5 erros comuns que até os melhores líderes cometem

Gerir pessoas não é tarefa fácil. No dia a dia, até mesmo o mais experiente líder comete deslizes. Confira se você está incorrendo em algum destes cinco erros comuns e corrija a rota.  

  1. Ser controlador demais

Engana-se quem acha que liderar é controlar em detalhes a rotina da equipe. Ao invés de querer centralizar tudo em si mesmo, delegue tarefas e atue como um incentivador para que os profissionais gerenciem a própria rotina com responsabilidade, priorizando atividades e sendo capazes de tomar decisões por conta própria. Só tome cuidado para também não ser liberal demais, do tipo que deixa o barco correr e lava as mãos. O ideal é encontrar o equilíbrio entre essas duas tendências, sempre direcionando o foco, alinhando expectativas e comunicando metas claras e específicas. 

  1. Querer que todos pensem como você

De modo geral, tendemos a querer nos relacionar com quem pensa, age e trabalha como a gente. Porém, cada ser humano tem uma trajetória, experiência e história de vida diferente. Ao invés de querer moldar o outro à sua imagem e semelhança, que tal valorizar as diferenças e aproveitar essas variadas competências? Equipes diversas que possuem objetivos em comum costumam ser mais inovadoras e produtivas.   

  1. Achar que pode tudo

O famoso “manda quem pode, obedece quem tem juízo” é, infelizmente, muito comum nos cargos de liderança. Contudo, esse perfil de chefe autoritário, apegado à hierarquia, não consegue mais que pessoas desmotivadas e frustradas com o ambiente de trabalho. Outro perfil nocivo é o do heroi que resolve tudo, deixando as equipes dependentes, sem iniciativa e acomodadas. 

  1. Não comunicar no tempo certo

A falha na comunicação é um dos problemas que mais afetam o bom desempenho de uma equipe. Não compartilhar informações e deixar de fornecer feedback são atitudes extremamente prejudiciais, que não só colocam em risco o andamento de projetos como geram mal-entendidos e minam a confiança entre as pessoas. Seja claro, transparente e assertivo.  

  1. Deixar de fornecer ferramentas adequadas

Quem acha que “faz parte” deixar o colaborador atolado em planilhas certamente está desperdiçando o potencial criativo da própria equipe. No mundo cada vez mais ágil e conectado em que vivemos, é preciso liberar as pessoas para tarefas estratégicas e deixar processos repetitivos e burocráticos para os softwares. A gestão da jornada de trabalho, por exemplo, é uma atividade do RH que ganha eficiência quando feita por meio de um sistema capaz de integrar o ponto à folha de pagamento. Como líder, é seu papel investir em tecnologias que garantam agilidade aos processos e deem maior autonomia aos profissionais.  

Você se identificou com algum destes comportamentos? Se sim, reflita sobre como uma simples mudança de atitude pode melhorar o seu dia a dia no trabalho e impactar positivamente o resultado do negócio.     

A Norber desenvolve sistemas que facilitam a gestão da frequência dos colaboradores, incluindo equipes remotas. O NewPonto Cloud armazena dados na nuvem, possibilitando o gerenciamento online da jornada. Já o NewMobile permite a marcação de ponto via smartphone, de qualquer lugar e em tempo real. Para conhecer as funcionalidades destas soluções, visite www.norber.com.br e fale com a Área Comercial.