5 benefícios do sistema de ponto em nuvem

A tecnologia em nuvem, também chamada de cloud computing, vem ganhando espaço no RH Digital. O sistema de ponto em nuvem é uma das tecnologias que otimizam processos e rotinas, facilitando desde o registro como também o tratamento do ponto e a gestão da jornada. Conheça as vantagens desse sistema. 

  1. Redução de custos

O primeiro benefício de um software em nuvem é que ele dispensa gastos com infraestrutura e manutenção, já que não é necessário investir em servidores para instalar ou armazenar os programas. Além disso, por se tratar de um SaaS (Software as a Service), você contrata o serviço de acordo com a necessidade, ficando o fornecedor responsável pela manutenção, hospedagem e atualização do sistema.    

  1. Facilidade de acesso

Uma das vantagens do sistema de ponto em nuvem é, sem dúvida, a facilidade de acesso. Por meio de um dispositivo conectado à internet, o colaborador usa seu login e senha para fazer a marcação online dos seus horários via browser, de maneira rápida e prática. Mas não é só o colaborador que se beneficia. Afinal, o sistema também pode ser acessado via web pelos gestores, o que garante eficiência no tratamento do ponto e na gestão da jornada.     

  1. Mobilidade

A possibilidade de registrar e gerir o ponto a partir do escritório, de um coworking ou do home office é outra vantagem, sobretudo em tempos de pandemia. Graças a essa mobilidade proporcionada pela nuvem tem sido possível, para muitas empresas, controlar a jornada de trabalho dos colaboradores à distância.   

  1. Informação em tempo real

Em um mundo conectado e ágil, ter a informação em tempo real é uma vantagem e tanto. Para o RH, contar com o registro de ponto de maneira instantânea se traduz em integração da folha de pagamento, facilidade na gestão do banco de horas, além de agilidade para o pagamento de benefícios como vale-transporte e auxílio home office.  

  1. Segurança dos dados

Armazenados na nuvem, sempre com backup, os registros de ponto estão seguros, ou seja, nenhum vírus ou problemas elétricos e de HD podem corromper os dados. Além disso, o sistema dispõe de conexão criptografada e banco de dados blindado para garantir a integridade dos registros. No caso de marcação via smartphone, há ainda mecanismos de geolocalização e selfie, evitando o risco de fraude.    

A Norber desenvolve sistemas de controle de ponto que facilitam a gestão da frequência dos colaboradores, incluindo equipes remotas. O NewPonto Cloud armazena dados na nuvem, possibilitando o gerenciamento online da jornada. Já o NewMobile permite a marcação de ponto via smartphone, de qualquer lugar e em tempo real. Para conhecer as funcionalidades destas soluções, visite www.norber.com.br e fale com a Área Comercial.

Foco no cliente: se você não ouvir, outro fará isso

Jeff Bezos, fundador da Amazon, costumava dizer que “nossos clientes são leais até o segundo em que alguém lhes oferece um melhor serviço”. Para empresas que têm a cultura centrada no cliente, essa constatação funciona como uma grande motivação, incentivando-as a fazerem sempre mais e impulsionando a inovação. 

Mais que mero jargão corporativo, foco no cliente significa entender que é ele, e não o lucro ou a concorrência, a razão primeira da existência de uma empresa. Na prática, começa por escutar as suas necessidades, entender as dores e problemas, colocar-se no seu lugar. Só com esse propósito muito firme é que seu negócio se manterá relevante e manterá uma clientela fiel. E não tenha dúvidas: se você não ouvir o usuário do seu produto ou serviço, outro o fará. 

Quando uma empresa coloca o cliente no centro da atenção, ela consegue não só suprir expectativas, mas superá-las e até mesmo antecipar demandas futuras. Isso é um diferencial significativo quando falamos de um mercado dinâmico, onde soluções inovadoras surgem a todo instante, independentemente do ramo de atuação. 

