Entrevista de desligamento: como usá-la de maneira estratégica

Desligar um funcionário, por vontade dele ou não, é sempre um momento delicado nas empresas. Muitas emoções estão em jogo, e a entrevista demissional é uma oportunidade para humanizar a saída do profissional e colher informações para a melhoria de rotinas internas. 

Em geral, esta entrevista é conduzida por um profissional de RH ou um consultor externo. Embora seja facultativa, isto é, não existe obrigatoriedade para que aconteça, é uma ferramenta valiosa, já que o profissional, na condição de ex-colaborador, pode fornecer sua visão sobre clima organizacional, relação com chefes e colegas, expectativas quanto a salário, além de práticas que podem ser aprimoradas.

Quando a pessoa se sente à vontade, a conversa tem potencial para revelar problemas que podem afetar outros membros da equipe, desde descontentamento com plano de carreira até condutas impróprias por parte dos gestores. Com esses dados em mãos, é atribuição do RH utilizá-los de maneira estratégica. Após avaliação criteriosa, é possível corrigir rotas, investigar questões polêmicas e, sobretudo, identificar pontos para a melhoria do engajamento e a redução dos índices de absenteísmo e turnover.

Para que a conversa seja produtiva, é importante ouvir a pessoa com empatia e atenção, deixando claro que o que se busca é um feedback de sua experiência na companhia. Em alguns casos, há mágoas e ressentimentos. Por isso, deve-se aproveitar o momento para esclarecer dúvidas e mapear questões que podem futuramente acarretar processos judiciais, como é o caso de queixas sobre horas extras.  

O não pagamento de horas extras, vale lembrar, é o principal motivo de processos trabalhistas. Por isso, a realização de uma gestão de jornada eficiente é fundamental para garantir transparência na relação entre empregador e funcionário – e, assim, minimizar riscos de eventuais embates judiciais. Sistemas de ponto online possibilitam que a marcação seja acompanhada em tempo real, o que facilita a gestão das horas trabalhadas e os pagamentos devidos.  

A Norber desenvolve softwares de controle de ponto que facilitam a gestão da frequência dos colaboradores, incluindo equipes remotas. O NewPonto Cloud armazena dados na nuvem, possibilitando o gerenciamento online da jornada. Já o NewMobile permite a marcação de ponto via smartphone, de qualquer lugar e em tempo real. Para conhecer as funcionalidades destas soluções, visite www.norber.com.br.

Perfis comportamentais: conheça os tipos e forme equipes vencedoras

Formar equipes vencedoras combinando profissionais com perfis diferentes e complementares é atribuição dos gestores. Além de competências técnicas específicas, as pessoas têm comportamentos, reações e jeitos de interagir diferentes. Identificar como cada colaborador se comporta e qual papel desempenha é uma estratégia para alavancar resultados, realizar contratações mais assertivas e até melhorar o clima no ambiente de trabalho. Conheça traços de personalidade dos 4 principais perfis comportamentais e extraia o melhor de cada profissional.

Executores – A facilidade para tomar decisões e a vontade de fazer acontecer são características marcantes destes profissionais movidos a desafios. Autoconfiantes e extremamente competitivos, batalham pelo resultado até o final, mesmo que para isso tenham que mostrar sua face autoritária. Por serem capazes de assumir riscos, se destacam pela liderança e empreendedorismo.

Planejadores – Disciplinados, prudentes e conservadores, os colaboradores com este perfil valorizam rotinas bem definidas. Suas tarefas são planejadas antes de serem executadas, sendo a organização a base do seu estilo. São estáveis, pacientes e capazes de realizar entregas com regularidade. No entanto, não lidam bem com imprevistos e detestam mudanças de rota ou improvisos.

Comunicadores – São aqueles que esbanjam carisma, criatividade e poder de persuasão. Diante de novos projetos, demonstram grande entusiasmo e conseguem engajar quem está ao redor. Dada a capacidade comunicativa, tendem a colecionar bons relacionamentos e a tornar o fluxo de informação muito mais ágil e fluido. Por outro lado, monotonia, processos rígidos e falta de reconhecimento podem desmotivá-los.

Analistas – Apegados a detalhes, esses profissionais vão fundo em tarefas que demandam alto grau de precisão ou especialização. Como não abrem mão de método, são perfeccionistas e dominam processos repetitivos. Podem ser demasiado autocríticos e ter dificuldade em lidar com a pressão, preferindo a estabilidade e o controle.

A Norber desenvolve sistemas de controle de acesso e de frequência que modernizam rotinas no ambiente de trabalho. O NewPonto Cloud é um software que armazena as informações do controle de ponto na nuvem e as integra à folha de pagamento, facilitando a gestão de pessoas. Para conhecer as funcionalidades desta solução, acesse www.norber.com.br e fale com a Área Comercial.