contexto da pandemia, a biometria facial vem sendo incorporada aos ambientes corporativos como medida para minimizar o risco de contágio. Entre as aplicações, destaca-se o totem de reconhecimento facial combinado ao sistema de controle de acesso da Norber. Além de possibilitar a identificação de colaboradores e prestadores de serviço sem que haja contato físico com catracas e outros equipamentos, a solução ajuda a monitorar a ocupação dos ambientes, evitando filas e aglomerações em entradas e portarias. Outra vantagem é a integração com o NewPonto Cloud, software de gestão de frequência que registra horários de entrada e saída e integra essas informações à folha de pagamento. 

Outro recurso muito bem-vindo em tempos de pandemia é o NewMobile. Por meio desta solução da Norber, o colaborador registra o ponto via smartphone, ou seja, tem contato apenas com seu próprio aparelho. Para que o registro seja validado, há exigência de selfie ou reconhecimento facial, certificando a identidade do usuário.    

Por dispensar o contato com superfícies, soluções que utilizam biometria facial são opções a serem consideradas na hora de traçar protocolos para a retomada segura às atividades presenciais.   

A Norber desenvolve softwares de controle de acesso e de frequência que facilitam a gestão da jornada de colaboradores presenciais e remotos. Para conhecer as funcionalidades do NewAcesso, do NewMobile e do NewPonto Cloud, visite www.norber.com.br e fale com a Área Comercial.

4 passos para organizar o retorno ao trabalho presencial

Com a flexibilização da quarentena, os escritórios começam a retornar ao trabalho presencial. Para a segurança e bem-estar de todos, o retorno deve ser bem planejado e se basear na situação da pandemia na cidade e nos planos de abertura dos governos. Cabe às empresas agirem com responsabilidade, seguirem à risca as orientações das autoridades sanitárias e adotarem ações preventivas para evitar a propagação do coronavírus. Confira 4 passos para organizar a volta ao ambiente de trabalho e cuidar da saúde dos colaboradores: 

  1. Prepare o ambiente

O mundo não é mais o mesmo e é fundamental incluir na rotina os cuidados de higiene e distanciamento social. Além de solicitar o uso obrigatório da máscara pelos colaboradores, é necessário reorganizar as estações de trabalho de modo a manter o distanciamento entre as pessoas. Disponibilize álcool em gel em lugares estratégicos e forneça kits de higiene para desinfecção de objetos pessoais. Antes do retorno, vale revisar e aprimorar sistemas de ar-condicionado, aquecimento e ventilação, assim como treinar equipes de limpeza para que ambientes, mobiliário e corrimões sejam higienizados com frequência. Faça marcações para filas e dê especial atenção à recepção e ao refeitório, para evitar a aglomeração de pessoas. 

  1. Priorize a saúde do colaborador

Aferir a temperatura é uma prática que vem sendo adotada por muitas empresas. Porém, tão importante quanto isso é desenvolver protocolos sobre como proceder caso o colaborador tenha suspeita ou confirmação da doença. É fundamental divulgar os cuidados e, na presença de algum sintoma ou contato próximo com pessoa infectada, a orientação deve ser procurar o serviço de saúde e iniciar imediatamente uma quarentena em casa. Forneça apoio, esclareça dúvidas e acompanhe o estado de saúde de seus colaboradores. Todo cuidado é necessário para preservar o grupo. 

  1. Escalone horários 

Ao planejar o retorno das equipes, priorize a volta de profissionais que não fazem parte ou que não morem com pessoas do grupo de risco. Verifique a possibilidade de adotar jornadas alternativas de modo a contornar horários de pico no transporte público. Com um software de controle de ponto é possível organizar turnos e evitar aglomerações nos horários de entrada e saída. A jornada híbrida, parte presencial e parte home office, com marcação de ponto via smartphone, pode ser preferível para quem pode continuar trabalhando remotamente.

  1. Controle o acesso

O controle de acesso é um importante aliado no retorno às atividades presenciais. Além de limitar o número de pessoas em ambientes como o refeitório, por exemplo, viabiliza soluções automatizadas que dispensam o contato físico e, consequentemente, reduzem o risco de contaminação. Portas automáticas e com reconhecimento facial, cartão de aproximação para abertura de catracas, assim como integrações com equipamentos de higiene, são de grande utilidade neste momento. Também é recomendável limitar a entrada de clientes e visitantes. Sempre que possível, dê preferência às reuniões virtuais, que já se provaram produtivas.