Mas engana-se quem acha que o conceito de foco no cliente está ligado apenas à área de desenvolvimento de produtos e serviços. A área comercial, claro, está na linha de frente. E ao invés de querer vender a qualquer custo, precisa estar preparada para compreender as necessidades do cliente e explicar claramente o valor daquilo que entrega. Todo cuidado é pouco para não prometer algo que não pode cumprir, já que esse erro tende a arruinar o relacionamento. 

Quando uma empresa tem o cliente no centro de sua estratégia, o conceito se alastra para todos os departamentos. Estamos falando em oferecer uma experiência surpreendente na loja física e/ou no ambiente virtual, manter um serviço de entrega eficiente e um rigoroso controle de qualidade, assim como fortalecer o relacionamento com feedback constante e pós-venda eficiente. Vale lembrar que ter na satisfação do cliente a razão da existência é um fator de motivação para todos os colaboradores, ou seja, melhora a produtividade do negócio como um todo. 

Para uma desenvolvedora de softwares de controle de jornada como a Norber, ter foco no cliente significa entender muito bem os processos do RH e entregar soluções customizadas às necessidades da empresa, facilitando as rotinas dos gestores. Na pandemia, quando as companhias migraram suas equipes para o home office, a Norber disponibilizou suas soluções de ponto online e ponto via smartphone para atender novas necessidades e ajuda-las a fazer o controle de jornada de maneira remota.

O cliente é uma prioridade no seu negócio? De que maneira as áreas da sua empresa estão concentradas em gerar valor para o cliente?  

A Norber desenvolve sistemas que facilitam a gestão da frequência dos colaboradores, incluindo equipes remotas. O NewPonto Cloud armazena dados na nuvem, possibilitando o gerenciamento online da jornada. Já o NewMobile permite a marcação de ponto via smartphone, de qualquer lugar e em tempo real. Para conhecer as funcionalidades destas soluções, visite www.norber.com.br e fale com a Área Comercial.

Identificação biométrica: como funciona e por que adotá-la em ambientes corporativos

Você já deve ter visto o reconhecimento da íris ser usado num filme de ficção científica. Também pode ter tido sua passagem liberada por reconhecimento facial no controle de passaporte do aeroporto. Mais frequente ainda é o uso das digitais para sacar dinheiro no caixa eletrônico ou simplesmente desbloquear o smartphone. E o que estas tecnologias têm em comum? Todas se baseiam na identificação biométrica, que tem se tornado cada vez mais comum em escolas, empresas e ambientes corporativos.

Como funciona

A biometria (bio = vida e metria = medida) é o estudo das medidas dos seres humanos. Ela faz uso das características únicas de cada pessoa, sejam físicas (impressão digital, face e íris) ou comportamentais (voz e assinatura). Funciona baseando-se na detecção de padrões a partir de um pré-cadastro. A tecnologia de reconhecimento facial, por exemplo, mapeia o rosto do indivíduo calculando a distância entre pontos específicos, como boca, nariz e olhos. Uma vez cadastrada, a pessoa pode ser identificada pelo equipamento, cujos sensores fazem a leitura das medidas e, por meio de algoritmos, as compara ao padrão previamente armazenado. Feita a validação, a pessoa tem o acesso rapidamente liberado.

Uso corporativo

A identificação biométrica vem ganhando espaço em ambientes corporativos onde há uma preocupação recorrente com a segurança. Com alto índice de confiabilidade, tem menos chance de ser clonada que tecnologias tradicionais, como cartões ou senhas. Além de oferecer menor risco de fraude, também tem bastante aceitação por parte dos usuários, sendo frequentemente combinada a sistemas de controle de acesso. Por isso, é uma opção a ser considerada na hora de traçar uma política de segurança corporativa.

A Norber desenvolve softwares de controle de acesso e de frequência que proporcionam às empresas mais segurança e melhor desempenho organizacional. Para conhecer as funcionalidades do NewAcesso e do NewPonto Cloud, acesse www.norber.com.br e fale com a Área Comercial.

