Entrevista: Anderson Guimarães explica o controle da jornada remota em tempos de pandemia

A pandemia do novo coronavírus fez com que muitas empresas levassem seus quadros de funcionários para o home office. A migração e a adaptação ao ambiente remoto, contudo, foi diferente de companhia para companhia. “Saiu-se melhor quem já tinha uma cultura digital fortalecida”, avalia Anderson Guimarães, gerente comercial da Norber.  

Nesta entrevista ao blog, Anderson relata a sua experiência junto aos clientes neste momento crítico e analisa como os sistemas de ponto da Norber estão proporcionando eficiência ao controle da jornada remota, inclusive com adesão às Medidas Provisórias que flexibilizaram normas trabalhistas.  

Por causa da pandemia, muitas empresas tiveram de se adaptar rapidamente ao home office. Quais foram os principais desafios na adoção à jornada remota?

A primeira questão é o tipo de atividade da empresa. Houve um grupo que foi, de fato, atingido pela pandemia no seu negócio e sofreu um impacto econômico importante. O varejo sofreu bastante com o fechamento das lojas, e diversas atividades industriais foram suspensas porque a natureza daquele trabalho não era remota, não permitia o home office. 

Por outro lado, para empresas de tecnologia, call centers, escritórios, farmacêuticas e companhias cujos funcionários já atuavam em estações de trabalho, o caminho foi um pouco mais tranquilo. Entre as que não foram impactadas na operação, as que já vinham em um perfil de trabalho online fizeram a migração para o home office mais facilmente, foi virar uma chave interna e dizer para o funcionário: o que você fazia na sua mesa agora irá fazer na sua casa. 

Houve, claro, uma ou duas semanas iniciais críticas, de ajustes e reestruturações. Percebemos que houve um trabalho dentro da TI dos clientes, de criar redes VPNs para garantir ao funcionário acesso à internet da empresa mesmo de casa, e também de treinar os colaboradores para que aderissem a um caminho que não era o tradicional. Depois tudo foi se ajustando e, hoje, muitas empresas já avaliam manter parte de seus funcionários em home office.

Entre os clientes da Norber, quais têm sido as principais demandas relacionadas ao controle de ponto?

Na Norber, temos uma base de clientes que utiliza o sistema localmente, instalado nos servidores físicos das empresas, o NewPonto, e outra base que utiliza o NewPonto Cloud (SaaS), que é a nuvem. De início percebemos que, independentemente da base, os clientes que já usavam marcação mobile, para equipe externa ou marcação web através de notebooks ou desktops, ampliaram a utilização destes recursos. 

As demandas foram sobretudo de transferência da marcação web para todos os funcionários onde o uso não era liberado em larga escala, ou de ampliação das licenças mobile. 

Aconteceu tudo muito rápido, e saiu-se melhor quem já tinha experiência com marcação mobile e web do que quem só tinha relógio de ponto. O cliente de relógio de ponto, quando colocou todo mundo em home office, ficou sem ponto porque não conseguiu entender como aplicar a tecnologia tão rapidamente, devido a sua cultura mais conservadora. Este grupo levou mais tempo para se adaptar, pegou um grupo mais próximo ao RH para fazer teste com equipe remota. Há empresas que estão engatinhando na gestão à distância, enquanto outras se preocuparam apenas em disponibilizar ambiente para o funcionário trabalhar de casa. 

Da nossa parte, não sentimos necessidade de correr para desenvolver algo novo ou seguir outro caminho, o que mostra que estávamos muito bem preparados. Como empresa desenvolvedora, a Norber vem, há algum tempo, se preparando para fornecer aos clientes as soluções necessárias para uma administração da frequência remota. Além disso, houve um trabalho de enxergar parcerias com clientes que tinham limitações de contratação imediata. Para alguns, oferecemos gratuidade de três meses no aumento de pacotes mobile para que pudessem colocar o colaborador em trabalho remoto. 

Como os sistemas da Norber contribuem para uma gestão de jornada remota mais eficiente?  

Nosso sistema de ponto tem a facilidade de contar com acesso via browser, isto é, toda funcionalidade pode ser operada no navegador bastando um computador conectado à internet. Por meio do sistema, o gestor consegue administrar a jornada das equipes remotamente, de onde quer que esteja, e ainda limitar o que cada funcionário ou grupo de funcionários pode enxergar ou fazer dentro do sistema. 