O retorno ao trabalho presencial precisa ser planejado com muita atenção e cuidado. A sua equipe permanece em home office integral ou está retornando gradualmente? 

A Norber desenvolve softwares de controle de acesso e de frequência que facilitam a gestão da jornada de colaboradores presenciais e remotos. O NewPonto Cloud é um sistema de controle de ponto em nuvem que possibilita o gerenciamento online da jornada. Já o NewAcesso, ideal para portarias, estacionamentos, refeitórios e áreas restritas, é um módulo que integra a marcação de ponto eletrônico ao sistema de acesso. Para conhecer as funcionalidades destas soluções, visite www.norber.com.br e fale com a Área Comercial.

Entrevista: Anderson Guimarães explica o controle da jornada remota em tempos de pandemia

A pandemia do novo coronavírus fez com que muitas empresas levassem seus quadros de funcionários para o home office. A migração e a adaptação ao ambiente remoto, contudo, foi diferente de companhia para companhia. “Saiu-se melhor quem já tinha uma cultura digital fortalecida”, avalia Anderson Guimarães, gerente comercial da Norber.  

Nesta entrevista ao blog, Anderson relata a sua experiência junto aos clientes neste momento crítico e analisa como os sistemas de ponto da Norber estão proporcionando eficiência ao controle da jornada remota, inclusive com adesão às Medidas Provisórias que flexibilizaram normas trabalhistas.  

Por causa da pandemia, muitas empresas tiveram de se adaptar rapidamente ao home office. Quais foram os principais desafios na adoção à jornada remota?

A primeira questão é o tipo de atividade da empresa. Houve um grupo que foi, de fato, atingido pela pandemia no seu negócio e sofreu um impacto econômico importante. O varejo sofreu bastante com o fechamento das lojas, e diversas atividades industriais foram suspensas porque a natureza daquele trabalho não era remota, não permitia o home office. 

Por outro lado, para empresas de tecnologia, call centers, escritórios, farmacêuticas e companhias cujos funcionários já atuavam em estações de trabalho, o caminho foi um pouco mais tranquilo. Entre as que não foram impactadas na operação, as que já vinham em um perfil de trabalho online fizeram a migração para o home office mais facilmente, foi virar uma chave interna e dizer para o funcionário: o que você fazia na sua mesa agora irá fazer na sua casa. 

Houve, claro, uma ou duas semanas iniciais críticas, de ajustes e reestruturações. Percebemos que houve um trabalho dentro da TI dos clientes, de criar redes VPNs para garantir ao funcionário acesso à internet da empresa mesmo de casa, e também de treinar os colaboradores para que aderissem a um caminho que não era o tradicional. Depois tudo foi se ajustando e, hoje, muitas empresas já avaliam manter parte de seus funcionários em home office.

Entre os clientes da Norber, quais têm sido as principais demandas relacionadas ao controle de ponto?

Na Norber, temos uma base de clientes que utiliza o sistema localmente, instalado nos servidores físicos das empresas, o NewPonto, e outra base que utiliza o NewPonto Cloud (SaaS), que é a nuvem. De início percebemos que, independentemente da base, os clientes que já usavam marcação mobile, para equipe externa ou marcação web através de notebooks ou desktops, ampliaram a utilização destes recursos. 

As demandas foram sobretudo de transferência da marcação web para todos os funcionários onde o uso não era liberado em larga escala, ou de ampliação das licenças mobile. 

Aconteceu tudo muito rápido, e saiu-se melhor quem já tinha experiência com marcação mobile e web do que quem só tinha relógio de ponto. O cliente de relógio de ponto, quando colocou todo mundo em home office, ficou sem ponto porque não conseguiu entender como aplicar a tecnologia tão rapidamente, devido a sua cultura mais conservadora. Este grupo levou mais tempo para se adaptar, pegou um grupo mais próximo ao RH para fazer teste com equipe remota. Há empresas que estão engatinhando na gestão à distância, enquanto outras se preocuparam apenas em disponibilizar ambiente para o funcionário trabalhar de casa. 

Da nossa parte, não sentimos necessidade de correr para desenvolver algo novo ou seguir outro caminho, o que mostra que estávamos muito bem preparados. Como empresa desenvolvedora, a Norber vem, há algum tempo, se preparando para fornecer aos clientes as soluções necessárias para uma administração da frequência remota. Além disso, houve um trabalho de enxergar parcerias com clientes que tinham limitações de contratação imediata. Para alguns, oferecemos gratuidade de três meses no aumento de pacotes mobile para que pudessem colocar o colaborador em trabalho remoto. 