Segurança empresarial: boas práticas para impulsionar a gestão

Segurança é prioridade, mas não pode jamais ser um contratempo à agilidade e flexibilidade necessárias às empresas. Em tempos de competitividade acirrada, tem vantagem quem consegue assegurar que as boas práticas de segurança atuem pela melhoria do desempenho organizacional, indo além da função primordial de garantir proteção às pessoas, bens patrimoniais e informações. Veja como a segurança pode agilizar processos, gerar economia e modernizar a gestão.

Análise de risco

Ao estruturar uma política de segurança, é importante avaliar tipos de ameaças, pontos vulneráveis e situações adversas às quais sua empresa pode estar exposta. Leve em conta segmento de negócio, localização e grau de informatização ao adotar medidas cabíveis. A definição de normas e procedimentos em situações críticas, associada a barreiras físicas e a tecnologias como leitura biométrica, cartões de proximidade e reconhecimento facial, mitigam riscos. Vale lembrar que a estrutura de segurança deve ser repensada e, eventualmente, adaptada, sempre que ocorrerem mudanças nos ambientes organizacionais.

Controle de acesso

Além de impedir a entrada de estranhos às dependências da empresa, o controle de acesso automatiza o fluxo de pessoas cadastradas, promovendo mais agilidade na identificação de visitantes, clientes e fornecedores. Este sistema também permite gerenciar o ingresso em ambientes restritos, permitindo que apenas colaboradores autorizados acessem determinados lugares ou informações. Outra vantagem é o bloqueio da entrada em horários fora do expediente, o que garante mais segurança e maior controle de horas extras.

Planejamento integrado

Quer ganhar ainda mais eficiência nos processos de gestão? Então pense seriamente na integração de sistemas. Com planejamento e fornecedores comprometidos em oferecer soluções customizadas, o controle de acesso pode ser integrado ao sistema de controle de ponto, garantindo benefícios superiores ao gerenciamento de pessoas. É possível, com uma integração deste tipo, reduzir o risco de fraude na marcação de presença e incorporar a marcação de entrada e saída dos funcionários à folha de pagamento. Com processos automatizados, sua empresa ganha segurança, agilidade e eficácia operacional.

A Norber desenvolve softwares de controle de acesso e de frequência que modernizam rotinas corporativas, garantindo às empresas mais segurança e melhor desempenho organizacional. Para conhecer as funcionalidades do NewAcesso e do NewPonto, acesse www.norber.com.br e fale com a Área Comercial.

4 erros comuns de estratégia e planejamento empresarial

Era uma vez uma empresa que tinha a faca e o queijo na mão, mas que falhou em seu planejamento e deixou escapar uma bela oportunidade. Infelizmente, casos assim são recorrentes no mercado e é bem possível que você conheça alguns. Seja por vacilar na execução da estratégia ou falhar no planejamento, há negócios que estagnam ou até quebram. Conheça erros comuns cometidos nas empresas e evite cair nestas ciladas.

  1. Execução falha

Às vezes, a empresa sabe exatamente aonde quer chegar, mas não consegue alcançar seu objetivo pela incapacidade de executar rigorosamente sua estratégia. Um plano de ação detalhado é de fundamental importância para alinhar as diversas áreas da empresa e fazer com que toda atividade interna caminhe na mesma direção. Perder-se na hora de colocar em prática o planejamento estratégico costuma prejudicar e muito o desempenho organizacional.

  1. Esquecer o cenário macro

O ambiente macroeconômico está em permanente mudança e desconsiderar as influências externas é um erro que põe em risco empresas de qualquer segmento e porte. Flutuações do câmbio, mudanças regulatórias e alterações fiscais são frequentes em um mundo globalizado, sendo capazes de impactar o desempenho financeiro até de companhias focadas exclusivamente no mercado interno. Coloque o cenário macro, incluindo a concorrência, em sua estratégia e antecipe ações observando variáveis determinantes para o seu negócio.  