Através da marcação mobile, é possível identificar de onde o funcionário está marcando o ponto, a partir do georeferenciamento dele, assim como restringir a área de marcação. Algumas empresas delimitam para a casa, outras a ampliam para o trabalho externo. 

Outro recurso que facilita a gestão são os alertas, que avisam os gestores de ocorrências a serem tratadas. Como o sistema fornece relatórios mostrando o que tem de ser cuidado do dia anterior, você evita o acúmulo de funções. No fim do mês, ninguém lembra mais se o funcionário chegou ou não atrasado, e acaba abonando. Estes abonos indevidos geram custos para as empresas, e muitas vezes ocorrem porque a gestão da frequência não foi feita nos momentos corretos. Principalmente no ramo de serviços, onde o impacto da mão de obra é maior, fazer uma gestão mais meticulosa pode reduzir consideravelmente os custos com hora extra indevida. 

Somado a isso, destaco a flexibilidade de parametrizar as operações de forma individual, dando ao gestor e ao funcionário recursos que podem ser utilizados de forma mais ou menos centralizada, de acordo com o que a cultura da empresa permite. 

O funcionário pode, por exemplo, consultar no sistema o seu saldo do banco de horas. Em um momento em que todos estão em home office, sem a chefia ao lado, essa facilidade garante transparência e dá ao usuário final mais segurança para controlar a compensação do banco, ver gráficos de quais horas foram aprovadas pelo gestor, o número de faltas não justificadas. 

É claro que essas funcionalidades vão ser usadas conforme a cultura da empresa. O sistema é o mesmo e ele opera de formas muito variadas justamente porque a cultura é que vai definir o maior ou menor uso dos recursos disponíveis.

Com as Medidas Provisórias 927 e 936, o governo flexibilizou algumas regras trabalhistas relacionadas a férias, banco de horas e redução da jornada. Como a Norber, com suas soluções e equipe, ajudou os clientes nas adequações?

Quando as MPs saíram tivemos uma demanda alta no nosso suporte. De fato, ajudamos muitos clientes a ajustarem os sistemas para, por exemplo, criar um banco de compensação de 18 meses, que a MP 927 permitiu, ou fazer antecipação de feriados. Enviamos orientações sobre como fazer os ajustes, explicamos, e houve casos de grandes clientes que nos contrataram para aplicá-los, porque o volume era grande.  

De forma geral, não era criar nada diferente, mas sim reparametrizar o sistema para garantir o resultado flexível que se esperava. Também ajudamos nos ajustes de alteração da jornada, que tem impacto na folha, e foi interessante verificar que o sistema apresentou as características necessárias para assimilar todas as mudanças de forma tranquila. Você faz um pequeno ajuste e ele já entende como deve seguir a partir daquela data. 

Por causa da garantia que nosso contrato de manutenção mensal oferece, e sobretudo em um período de alterações de processos e de legislação, o cliente tem conosco a segurança de contar com um conhecimento específico e de mercado.  

Como a Norber se organizou internamente para manter a prestação de serviços e o atendimento aos clientes na pandemia?

A equipe foi toda para home office, desde as áreas de desenvolvimento e suporte até comercial. Nosso tipo de trabalho permite porque todo mundo já trabalhava com notebooks ou desktops, então essa migração foi fácil. O comercial, claro, sofreu limitações em relação às visitas presenciais, e o contato inicial passou a ser feito por videochamada. 

Um dos pontos de preocupação era não perder a cultura e o engajamento diante do ambiente remoto e do distanciamento social. Para a área comercial e de projetos, institui-se que os coordenadores fizessem uma reunião de manhã e outra no fim da tarde para brincar, manter o elo, deixar rolar os assuntos que aconteciam nas salas. O bacana é que todo mundo acolheu bem, inclusive com câmera aberta.

Um relato interessante, e que é mais sensível ao cliente final, foi o testemunho do gerente de RH de um grande banco cliente que se surpreendeu ao saber que estávamos todos em home office. Ele abriu chamado e, ao ligar no número de sempre, teve sua ligação transferida para o celular do analista. O cliente final não percebeu mudanças no suporte e o testemunho voluntário dele nos deu a chancela de que estamos fazendo bem feito. 