Como os sistemas da Norber contribuem para uma gestão de jornada remota mais eficiente?  

Nosso sistema de ponto tem a facilidade de contar com acesso via browser, isto é, toda funcionalidade pode ser operada no navegador bastando um computador conectado à internet. Por meio do sistema, o gestor consegue administrar a jornada das equipes remotamente, de onde quer que esteja, e ainda limitar o que cada funcionário ou grupo de funcionários pode enxergar ou fazer dentro do sistema. 

Através da marcação mobile, é possível identificar de onde o funcionário está marcando o ponto, a partir do georeferenciamento dele, assim como restringir a área de marcação. Algumas empresas delimitam para a casa, outras a ampliam para o trabalho externo. 

Outro recurso que facilita a gestão são os alertas, que avisam os gestores de ocorrências a serem tratadas. Como o sistema fornece relatórios mostrando o que tem de ser cuidado do dia anterior, você evita o acúmulo de funções. No fim do mês, ninguém lembra mais se o funcionário chegou ou não atrasado, e acaba abonando. Estes abonos indevidos geram custos para as empresas, e muitas vezes ocorrem porque a gestão da frequência não foi feita nos momentos corretos. Principalmente no ramo de serviços, onde o impacto da mão de obra é maior, fazer uma gestão mais meticulosa pode reduzir consideravelmente os custos com hora extra indevida. 

Somado a isso, destaco a flexibilidade de parametrizar as operações de forma individual, dando ao gestor e ao funcionário recursos que podem ser utilizados de forma mais ou menos centralizada, de acordo com o que a cultura da empresa permite. 

O funcionário pode, por exemplo, consultar no sistema o seu saldo do banco de horas. Em um momento em que todos estão em home office, sem a chefia ao lado, essa facilidade garante transparência e dá ao usuário final mais segurança para controlar a compensação do banco, ver gráficos de quais horas foram aprovadas pelo gestor, o número de faltas não justificadas. 

É claro que essas funcionalidades vão ser usadas conforme a cultura da empresa. O sistema é o mesmo e ele opera de formas muito variadas justamente porque a cultura é que vai definir o maior ou menor uso dos recursos disponíveis.

Com as Medidas Provisórias 927 e 936, o governo flexibilizou algumas regras trabalhistas relacionadas a férias, banco de horas e redução da jornada. Como a Norber, com suas soluções e equipe, ajudou os clientes nas adequações?

Quando as MPs saíram tivemos uma demanda alta no nosso suporte. De fato, ajudamos muitos clientes a ajustarem os sistemas para, por exemplo, criar um banco de compensação de 18 meses, que a MP 927 permitiu, ou fazer antecipação de feriados. Enviamos orientações sobre como fazer os ajustes, explicamos, e houve casos de grandes clientes que nos contrataram para aplicá-los, porque o volume era grande.  

De forma geral, não era criar nada diferente, mas sim reparametrizar o sistema para garantir o resultado flexível que se esperava. Também ajudamos nos ajustes de alteração da jornada, que tem impacto na folha, e foi interessante verificar que o sistema apresentou as características necessárias para assimilar todas as mudanças de forma tranquila. Você faz um pequeno ajuste e ele já entende como deve seguir a partir daquela data. 

Por causa da garantia que nosso contrato de manutenção mensal oferece, e sobretudo em um período de alterações de processos e de legislação, o cliente tem conosco a segurança de contar com um conhecimento específico e de mercado.  

Como a Norber se organizou internamente para manter a prestação de serviços e o atendimento aos clientes na pandemia?

A equipe foi toda para home office, desde as áreas de desenvolvimento e suporte até comercial. Nosso tipo de trabalho permite porque todo mundo já trabalhava com notebooks ou desktops, então essa migração foi fácil. O comercial, claro, sofreu limitações em relação às visitas presenciais, e o contato inicial passou a ser feito por videochamada. 

Um dos pontos de preocupação era não perder a cultura e o engajamento diante do ambiente remoto e do distanciamento social. Para a área comercial e de projetos, institui-se que os coordenadores fizessem uma reunião de manhã e outra no fim da tarde para brincar, manter o elo, deixar rolar os assuntos que aconteciam nas salas. O bacana é que todo mundo acolheu bem, inclusive com câmera aberta.

Um relato interessante, e que é mais sensível ao cliente final, foi o testemunho do gerente de RH de um grande banco cliente que se surpreendeu ao saber que estávamos todos em home office. Ele abriu chamado e, ao ligar no número de sempre, teve sua ligação transferida para o celular do analista. O cliente final não percebeu mudanças no suporte e o testemunho voluntário dele nos deu a chancela de que estamos fazendo bem feito. 

