5 tendências em gestão de pessoas no pós-pandemia

Assim como o mercado de trabalho, a área de RH vivenciou grandes mudanças nos últimos dois anos. Por causa da pandemia, a jornada remota foi adotada em larga escala e a transformação digital garantiu a gestão à distância e a sobrevivência de muitos negócios. Os impactos dessas mudanças geraram oportunidades e desafios. Mais do que isso, exigem adaptações e adoção de novas práticas. Confira as principais tendências em gestão de pessoas no pós-pandemia: 

  1. Jornadas de trabalho flexíveis

A experiência do home office mostrou que o trabalho remoto é possível, desejado e produtivo. As vantagens são tantas que, ainda que vacinação e hábitos do novo normal possibilitem o retorno aos escritórios, muitas empresas aderiram ao modelo remoto em definitivo. Há, porém, funções e atribuições que exigem a presença física, mesmo no mundo corporativo. Nesse sentido, o modelo híbrido se destaca como alternativa preferencial na medida em que concilia as necessidades da empresa às demandas dos colaboradores por mais flexibilidade e autonomia. Ao RH, cabe verificar quais modelos melhor se adequam à cultura corporativa e assegurar que eventuais mudanças sejam acompanhadas por alto desempenho, controle de jornada e segurança jurídica

  1. Foco na atração e retenção de talentos

A pandemia gerou reflexões profundas e fez muita gente questionar o sentido do trabalho. Em países como os Estados Unidos, a falta de fit cultural e a insatisfação com salário e condições de trabalho estão gerando o aumento de demissões voluntárias, em um fenômeno nomeado como Grande Demissão, ou Grande Renúncia. Para combater a evasão de talentos e o aumento do turnover entram em cena a revisão do propósito da empresa, assim como o olhar para employee experience, para os planos de carreira e o aprimoramento da política de benefícios. Não menos importante para a retenção de talentos é a atenção ao bem-estar, com cuidados voltados à saúde física e mental dos profissionais

  1. Intensificação do uso de dados e de novas tecnologias

O RH está se tornando mais digital e estratégico. E isso só é possível graças ao uso intensivo da tecnologia. Por meio de softwares que automatizam processos e geram dados para a tomada de decisões, busca-se aumentar a eficiência operacional, melhorar a comunicação e fomentar a colaboração entre equipes. Por isso, sistemas em nuvem, people analytics, controle de ponto online e soluções mobile são recursos indispensáveis no repertório dos gestores de RH no pós-pandemia, inclusive para o gerenciamento e engajamento dos colaboradores remotos.  

  1. Aprimoramento de políticas de diversidade e inclusão

A diversidade é um dos temas mais discutidos na sociedade e, também, no meio corporativo. A construção de empresas mais plurais e, portanto, mais inovadoras e criativas, está diretamente ligada ao aprimoramento de políticas que garantam espaço e oportunidade de crescimento a profissionais de diferentes culturas, etnias, gêneros e idades. Além da pauta da diversidade, outra prioridade do RH em 2022 é a implementação da agenda ESG, com ações voltadas para meio ambiente, responsabilidade social e governança corporativa. 

  1. Desenvolvimento de competências

Frente ao cenário de transformações aceleradas, é atribuição do RH recrutar competências complementares e potencializar as habilidades da força de trabalho. Liderança, adaptabilidade, resiliência e pensamento crítico são algumas das power skills mais buscadas no momento. Quando se fala em treinamentos online, vale apostar em gamificação e microlearning. O propósito de todo esse movimento é formar lideranças preparadas para os desafios atuais e futuros. 

A Norber desenvolve softwares de controle de ponto que facilitam a gestão da frequência dos colaboradores, tanto presenciais quanto remotos. O NewPonto Cloud armazena dados na nuvem, possibilitando o gerenciamento online da jornada. Já o NewMobile permite a marcação de ponto via smartphone, de qualquer lugar e em tempo real. Para conhecer as funcionalidades destas soluções, visite www.norber.com.br e fale com a Equipe Comercial.  

5 indicadores de RH essenciais para avaliar a performance da sua empresa

O turn over da sua companhia aumentou durante a pandemia? Os colaboradores em jornada remota fazem mais ou menos horas extras? Quais os índices de satisfação e de produtividade no home office? Se você não tem respostas para essas e outras perguntas, é hora de olhar com atenção para as métricas. Sobretudo em um período de mudanças radicais como o que vivemos, é fundamental ter parâmetros para avaliar estratégias e fundamentar a tomada de decisão. Os KPIs (do inglês Key Performance Indicators) são métricas de RH usadas para mensurar a performance administrativa, identificar tendências e aprimorar a gestão do capital humano. Conheça 5 indicadores e saiba como o sistema de controle de ponto da Norber gera dados essenciais para métricas.

  1. Absenteísmo e turn over

Faltas em excesso (absenteísmo) e taxas de rotatividade (turn over) muito altas indicam fuga de talentos, produtividade deficiente e gastos elevados com rescisões e processos de recrutamento e desenvolvimento de pessoas. Por meio desses indicadores, você pode detectar problemas e propor soluções para combater ausências por falta de motivação ou desconexão com a cultura da empresa.  

  1. Competitividade salarial

Juntamente com uma boa política de benefícios, a remuneração afeta diretamente a satisfação e o comprometimento do colaborador. Por causa da desaceleração da atividade econômica durante a pandemia, uma parcela das empresas fez redução da jornada acompanhada da respectiva redução salarial. Com base na sua folha de pagamento e nos valores praticados pelo mercado, calcule a competitividade salarial e verifique se a remuneração é um fator de atração ou perda de talentos.

  1. Retorno sobre investimento

O ROI relaciona o valor investido aos resultados efetivamente alcançados em determinada ação. Ao implementar um novo software, verifique o retorno financeiro obtido com a automação ou aumento da produtividade em relação ao investimento realizado. Quanto maior o indicador, mais acertada terá sido a decisão de empregar recursos naquela ferramenta ou processo.  

  1. Relação de horas extras

Os seus colaboradores se queixam que estão trabalhando mais em home office? Para aferição efetiva, use um controle de ponto online ou via smartphone que permita ao funcionário remoto fazer suas marcações e verificar seu banco de horas. Por meio do indicador de horas extras, o gestor pode mensurar custos com horas adicionais trabalhadas, checar a existência de departamentos sobrecarregados e até aferir a real produtividade das equipes em relação às tarefas realizadas. 

  1. Reclamações trabalhistas

O índice de reclamações trabalhistas aponta a adequação da sua empresa à legislação em vigor. Em geral, processos judiciais resultam do não pagamento de horas extras e descumprimento de outros direitos do trabalhador. Quanto maior o índice, mais preocupante, pois envolve custos financeiros, indenizações e até prejuízo de imagem.  

Além de mitigar riscos de reclamações trabalhistas, o NewPonto Cloud proporciona uma série de dados relevantes sobre faltas, atrasos, horas extras e folha de pagamento. Com o sistema de controle de frequência da Norber, o RH nutre seus indicadores e pode avaliar e aprimorar o desempenho organizacional.

A Norber desenvolve softwares que facilitam o controle de frequência dos colaboradores, tanto dos presenciais como dos remotos. O NewPonto Cloud armazena dados na nuvem, possibilitando o gerenciamento online da jornada. Já o NewMobile permite a marcação de ponto via smartphone, de qualquer lugar e em tempo real. Para conhecer as funcionalidades destas soluções, visite www.norber.com.br e fale com a Área Comercial.