Como o mundo empresarial deverá se comportar daqui para a frente? Prevê mudanças no pós-pandemia? 

Está bem claro que as empresas que estão tendo experiências positivas com a jornada remota e têm sistemas que, de fato, as auxiliam nesse controle estão mais tendenciosas a não terem o retorno total dos funcionários para suas estruturas físicas. 

Por outro lado, houve empresas que, diante da necessidade de mobilidade, se viram com sistemas pouco flexíveis e que não as atendiam adequadamente. 

Na Norber, que tem perfil de atendimento a médias e grandes empresas, sentimos um aquecimento na busca por essa flexibilização do controle de ponto. Desde o final de maio, passamos a ser procurados para novos projetos em um movimento de troca de sistema motivado pela insatisfação com a falta de recursos e funcionalidades do sistema existente. 

Felizmente, a nossa plataforma SaaS garante a mobilidade e flexibilidade que as empresas desejam e necessitam. Foram acertos lá atrás que nos deixaram mais preparados para atender os clientes, assim como os novos que estão chegando. 

O NewAcesso terá uma importância maior no retorno às estruturas físicas? 

Sim, porque nosso software permite fazer a gestão do fluxo de pessoas dentro da empresa. Com o controle de acesso dá para garantir a quantidade de pessoas numa sala, limitando a entrada a um determinado número. Além disso, há integrações do sistema com equipamentos como torneiras, muito usadas em frigoríficos, que só liberam a porta depois de acionada a área de higienização, por exemplo. Com um controle de acesso inteligente dá para criar diversas parametrizações e garantir a segurança de todos. 

Desde 2018, a Norber vem numa transformação de estrutura que nos preparou para absorver essa mudança tão radical e auxiliar os clientes da melhor forma. Temos uma linha de novos desenvolvimentos voltados a reconhecimento facial, marcação de ponto via coletores virtuais e vínculos com acesso que visam trazer mais informação e análises para dentro do sistema de ponto. É um caminho que tende a aumentar e está em sinergia com as mudanças que as empresas estão promovendo agora. 

 

5 dicas de gestão para engajar sua equipe em home office

Como anda o desempenho da sua equipe no home office? Os projetos caminham a mil ou você está sofrendo com a falta de engajamento dos colaboradores e consequentes atrasos? Desde que a pandemia do coronavírus levou quadros de empresas inteiras para trabalharem de casa, um dos desafios entre os gestores é liderar equipes à distância sem deixar a produtividade cair. Confira dicas para engajar sua equipe: 

  1. Estabeleça relações de confiança

A primeira regra que todo líder de equipe remota deve ter em mente é que sua relação com os colaboradores deve ser mais de confiança que de controle. Ao invés de se preocupar com o número de horas na frente do computador, solicite resultados. O sucesso deste modelo de gestão, portanto, está na definição de metas específicas, alcançáveis e mensuráveis, assim como nos deadlines para o cumprimento das entregas.   

  1. Disponibilize ferramentas

Não reclame de improdutividade se seus colaboradores não têm em mãos as ferramentas necessárias para desenvolver suas tarefas. Estando à frente de uma equipe que atua à distância, é seu papel disponibilizar recursos e facilitar o acesso a informações. Neste sentido, sistemas Cloud integrados e soluções Mobile mostram-se indispensáveis, pois garantem acesso a dados, agilizam processos e promovem a colaboração. Um software como o NewPonto Cloud, por exemplo, proporciona ao RH o controle da jornada online, uma vez que os dados dos colaboradores ficam armazenados em segurança na nuvem. 

  1. Faça alinhamentos periódicos

Em um período de incertezas como o que vivemos, os cenários podem mudar da noite para o dia, assim como os objetivos estratégicos da empresa. Como gestor, não deixe os membros da sua equipe às escuras e mantenha-os a par das novas decisões. As reuniões de alinhamento são importantíssimas e devem manter uma periodicidade regular. Estabeleça uma rotina de reuniões virtuais – que sejam, de preferência, pré-agendadas. Com planejamento e transparência, você certifica que o grupo está caminhando junto e com o mesmo propósito.     