  1. Não considerar o cliente

O cliente é soberano e deve estar no foco do seu negócio. Com frequência, os gostos e hábitos dele também mudam, e não perceber essas mudanças pode fazer com que seu produto ou serviço se torne dispensável da noite para o dia. Por isso, conheça profundamente seu público-alvo, entenda quais são as demandas do seu cliente e veja onde você pode se diferenciar em relação à concorrência. Seja flexível e saiba se adaptar às necessidades do consumidor, sempre alinhando as mudanças à estratégia da organização.

  1. Deixar a tecnologia de lado

A tecnologia está alterando o ambiente empresarial e deixar de incluí-la em seu planejamento é uma falha que inevitavelmente deixará sua empresa para trás. Se você deseja inovar e manter vantagem competitiva, destine investimentos para a automação de processos, implemente softwares que geram eficiência e aposte em soluções que possibilitem análise de dados. Os benefícios gerados pela tecnologia abrem novas oportunidades e deixar de utilizar este recurso pode gerar danos irreparáveis.

A Norber é especialista em controles de acesso e de frequência, através de soluções customizadas que auxiliam na gestão empresarial. Quer melhorar os controles e a segurança de sua empresa? Acesse www.norber.com.br e fale com o nosso Comercial.

Como a tecnologia pode transformar a Gestão de Pessoas

Em pleno século 21, ser digital é fundamental para obter melhor desempenho e, assim, garantir o crescimento sustentável dos negócios em longo prazo. O avanço tecnológico das últimas décadas vem se incorporando ao ambiente corporativo em um processo sem volta.

O RH, claro, também abraçou a transformação digital e vem assumindo um papel cada vez mais estratégico nas corporações. Mais do que nunca, profissionais da área de gestão de pessoas devem buscar alinhar o capital humano ao uso de softwares em benefício da estratégia organizacional. Conheça processos e áreas de gestão que estão sendo impactados e como a aplicação da tecnologia pode transformar o RH da sua empresa.

Jornada de trabalho

Internet, computadores portáteis e smartphones encurtam distâncias e proporcionam maior flexibilidade à jornada trabalho, possibilitando que certas atividades sejam executadas remotamente. A contratação de profissionais terceirizados e que atuam em projetos específicos também é mais recorrente nas empresas.

Estas mudanças exigem outro olhar sobre as relações de trabalho, desafiando os gestores a criarem modos de promover o engajamento de colaboradores e a produtividade à distância. Em tempos de home office, também é atribuição do RH estar ligado nas obrigações legais que novos modelos de trabalho podem exigir. Afinal, como conciliar trabalho à distância e marcação de ponto?

Automação de processos

A utilização de softwares automatiza procedimentos burocráticos, simplifica processos e reduz o índice de erros. A gestão do controle de ponto, das folhas de pagamento e de informações referentes a faltas, férias, benefícios e horas extras, ganha agilidade com a ajuda de sistemas que integram os dados e as informações. Também vale investir em cloud computing e em aplicações com interfaces intuitivas, que possibilitam ao usuário receber a informação desejada a qualquer momento, sem necessidade de recorrer ao RH para obter respostas a dúvidas rotineiras. A ideia é proporcionar agilidade e, ao mesmo tempo, entregar a melhor experiência ao usuário.

Análise de dados

A tecnologia contribui para que decisões sejam mais fundamentadas em dados do que em critérios subjetivos. Softwares de gestão permitem ao RH medir a performance individual, realizar análise comportamental e de competências, assim como propor ações para o desenvolvimento dos talentos. Os processos de recrutamento e seleção, por sua vez, tornam-se mais efetivos com people analytics, que utiliza análise de dados para avaliação de perfis de candidatos em processos seletivos. Em algumas empresas, chatbots, inteligência artificial e machine learning são apostas para o desenvolvimento de treinamentos técnicos específicos.