Como o mundo empresarial deverá se comportar daqui para a frente? Prevê mudanças no pós-pandemia? 

Está bem claro que as empresas que estão tendo experiências positivas com a jornada remota e têm sistemas que, de fato, as auxiliam nesse controle estão mais tendenciosas a não terem o retorno total dos funcionários para suas estruturas físicas. 

Por outro lado, houve empresas que, diante da necessidade de mobilidade, se viram com sistemas pouco flexíveis e que não as atendiam adequadamente. 

Na Norber, que tem perfil de atendimento a médias e grandes empresas, sentimos um aquecimento na busca por essa flexibilização do controle de ponto. Desde o final de maio, passamos a ser procurados para novos projetos em um movimento de troca de sistema motivado pela insatisfação com a falta de recursos e funcionalidades do sistema existente. 

Felizmente, a nossa plataforma SaaS garante a mobilidade e flexibilidade que as empresas desejam e necessitam. Foram acertos lá atrás que nos deixaram mais preparados para atender os clientes, assim como os novos que estão chegando. 

O NewAcesso terá uma importância maior no retorno às estruturas físicas? 

Sim, porque nosso software permite fazer a gestão do fluxo de pessoas dentro da empresa. Com o controle de acesso dá para garantir a quantidade de pessoas numa sala, limitando a entrada a um determinado número. Além disso, há integrações do sistema com equipamentos como torneiras, muito usadas em frigoríficos, que só liberam a porta depois de acionada a área de higienização, por exemplo. Com um controle de acesso inteligente dá para criar diversas parametrizações e garantir a segurança de todos. 

Desde 2018, a Norber vem numa transformação de estrutura que nos preparou para absorver essa mudança tão radical e auxiliar os clientes da melhor forma. Temos uma linha de novos desenvolvimentos voltados a reconhecimento facial, marcação de ponto via coletores virtuais e vínculos com acesso que visam trazer mais informação e análises para dentro do sistema de ponto. É um caminho que tende a aumentar e está em sinergia com as mudanças que as empresas estão promovendo agora. 

 

Segurança da Informação: por que o RH deve aprimorar a prevenção

Pessoas e dados são os ativos mais valiosos das empresas. O RH, por lidar diretamente
com ambos, tem a responsabilidade de zelar pela segurança da informação e, em
atuação conjunta com o departamento de TI, prevenir os riscos de vazamentos de
dados dos colaboradores e das informações estratégicas da empresa. Com a aprovação
de regulamentações como a Lei Geral de Proteção de Dados, é necessário redobrar a
atenção, já que o uso indevido de informações pessoais, seja de funcionários,
fornecedores ou clientes, pode resultar em prejuízos financeiros e de imagem às
corporações. Veja como aprimorar a prevenção:

Mapeie o fluxo da informação

Com novas normas regulamentando o uso de dados, é imprescindível garantir que
coleta, armazenamento e processamento das informações sejam executados de
acordo com as diretrizes de privacidade e segurança estabelecidos pela empresa. Da
seleção de currículos à folha de pagamento, mapeie o fluxo da informação, verifique a
conformidade do seu uso quanto ao propósito específico e certifique que os dados
estão seguros em todas as etapas dos processos.

Delimite acessos

Será que os diversos profissionais envolvidos nos processos de gestão de pessoas
precisam de fato acessar todas as informações disponíveis? Caso a resposta seja não,
vale implementar um sistema de controle de acesso para restringir lugares,
equipamentos e informações. Com esse mecanismo de segurança é possível
estabelecer níveis de acesso de modo que dados sensíveis ou sigilosos fiquem
limitados aos responsáveis autorizados.

Invista em soluções confiáveis

Softwares, hardwares e redes devem necessariamente comportar soluções para
combater vulnerabilidades da conexão com a internet. Para coibir eventuais invasões,
ataques maliciosos ou fraudes, especialistas em cibersegurança recomendam camadas
de proteção para a infraestrutura tecnológica. Senha, criptografia e assinatura digital,
por exemplo, são requisitos para um sistema de controle de frequência robusto e
confiável.