  1. Otimize a comunicação

Se as videoconferências são uma boa pedida para reuniões longas e em grupo, existem demandas urgentes que podem ser resolvidas de imediato através de meios mais diretos e privativos. Porém, apesar da variedade de canais disponíveis, nem todos são apropriados ou seguros. Para otimizar a comunicação e preservar a segurança da informação, delimite canais oficiais e incentive o diálogo, seja via e-mail, aplicativos de mensagens instantâneas ou chats corporativos. Já na hora de fornecer feedbacks ou ter conversas sensíveis, prefira uma ligação ou um vídeo privativo, que são mais pessoais e assertivos.

  1. Fortaleça laços

O ambiente de trabalho é um lugar onde criamos vínculos e fazemos amigos. Em tempos de distanciamento social, ter empatia e mostrar-se disponível para assuntos que vão além das questões corporativas ajudam a manter o grupo motivado e unido. Inverta a sensação de isolamento pela de pertencimento fornecendo apoio e mantendo viva a cultura da empresa. Faça com que as pessoas se sintam integradas e valorize as vantagens do home office incentivando o equilíbrio entre trabalho e qualidade de vida.   

A Norber desenvolve softwares que facilitam o controle de frequência dos colaboradores, incluindo dos que trabalham remotamente. O NewMobile permite a marcação de ponto via smartphone, de qualquer lugar e em tempo real. Já o NewPonto Cloud armazena dados na nuvem, possibilitando o gerenciamento online da jornada. Para conhecer as funcionalidades destas soluções, visite www.norber.com.br e fale com a Área Comercial.

Mundo pós-pandemia: tendências e tecnologias que devem crescer no mercado de trabalho

A pandemia do coronavírus está forçando a sociedade a rever valores e mudar hábitos. Além da imediata alteração da rotina, a experiência impõe à humanidade transformações profundas que devem impactar todas as esferas da vida. 

Entre os especialistas, é unanimidade que o mundo pós-pandemia não será como antes. No mercado de trabalho, o home office e outras tendências que já se desenhavam devem evoluir e se consolidar de modo mais acelerado. Saiba mais e prepare-se para novos desafios e oportunidades.

  1. Trabalho remoto 

Para conter a disseminação do coronavírus, o home office passou de esporádico a prática de rotina. Em questão de semanas, empresas adaptaram-se à modalidade aprimorando técnicas de gestão e usando softwares de controle de jornada remotos para garantir produtividade à distância. Hoje, o home office é uma alternativa real, e estudo da FGV aponta crescimento de 30% no pós-pandemia. Visto como um benefício pelos colaboradores, que buscam cada vez mais conciliar trabalho e qualidade de vida, tem a vantagem de evitar o desgaste no trânsito e o deslocamento via transportes públicos, locais de grande aglomeração. 

  1. Negócios digitais

O e-commerce e o delivery estão experimentando crescimento, apesar da crise. Mais do que nunca, a transformação digital se impõe com urgência. Mesmo setores tradicionais precisam romper barreiras e apostar na tecnologia como alavanca para o crescimento. Inteligência artificial, machine learning, automação de processos e softwares em cloud computing já estão aí e têm tudo para guiar a nova onda de inovações. 

  1. Valor socioambiental

Crises têm o poder de unir pessoas e reforçar o espírito de solidariedade. Mais que marketing, conceitos como sustentabilidade e responsabilidade social passam a ser encarados como obrigações genuínas, exigindo das organizações compromisso verdadeiro com a preservação ambiental e com comunidades próximas. Sem um propósito claro e capaz de impactar positivamente a sociedade, empresas e marcas correm o risco de perder relevância junto a funcionários, fornecedores e clientes.  

  1. Consumo consciente

Se os millennials introduziram um movimento mais focado no uso do que na posse, daqui em diante as relações de consumo devem ser ainda mais conscientes. Cada vez mais, o supérfluo sai de moda e a decisão de compra combina razão e conexão junto às marcas, com destaque para a experiência. Também vale estar preparado para uma redução do poder aquisitivo como consequência da desaceleração econômica global.