A Norber é especialista no desenvolvimento e implantação de soluções de controle de acesso e de frequência, auxiliando na automação de processos e análise de dados, através de sistemas que modernizam a rotina organizacional. Um software como o NewPontoCloud automatiza a marcação de ponto dos funcionários e integra os dados às folhas de pagamento, gerando agilidade e eficiência ao RH. Já o NewMobile viabiliza a marcação de ponto remota, via smartphone, contribuindo com uma estratégia de mobilidade corporativa.

Quer melhorar os controles e a segurança de sua empresa? Fale com o nosso Comercial e agende uma visita ou acesse www.norber.com.br

Controle de acesso: Tudo o que você precisa saber

Controle de acesso é o sistema ou equipamento que limita o acesso de pessoas a determinados ambientes, seja em escritórios, fábricas, refeitórios, condomínios, hospitais ou estabelecimentos comerciais. Com a função de proporcionar mais segurança às pessoas e garantir a proteção de bens e informações, é um recurso recorrente e necessário. Conheça os tipos de controle de acesso e os benefícios de sua implantação para a gestão de sua empresa.

Tipos de controle de acesso

Para evitar que seu estabelecimento fique à mercê de estranhos, há diferentes tipos de controle de acesso disponíveis no mercado. Além de barreiras físicas (cancelas, catracas e portões), controladas ou não por pessoa de confiança, também há tecnologias que automatizam a entrada e saída de colaboradores previamente cadastrados, o que pode dispensar a necessidade de um funcionário para a segurança. São exemplos de tecnologias: senha, leitura biométrica, cartões de proximidade, reconhecimento facial, reconhecimento de voz e de íris, entre outras. Cada um destes tipos apresenta características específicas, e a escolha por um deles depende da demanda da empresa e, principalmente, do nível de proteção exigido.

Benefícios para a gestão

O aumento da segurança é a primeira vantagem quando se fala em controle de acesso. No entanto, estes sistemas trazem outros benefícios, como agilidade na identificação de visitantes, clientes e fornecedores, controle da quantidade de pessoas nos ambientes, restrição a pessoas não autorizadas. Também é possível, por meio de sistema de controle de acesso, detectar horários de pico, saber o número de pessoas num departamento, e até mesmo integrar a entrada num refeitório à marcação do intervalo intrajornada. Todos estes dados, disponibilizados em tempo real, são peças-chave para o aprimoramento da gestão organizacional.

Integração com sistema de ponto

Além de oferecer diferentes níveis de segurança no acesso em portarias e departamentos, restringindo o fluxo a colaboradores autorizados, o controle de acesso também pode ser integrado a sistemas de registro eletrônico de ponto (SREP). Esta integração reduz o risco de fraude na marcação de presença, já que um controle de acesso como o biométrico, por exemplo, efetua o registro de entrada e permite saber quem efetivamente está nas dependências da empresa. As informações de entrada e saída são automaticamente registradas, facilitando a gestão da jornada de trabalho e a redução do passivo trabalhista, como por exemplo o bloqueio do acesso para colaboradores que estejam em período de interjornada (descanso de 11 horas – Art. 66  da CLT). O acesso controlado também permite delimitar o horário de permanência do colaborador na empresa, o que pode reduzir consideravelmente os gastos com horas extras.

A Norber Tecnologia desenvolve sistema para controle de acesso e monitoramento de pessoas e veículos às dependências e áreas restritas de empresas, condomínios, hospitais e outros ambientes que sejam sensíveis do ponto de vista da segurança. O NewAcesso se destaca por suas funcionalidades e pela forma flexível de estabelecer comunicação com diversos equipamentos e fabricantes do mercado.

