Maternidade e trabalho: boas práticas de inclusão

Maternidade e trabalho: boas práticas de inclusão

O dia a dia das mulheres costuma ser bastante corrido, repleto de tarefas. Conciliar trabalho, casa e família pode ser exaustivo sem uma rede de apoio. E o desafio é ainda maior quando se tem filhos. Sobrecarga mental, autocobrança e falta de apoio provocam consequências que vão desde burnout até a evasão de talentos. Metade das profissionais deixam o emprego, de forma voluntária ou não, após um ano e meio da volta da licença maternidade, segundo pesquisa da FGV. Ainda que equidade de gênero seja um tema cada vez mais discutido na sociedade e no mercado de trabalho, ainda há muito por fazer. Confira boas práticas para aprimorar a inclusão da maternidade na sua empresa. 

Acolhimento

A necessidade de mostrar que dá conta de tudo não somente é cansativa, mas gera frustração, sensação de impotência e, consequentemente, fracasso. Para promover o equilíbrio entre carreira e vida pessoal das colaboradoras que são mães, é essencial ter o bem-estar como valor corporativo para todos. Vale lembrar que os desafios, às vezes, começam no anúncio da gestação. Insegurança e medo da reação dos gestores são comuns quando não há na empresa uma cultura empática à maternidade. Além de dispor de programas de inclusão que levam em conta as demandas das profissionais em toda a jornada, vale preparar lideranças empáticas. Outra boa prática é a criação de grupos de afinidade, onde a troca de experiências ajuda mulheres multitarefas a gerenciarem a autocobrança excessiva. 

Política de benefícios

Benefícios adequados podem fazer toda a diferença na retenção das colaboradoras que são mães. Além da licença maternidade, a creche na empresa ou o auxílio-creche/babá garantem que as crianças fiquem seguras e bem cuidadas enquanto as mães trabalham. Também são valorizados: plano de saúde para os dependentes e espaço de coleta e armazenamento de leite materno.

Desenvolvimento de talentos 

O número de mulheres em cargos de liderança pode ser ampliado com programas de desenvolvimento de talentos que considerem as novas necessidades e disponibilidades das profissionais que são mães. Se a colaboradora não está disponível para viagens por estar amamentando, é possível destacá-la para outras atividades desafiadoras, mostrando que a empresa conta com o talento dela e que oferece oportunidades de crescimento para todos.

Participação masculina

Que tal aumentar a conscientização masculina sobre a parentalidade? Às empresas, cabe incluir os homens no debate, ajudando-os a desconstruir estereótipos e estimulando a corresponsabilidade no cuidado da casa e dos filhos, melhorando a distribuição de tarefas domésticas. A licença paternidade estendida é um benefício que contribui para a participação masculina no processo.  

Flexibilidade

Jornadas flexíveis, que permitem executar o trabalho remotamente e em horários adequados à rotina, são muito bem-vindas para as profissionais, sobretudo no retorno após o fim da licença maternidade. O home office e a jornada híbrida proporcionam essa flexibilidade, garantindo produtividade no cumprimento de demandas profissionais e, ao mesmo tempo, disponibilidade para tratar questões pessoais. 

A Norber desenvolve softwares de controle de ponto que facilitam a gestão da frequência dos colaboradores, tanto presenciais quanto remotos. O NewPonto Cloud armazena dados na nuvem, possibilitando o gerenciamento online da jornada. Já o NewMobile permite a marcação de ponto via smartphone, de qualquer lugar e em tempo real. Para conhecer as funcionalidades destas soluções, visite www.norber.com.br e fale com a Equipe Comercial.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.