Para atuar no mundo pós-pandemia, observe tendências, faça previsões de cenários e adapte-se rapidamente a modelos que incluam a tecnologia no centro do negócio. Preparado para o que está por vir? Planeje, antecipe investimentos e escreva o futuro da sua empresa agora.  

A Norber desenvolve softwares de controle de frequência que facilitam a gestão da jornada de trabalho dos colaboradores, incluindo dos que trabalham remotamente. O NewPonto Cloud armazena dados do controle de frequência na nuvem, possibilitando o gerenciamento online da jornada. Já o NewMobile permite a marcação de ponto via smartphone, de qualquer lugar e em tempo real. Para conhecer as funcionalidades destas soluções, visite www.norber.com.br e fale com a Área Comercial.

Networking no home office: dicas para cultivar sua rede de relacionamentos profissionais na quarentena

O distanciamento social instituído para combater a disseminação do coronavírus tirou momentaneamente de cena os almoços com colegas, happy hours e cafezinhos. Com o home office sendo praticado em larga escala, fazer networking ficou um pouco mais complicado – mas não impossível. Veja dicas para cultivar sua rede de relacionamentos profissionais na quarentena e ampliar oportunidades de negócios:  

  1. Retome a agenda

Do mesmo modo que as reuniões presenciais foram substituídas por videoconferências, por que não realizar networking virtualmente? Além de redes sociais como o LinkedIn, que cumprem bem o papel de conectar estrategicamente profissionais, utilize as variadas tecnologias e aplicativos disponíveis para reforçar sua rede. Tome a iniciativa e convide para um café virtual aquele colega cheio de ideias ou aquele cliente que você não encontra há algum tempo. Além de demonstrar interesse genuíno pela pessoa, essa oportunidade gera uma produtiva troca de informações, inclusive sobre como mercado e empresas estão lidando com os impactos provocados pela pandemia.

  1. Respeite condições diferentes

Todos que podem, claro, estão trabalhando em seus home offices. Isso não significa, contudo, que as condições de trabalho sejam iguais às suas. Cada profissional tem rotinas distintas e está se adaptando à modalidade de forma diferente – tem gente que pode estar se sentindo sobrecarregada, outros que gerenciam a produtividade com controle de jornada remoto. Por isso, não seja indelicado ou invasivo. Respeite a privacidade do seu interlocutor e prefira agendar um horário com antecedência do que fazer uma vídeochamada de repente. Antes de sair convocando os amigos para um happy hour virtual, pergunte como as pessoas têm passado e demonstre empatia.  

  1. Apoie as pessoas

Um networking eficaz é aquele que resulta em valor agregado para ambas as partes. Assim como você tem interesses, seu interlocutor também pode aprender algo com sua experiência. Mostre-se disponível, escute as demandas dele, colabore com soluções, ofereça ajuda, compartilhe conhecimento. Esse tipo de apoio vale não só para períodos de crise, mas em todos os momentos – e certamente fará com que você e as soluções que sua empresa oferecem sejam sempre lembrados.   

  1. Mantenha contato frequente

Se a ideia é criar relações duradouras, seja ativo nos encontros e participe com frequência. O contato recorrente é determinante para se aproximar de pessoas-chave, gerar confiança mútua e levar a relação profissional a um novo patamar. Quem não é visto não é lembrado, e é através de uma rede de contatos sólida que indicações e oportunidades de negócios são geradas. 

A Norber desenvolve softwares de controle de frequência que facilitam a gestão da jornada de trabalho dos colaboradores, incluindo dos que trabalham remotamente. O NewPonto Cloud armazena dados do controle de frequência na nuvem, possibilitando o gerenciamento online da jornada. Já o NewMobile permite a marcação de ponto via smartphone, de qualquer lugar e em tempo real. Para conhecer as funcionalidades destas soluções, visite www.norber.com.br e fale com a Área Comercial.