Quer melhorar a gestão da segurança em sua empresa, fale com o nosso Comercial e agende uma visita ou acesse www.norber.com.br

4 passos para implantar uma Política de Ponto em 2019

Gerenciar a jornada de trabalho dos colaboradores produz inúmeros benefícios, desde gerar informações estratégicas sobre a produtividade até redução de custos com horas extras. Se sua empresa não faz a gestão de frequência de forma adequada, é hora de planejar a implementação de uma Política de Ponto. Veja nossas dicas e comece 2019 com um sistema prático, confiável e customizado às necessidades do seu negócio.

  1. Fique atento às normas

O primeiro passo para implantar uma Política de Ponto é conhecer a legislação relacionada ao tema. O parágrafo segundo do artigo 74 da CLT determina a obrigatoriedade da anotação dos horários de entrada e saída dos funcionários para estabelecimentos com mais de dez colaboradores, assim como o registro do intervalo de repouso. Além disso, a portaria 1.510/2009 do Ministério do Trabalho e Emprego regulamenta que registros eletrônicos sejam homologados e emitam comprovante, para devido controle do colaborador.

  1. Avalie a cultura e as necessidades da empresa

Os colaboradores da sua empresa funcionam melhor cumprindo horários rígidos? Costumam trabalhar fora das dependências da empresa ou atuam no esquema home-office? Ao criar uma política de ponto é importante avaliar a cultura organizacional e, sobretudo, buscar adequar o modelo de gestão ao dia a dia da corporação. Também vale ter em mente questões como: a) quando o funcionário está autorizado a fazer hora extra; b) como será feita a compensação do banco de horas; c) como proceder em casos de atraso e faltas. Tudo isso deve ser respondido no momento de criar e contratar soluções de gestão de frequência.

  1. Envolva os colaboradores

Uma Política de Ponto não é implantada sem mudança de hábitos. Para que a adesão seja um sucesso, comunique os colaboradores sobre as novas regras, transmita a informação sobre marcação de horários de forma clara, desenvolva uma campanha estimulando novos hábitos. Escute as demandas dos líderes, envolva-os no projeto e conte com eles para promover o engajamento dos colaboradores. Assim, você terá um time mais comprometido tanto com horários quanto com resultados.

  1. Invista em tecnologia

Ultrapassado, o livro de ponto é pouco prático e eficaz. Atualmente, sistemas de gestão de jornada permitem integrar o controle de ponto à folha de pagamento, garantindo mais praticidade e modernidade às atividades do RH. O investimento em tecnologia também proporciona que informações de frequência sejam atualizadas em tempo real, facilitando a gestão e a tomada de decisões.

A Norber é especialista em controle de ponto e desenvolve soluções customizadas que auxiliam na gestão da jornada de trabalho dos colaboradores. Para conhecer as funcionalidades do NewPonto, do NewMobile e de outras soluções, visite www.norber.com.br e fale com a Área Comercial.

Férias coletivas: como planejar e aplicar na sua empresa

As festas de fim de ano estão chegando e, em muitas empresas, esta época é sinônimo de férias coletivas. Neste período, diversas companhias aproveitam que a procura dos clientes por seus produtos ou serviços é baixa para interromper as atividades e, assim, conceder férias simultaneamente a todos os colaboradores ou àqueles de determinado setor ou unidade. Saiba como planejar a concessão de férias coletivas e conheça os principais custos e procedimentos.

Quando conceder

Embora seja bastante frequente no fim do ano, este recurso pode ser aplicado em qualquer período, desde que cumpridas as obrigações legais. A ideia é aproveitar a sazonalidade do segmento de mercado em momentos em que a demanda, e consequentemente a necessidade de mão de obra, é menor.

Qual o período mínimo

As férias coletivas podem ser determinadas pela empresa independentemente da vontade do colaborador, segundo Artigo 139 da CLT. Podem ser divididas em até dois períodos de, no mínimo, 10 dias cada, e são descontadas do saldo total de férias de cada funcionário. Assim como as férias individuais, não começam em domingos e feriados.