Amplie a conscientização

De nada adianta esforços e investimentos se as pessoas não estiverem cientes dos
riscos. Por isso, deixe claro através de um Código de Conduta o que é esperado do
colaborador em termos de sigilo e confidencialidade. Para ampliar a conscientização,
realize campanhas para divulgar boas práticas, reforçando orientações como a
importância da criação de senhas fortes e trocas periódicas, assim como restrição à
instalação de jogos e aplicativos não autorizados, realização de backups, atualização do
antivírus e precaução com links suspeitos. A prevenção é a melhor medida para
combater o avanço das ameaças digitais.

A Norber desenvolve softwares de controle de acesso e de frequência alinhados à
necessidade de proteção da informação. O NewPonto Cloud, sistema que automatiza a
gestão do controle de ponto, dispõe de conexão criptografada para garantir a
segurança do acesso via web, além de um banco de dados blindado e atrelado ao
servidor. Para conhecer as funcionalidades desta solução, visite  www.norber.com.br e
fale com a Área Comercial.

5 erros comuns na gestão de projetos de TI e como driblá-los

A decisão de implementar um novo software é sempre vista com otimismo nas empresas. Afinal, contar com tecnologia para otimizar processos significa, no fim do dia, aumentar a produtividade das equipes e a competitividade do negócio. No entanto, as coisas nem sempre acontecem do jeito que a liderança gostaria. A falta de planejamento infelizmente acaba fazendo com que os projetos levem mais tempo para sair do papel ou custem mais do que o previsto. Conheça 5 erros comuns em gestão de projetos de TI e saiba como evitá-los.

  1. Planejamento equivocado

O planejamento evita alterações intermináveis no projeto, retrabalho e atrasos que comprometem o custo-benefício calculado. Por isso, que tal primeiro reunir as áreas que se beneficiarão com a tecnologia a ser implantada para verificar suas reais demandas e alinhar as expectativas? A introdução de um sistema de controle de acesso, por exemplo, exige envolvimento de gestores de RH, TI e segurança. Somente conhecendo as necessidades da sua empresa, será possível desenvolver ou até mesmo customizar um sistema que, de fato, proporcione resultados positivos.

  1. Falta de conhecimento de rotinas

Projetos de TI são complexos e frequentemente podem impactar diversas áreas da companhia. Para mitigar riscos e evitar a interrupção do fluxo de trabalho é necessário avaliar processos, metas e normas das áreas potencialmente afetadas e do negócio como um todo. A avaliação criteriosa de rotinas permite desenvolver mecanismos para aplicar mudanças sem comprometer as tarefas do dia a dia.

  1. Deixar de contar com parceiros especialistas

Em muitos casos, a contratação de uma empresa especializada é o modo mais eficiente, seguro e barato de investir em tecnologia. Além de expertise no desenvolvimento de softwares, parceiros especialistas podem criar soluções customizadas, executar a implantação com agilidade e fornecer suporte técnico. Além disso, são capazes de reconhecer incompatibilidades com ferramentas já em uso e realizar correções e ajustes antecipadamente.

  1. Falta de liderança e comunicação deficitária

Independentemente do software introduzido, é fundamental que os projetos de TI sejam geridos por profissionais experientes e comprometidos. A liderança tem papel decisivo para o cumprimento do cronograma e o alcance dos objetivos com a qualidade requerida. A gestão eficiente também requer comunicação efetiva, seja para lidar com a equipe interna responsável pela execução ou com o fornecedor de tecnologia.

  1. Não realizar o treinamento da equipe

Deixar de realizar o treinamento da equipe pode colocar todo o esforço a perder. A instrução dos usuários sobre os recursos e funcionalidades da nova aplicação potencializa o uso do sistema implantado, tornando as rotinas mais ágeis e integradas. Consequentemente, o retorno do investimento será mais rápido e efetivo.

A Norber desenvolve softwares de controle de acesso e de frequência que promovem melhorias nos processos de gestão de pessoas. O NewAcesso, sistema para gerenciamento de ambientes que demandam segurança, é compatível com catracas dos principais fabricantes e integrável ao NewPonto Cloud, software de controle de ponto na nuvem. Para conhecer as funcionalidades destas soluções, visite www.norber.com.br e fale com a Área Comercial.

RH e tecnologia: conheça soluções que facilitam o dia a dia

A tecnologia está mudando a forma como as empresas fazem a gestão de pessoas. Inovações surgem todos os dias e quem é de RH precisa acompanhar as tendências geradas pela transformação digital. Atualmente, o mercado dispõe de diversas soluções que facilitam o dia a dia e, sobretudo, proporcionam mais eficiência às atribuições do setor, incluindo processos de recrutamento e seleção, controle de ponto e folha de pagamento, além de treinamento e avaliação de desempenho profissional. Saiba mais.