Medida Provisória 927: novas regras trabalhistas no período da pandemia

A necessidade de isolamento social provocou uma verdadeira corrida para o home office. Por causa da pandemia do coronavírus, até mesmo empresas que nunca antes haviam experimentado essa modalidade de trabalho à distância passaram a adotá-la como forma de proteger funcionários da contaminação e, ao mesmo tempo, evitar a paralisação dos trabalhos. Outras medidas, como a concessão de férias coletivas, também se tornam alternativas para minimizar os impactos econômicos da crise – e com o respaldo da Medida Provisória 927 (de 22 de março de 2020), que flexibilizou algumas normas trabalhistas. Confira as principais mudanças apresentadas pela MP, que aguarda aprovação do Congresso.

Home office

Durante o período de calamidade pública, o empregador pode alterar o regime de trabalho presencial para o trabalho remoto, independentemente da existência de acordos prévios. Essa alteração precisa ser notificada ao funcionário com ao menos 48 horas de antecedência, por escrito ou por meio eletrônico. O fornecimento de equipamentos ou infraestrutura para a realização do trabalho deve ser previsto em contrato escrito, firmado previamente ou no prazo de 30 dias. Estagiários e aprendizes também estão autorizados a trabalhar no esquema home office. 

Férias individuais e coletivas

As férias individuais agora podem ser concedidas ao colaborador que ainda não completou o período de 12 meses de serviço. Essa antecipação precisa ser informada com ao menos 2 dias de antecedência. Em relação à concessão de férias coletivas, que deixam de ter limite máximo de períodos anuais ou limite mínimo de dias corridos, o empregador fica dispensado da comunicação prévia ao órgão local do Ministério da Economia e ao sindicato profissional da categoria. Vale lembrar que funcionários que fazem parte do grupo de risco da Covid-19 têm prioridade de férias. 

Feriados

Segundo a Medida Provisória, fica permitido aos empregadores realizar acordos para o aproveitamento e antecipação de feriados não religiosos, incluindo federais, estaduais, distritais e municipais. É preciso comunicar com 48 horas de antecedência as datas, que podem ser usadas para compensação do saldo em banco de horas.

Banco de horas

Em caso de interrupção da atividade empresarial em razão da pandemia, está autorizada a compensação da jornada por meio de banco de horas, que deve ser estabelecido por acordo individual ou coletivo. A compensação será feita em até 18 meses (a partir do encerramento do período de calamidade pública) e é limitada a duas horas, não podendo exceder 10 horas por dia.  

Segurança e saúde no trabalho

A liminar expedida pelo Supremo Tribunal Federal (STF) em 29 de abril estabeleceu que a Covid-19 pode ser caracterizada como doença ocupacional e suspendeu o artigo 29 da MP 927 (que estipulava comprovação de nexo causal). Na prática, a decisão do STF facilita a obtenção de direitos e ressarcimentos pelo funcionário que contrair a doença em decorrência do trabalho. Diante deste cenário, o empregador deve reavaliar a gestão da Segurança e Saúde no Trabalho (SST), observando a adequação do ambiente, o fornecimento de equipamentos de proteção e o risco de exposição.

Diante destas novas exigências e possibilidades, serão beneficiadas as empresas capazes de administrar de modo eficaz a jornada de trabalho dos seus colaboradores, tanto os remotos como os presenciais. Por meio de softwares de gestão de frequência e de recursos mobile é possível controlar a marcação de ponto à distância, gerir o banco de horas com precisão, assim como fazer um escalonamento planejado das férias.

Se a sua empresa adotou o home office às pressas ou está planejando reestruturações para atravessar essa fase crítica, é hora de investir em sistemas integrados e tecnologias cloud que proporcionam mais eficiência, controle e segurança à gestão da jornada de trabalho.    

A Norber desenvolve softwares que facilitam o controle de frequência dos colaboradores, incluindo dos que trabalham remotamente. O NewMobile permite a marcação de ponto via smartphone, de qualquer lugar e em tempo real. Já o NewPonto Cloud armazena dados na nuvem, possibilitando o gerenciamento online da jornada. 

Para conhecer as funcionalidades destas soluções, visite www.norber.com.br e fale com a Área Comercial.