Comunicação e procedimentos administrativos

O aviso de férias coletivas deve ser realizado ao menos 15 dias antes do início do recesso, seja por comunicado no mural de avisos, jornal interno ou email. Quanto antes, melhor o funcionário poderá se planejar. Para validar a ação, o RH precisa comunicar as datas estipuladas e setores beneficiados ao órgão local do Ministério do Trabalho (DRT), assim como informar o sindicato profissional da categoria. Também é imprescindível realizar a anotação na carteira de trabalho.

Pagamento das férias

Do mesmo modo que as férias individuais, as coletivas são remuneradas e têm um acréscimo de 1/3 do salário do trabalhador, proporcionais ao período de duração. Como o valor deve necessariamente ser pago dois dias antes da data de início das férias, é importante fazer um correto planejamento de custos.

A Norber é especialista em controle de ponto e desenvolve soluções que auxiliam na gestão da jornada de trabalho dos colaboradores. Para conhecer as funcionalidades do NewPonto, do NewMobile e de outras soluções, visite www.norber.com.br e fale com a Área Comercial.

Megatendências: como preparar sua empresa para o futuro

Megatendências são movimentos externos, em escala global, que estão mudando o modo como as sociedades pensam, se comportam, se relacionam e trabalham. Segundo estudiosos do assunto, estas grandes e inevitáveis transformações mudarão os hábitos de consumo e, consequentemente, terão impacto direto nos negócios nos próximos anos. Por isso, as empresas que desejam continuar tendo relevância no futuro próximo devem ficar de olho no que vem por aí. Nos diversos segmentos empresariais, é importante lidar estrategicamente com essas forças, enxergar desafios e oportunidades e, principalmente, estar pronto para adaptar produtos e serviços aos novos hábitos da sociedade. Conheça as principais megatendências e prepare sua empresa para o futuro.

Mudanças demográficas e urbanização

O crescimento da população mundial e o aumento da expectativa de vida têm reflexos diretos nas empresas, seja alterando o perfil do público consumidor ou gerando mudanças na contratação de mão de obra. Diante do envelhecimento populacional, é possível enxergar um cenário de dificuldades na seguridade social, aumento do tempo de trabalho e novos desafios relacionados a saúde e qualidade de vida. A concentração populacional em áreas urbanas, por sua vez, aumenta a necessidade de investimento em infraestrutura. Também é importante estar atento às questões de mobilidade urbana, habitação e segurança.

Escassez de recursos e mudanças climáticas

As alterações da natureza têm acendido o sinal de alerta nas lideranças mundiais, que propõem novas regras e protocolos para reduzir a poluição e emissão de poluentes. A escassez de recursos naturais, por sua vez, impõe maior consciência ecológica e menos desperdício, tanto na produção como no consumo de produtos e serviços com menor impacto ambiental. Sustentabilidade, eficiência energética e soluções verdes entram cada vez mais em pauta, e as empresas que não observarem as exigências dos consumidores correm o risco de perder mercado.

Inclusão tecnológica e conectividade

A revolução digital e a democratização da tecnologia deram origem a uma nova geração de usuários-consumidores imediatistas, que buscam resolver questões em um clique. Para as empresas, o investimento em inovações tecnológicas que atendam à demanda dos seus públicos é questão de sobrevivência. Automação, mobile, inteligência artificial, robótica, nanotecnologia, cloud e analytics estão na agenda das companhias que planejam crescimento futuro. Tudo, claro, ligado a segurança da informação, privacidade e uso de dados.

A Norber é especialista em controle de ponto e está alinhada às demandas do mercado de trabalho. Softwares como o NewPonto e o NewMobile modernizam rotinas do RH e ao mesmo tempo fornecem maior flexibilidade e mobilidade aos usuários. Para conhecer as funcionalidades destas soluções de gestão de frequência, visite www.norber.com.br e fale com a Área Comercial.