Cloud Computing

Os dados dos seus colaboradores já estão na nuvem? Se a resposta for negativa, é hora de investir nesta solução que armazena informações em servidores remotos, com segurança e sem ocupar espaço nos HDs internos. O controle de frequência em cloud computing permite que informações referentes a ponto, faltas e horas extras dos funcionários sejam atualizadas em tempo real e acessadas de qualquer lugar a partir de um notebook. É um recurso que facilita a gestão e garante agilidade à tomada de decisões.

Gamificação

A aplicação de práticas inspiradas no mundo dos games é cada vez mais recorrente no ambiente corporativo. O RH também tira proveito deste recurso com treinamentos e atividades organizacionais baseados na gamificação, estratégia que oferece recompensas em troca de ações. A ideia é, como nos jogos digitais, incentivar o colaborador a se engajar nas atividades, “avançar de nível” e cumprir metas coletivas e individuais.

Mobilidade corporativa

Videoconferência, redes de mensagens internas e ferramentas de mobilidade corporativa são tecnologias que otimizam a comunicação e o alinhamento das equipes em tempos de jornada remota e home office. Uma solução como o controle de ponto via smartphone garante flexibilidade às equipes, cujos colaboradores podem atuar de distintos lugares do país e do mundo.

Softwares de controle e gestão

Se seu RH deseja fazer mais em menos tempo é imprescindível automatizar processos administrativos repetitivos. O uso de softwares de gestão de frequência possibilita a integração do controle de ponto à folha de pagamento, tornando muito mais simples e eficiente a realização de tarefas operacionais de rotina.

Big Data

People Analytics é o termo do momento em RH. Isso porque o grande volume de dados disponíveis na rede ou coletados via softwares trazem informações importantes sobre a produtividade dos funcionários ou a aderência de candidatos em processos seletivos. No dia a dia, o Big Data permite melhorar a qualidade das contratações, medir o desempenho dos profissionais com mais precisão e até verificar padrões de turnover.

A sua empresa já utiliza alguns destes recursos tecnológicos? Conte-nos sua experiência sobre os benefícios da tecnologia para o aprimoramento das atividades do RH.

A Norber desenvolve softwares de controle de acesso e de frequência que modernizam rotinas do RH. Para conhecer as funcionalidades do NewPonto Cloud, do NewMobile e de outras soluções, visite www.norber.com.br e fale com a Área Comercial.

Identificação biométrica: como funciona e por que adotá-la em ambientes corporativos

Você já deve ter visto o reconhecimento da íris ser usado num filme de ficção científica. Também pode ter tido sua passagem liberada por reconhecimento facial no controle de passaporte do aeroporto. Mais frequente ainda é o uso das digitais para sacar dinheiro no caixa eletrônico ou simplesmente desbloquear o smartphone. E o que estas tecnologias têm em comum? Todas se baseiam na identificação biométrica, que tem se tornado cada vez mais comum em escolas, empresas e ambientes corporativos.

Como funciona

A biometria (bio = vida e metria = medida) é o estudo das medidas dos seres humanos. Ela faz uso das características únicas de cada pessoa, sejam físicas (impressão digital, face e íris) ou comportamentais (voz e assinatura). Funciona baseando-se na detecção de padrões a partir de um pré-cadastro. A tecnologia de reconhecimento facial, por exemplo, mapeia o rosto do indivíduo calculando a distância entre pontos específicos, como boca, nariz e olhos. Uma vez cadastrada, a pessoa pode ser identificada pelo equipamento, cujos sensores fazem a leitura das medidas e, por meio de algoritmos, as compara ao padrão previamente armazenado. Feita a validação, a pessoa tem o acesso rapidamente liberado.

Uso corporativo

A identificação biométrica vem ganhando espaço em ambientes corporativos onde há uma preocupação recorrente com a segurança. Com alto índice de confiabilidade, tem menos chance de ser clonada que tecnologias tradicionais, como cartões ou senhas. Além de oferecer menor risco de fraude, também tem bastante aceitação por parte dos usuários, sendo frequentemente combinada a sistemas de controle de acesso. Por isso, é uma opção a ser considerada na hora de traçar uma política de segurança corporativa.

A Norber desenvolve softwares de controle de acesso e de frequência que proporcionam às empresas mais segurança e melhor desempenho organizacional. Para conhecer as funcionalidades do NewAcesso e do NewPonto Cloud, acesse www.norber.com.br e fale com a Área Comercial.