Coronavírus: dicas para enfrentar um período de incertezas

A pandemia do coronavírus está transformando radicalmente o mundo do trabalho.
Diante da perspectiva de retração da economia, empresas de todos os portes e
segmentos se esforçam para manter suas cadeias de produção ativas e minimizar os
impactos da crise. Tão desafiador quanto incerto, o momento exige cautela e visão
estratégica para que o futuro do negócio e os empregos sejam assegurados. Veja dicas
sobre como agir em tempos de incerteza:

Trace diferentes cenários

Em momentos críticos como o que atravessamos, é importante mapear riscos e traçar
diferentes cenários possíveis, do mais pessimista ao mais otimista, elaborando uma
estratégia para cada um. Na medida em que um cenário vai se concretizando, você
terá mais segurança para agir antecipadamente, direcionando cada movimento que
deve fazer.

Reveja metas, eventos e custos

Com a restrição à circulação de pessoas para evitar a disseminação do contágio, é
esperada a queda das demandas por produtos e serviços. Para reduzir perdas, reveja
planejamentos, redefina investimentos e revise orçamentos. A agenda de eventos e
viagens deve ser reorganizada, se possível usando os meios digitais como alternativa. É
hora de evitar desperdício de recursos e de reduzir custos com supérfluos.

Faça adaptações no seu negócio

Que tal fazer da crise uma oportunidade para aprimorar práticas e oferecer novos
produtos ou serviços? O Delivery, por exemplo, está em alta, e se a sua empresa não
faz entregas esta pode ser uma boa hora para estudar e efetuar a implantação. Faça
adaptações necessárias no seu negócio sem descuidar de medidas preventivas para
proteger funcionários e ambiente de trabalho, sempre respeitando as orientações das
autoridades de saúde.

Invista em tecnologia e soluções mobile

A adoção do home office em larga escala como forma de evitar a paralisação da
atividade econômica está provando que o investimento em tecnologia é indispensável.
Daqui para a frente, com ou sem crise, será cada vez mais necessário aprimorar a
infraestrutura corporativa voltada para o trabalho remoto com foco em sistemas cloud
integrados, soluções mobile e mecanismos de gestão à distância. Como outras crises,
esta também vai passar. Por isso, o melhor a fazer é modernizar operações, manter a
equipe motivada e acelerar a retomada do crescimento.

A Norber desenvolve softwares de controle de frequência que facilitam a gestão da
jornada de trabalho dos colaboradores, incluindo dos que trabalham remotamente. O
NewMobile permite a marcação de ponto via smartphone, de qualquer lugar e em
tempo real. Já o NewPonto Cloud armazena dados na nuvem, possibilitando o
gerenciamento online da jornada. Para conhecer as funcionalidades destas soluções,
visite www.norber.com.br e fale com a Área Comercial.

Medidas do governo para aliviar o impacto econômico do coronavírus

A pandemia do coronavírus provoca vítimas e desacelera o ritmo da economia global. No Brasil, onde a redução da demanda por produtos e serviços coloca em risco a atividade econômica e a manutenção de empregos, o governo federal propôs uma série de medidas para atenuar o impacto econômico e social da crise.
Conheça as principais: 

. Adiamento no recolhimento do Simples Nacional – Empresas optantes do regime tributário poderão suspender o recolhimento do imposto durante três meses, sendo o pagamento do tributo adiado para o segundo semestre do ano. A medida pode beneficiar cerca de 4,9 milhões de empresas.

. Adiamento no recolhimento do FGTS – A parte do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço paga à União também será suspensa por três meses visando aliviar a folha de pagamento. O prazo para a restituição do valor ainda não foi definido, e a medida depende de aprovação do Congresso Nacional. 

. Desconto no Sistema S – Por três meses, as empresas terão redução de 50% nas contribuições devidas ao Sistema S. 

. Crédito para micro e pequenas empresas – O governo deve liberar R$ 5 bilhões pelo Programa de Geração de Renda (Proger), mantido pelo Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), em forma de crédito a ser concedido via bancos públicos para micro e pequenas empresas. 

. Transferência de valores do PIS/Pasep para o FGTS – O governo vai transferir os valores não sacados do PIS/Pasep para o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para permitir novos saques. 

. Antecipação do abono salarial e do 13º salário do INSS – A primeira parcela do 13º salário dos aposentados e pensionistas do INSS será paga em abril e a segunda, em maio. A prova de vida dos beneficiários está suspensa por 120 dias. Já o abono salarial será antecipado para junho. 

. Redução de juros do consignado – O teto dos juros do empréstimo consignado para beneficiários do INSS foi reduzido de 2,08% para 1,8% ao mês, com o prazo das parcelas ampliado. 

Frente ao risco de disseminação do Covid-19, companhias de todos os portes e segmentos devem reforçar medidas preventivas para proteger os funcionários e o ambiente de trabalho. Além disso, é importante adequar atividades para minimizar prejuízos. Para evitar a paralização dos trabalhos, as empresas com maior maturidade digital se beneficiam de sistemas cloud integrados e adotam políticas de home office em larga escala.  

A Norber desenvolve softwares de controle de frequência que facilitam a gestão da jornada de trabalho dos colaboradores, incluindo dos que trabalham remotamente. O NewMobile permite a marcação de ponto via smartphone, de qualquer lugar e em tempo real. Já o NewPonto Cloud armazena dados na nuvem, possibilitando o gerenciamento online da jornada. Para conhecer as funcionalidades destas soluções, visite www.norber.com.br e fale com a Área Comercial.

Coronavírus: precauções para a proteger os funcionários e a empresa

O avanço do novo coronavírus faz vítimas e altera a rotina inclusive nas empresas. Em todo o mundo, grandes companhias cancelaram presença em eventos e adotaram a jornada de trabalho remota para diminuir riscos e mitigar prejuízos. No Brasil, apesar dos casos confirmados, o vírus não está disseminado e, portanto, não há motivo para pânico ou medidas extremas. Porém, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que empregadores e população tomem precauções para combater a infecção, mesmo onde não há notificação de suspeitas. Confira cuidados para proteger os funcionários e o ambiente de trabalho:

Reforce a higiene

Bons hábitos de higiene são a melhor forma de se proteger do coronavírus e de gripes comuns. Por isso, vale distribuir cartilhas e colocar cartazes em banheiros para reforçar a conscientização. As principais orientações são: lavar as mãos frequentemente; cobrir boca e nariz ao espirrar ou tossir, fazendo o devido descarte do lenço de papel; e não tocar nos olhos, nariz ou boca antes de higienizar bem as mãos.

Limpe objetos e superfícies  

O coronavírus sobrevive na superfície de objetos – como mesa, telefone, teclado do computador, mouse. Para combater a infecção, equipamentos e corrimões precisam ser limpos e desinfetados regularmente. Intensifique a higienização da estação de trabalho, abasteça banheiros com sabão e disponibilize álcool-gel em lugares estratégicos.

Atenção às viagens

Reavalie benefícios e riscos de viagens internacionais, considerando áreas afetadas e informações fornecidas pelas autoridades sanitárias. Evite enviar colaboradores que sofrem de diabetes e de problemas cardíacos e respiratórios, mais suscetíveis a desenvolver quadros graves da doença. Sempre que possível, troque o contato presencial por reuniões por videoconferência, como já estão fazendo empresas multinacionais.

Considere adotar jornadas remotas

O trabalho remoto é uma alternativa em cenário de surto. Após voltar de áreas com alta disseminação do vírus, recomenda-se que o funcionário se automonitore por 14 dias e, em caso de febre, tosse, coriza e outros sintomas, adote o home office. Em casa, é importante evitar contato próximo com familiares e deve-se contatar o órgão de saúde responsável e proceder com o tratamento adequado. Um plano de contingência estruturado e com atenção à saúde dos funcionários é fundamental para sua empresa evitar a propagação do vírus no ambiente corporativo e em lugares com intensa circulação de pessoas, como o transporte público.

Cuidado com fake news

Informações falsas circulam pelas redes sociais e internet. Para não propagar boatos, busque sempre informações confiáveis. O Ministério da Saúde está monitorando os casos suspeitos e lançou um aplicativo com dados atualizados e unidades de saúde onde encontrar ajuda médica. Fique atento!

A Norber desenvolve softwares de controle de frequência que auxiliam a gestão da jornada de trabalho dos colaboradores, incluindo os que trabalham remotamente. O NewMobile permite a marcação de ponto via smartphone, de qualquer lugar e em tempo real. Para conhecer as funcionalidades desta solução, visite www.norber.com.br e fale com a Área Comercial.