Melhoria contínua: como aprimorar processos com metodologias de gestão

Aprimorar processos organizacionais pode ser decisivo para o alcance de resultados em um ambiente de negócios ágil e altamente competitivo. Em geral, as metodologias focadas em melhoria contínua se baseiam em ciclos que incluem mapeamento de gargalos, detecção de oportunidades e implementação de soluções. Conheça as características de algumas das metodologias de gestão consagradas no mercado: 

Ciclo PDCA

Popularizado no pós-guerra, o Ciclo PDCA promove a melhoria dos processos por meio de quatro pilares: planejar (plan), fazer (do), checar (check) e agir (act). Também conhecido como Ciclo de Deming, o método homenageia William Edwards Deming, considerado o pai do controle de qualidade em processos produtivos modernos.

Kaizen

Também nascido no pós-guerra, o Kaizen foi determinante para a ascensão de diversas companhias japonesas. Com um nome que significa “mudança para melhor”, tem como base a filosofia do professor Masaaki Imai e foca na eliminação de desperdícios, assim como na segurança e na qualidade do fluxo de trabalho. O interessante é que o método prioriza aquilo que realmente gera valor para o negócio, sendo aplicável tanto para a administração quanto para grupos e para pessoas.

Lean

Em sintonia com o Kaizen, o método Lean (que significa “enxuto”) se baseou no sistema de produção da Toyota e ganhou projeção mundial com a publicação do livro “A máquina que mudou o mundo” por especialistas do MIT. Além da redução de desperdícios, são seus princípios a geração de valor para o cliente, o alinhamento da cadeia de suprimentos e a produção puxada pela demanda. Ainda que proveniente da indústria, vem sendo amplamente utilizado em diversos setores da economia, de startups de tecnologia a companhias de prestação de serviços. 

Six Sigma

O Six Sigma ganhou fama na década de 1980 através de companhias como Motorola e GE. Mais robusta, essa metodologia utiliza estatística para reduzir a variabilidade de processos e, consequentemente, melhorar a produtividade e a satisfação do cliente. O ciclo DMAIC (Define, Measure, Analyze, Improve, Control) visa aumentar a performance de produtos, serviços e processos que já existem, enquanto o DMADV (Define, Measure, Analyze, Design, Verify) é voltado para o lançamento de novos projetos.   

A escolha da metodologia de gestão empresarial depende da adequação à realidade da empresa, sua cultura e estratégia. Ainda que a sua implementação seja, em geral, orientada por uma consultoria ou equipe interna capacitada, o maior investimento é na mudança de mentalidade, já que toda a equipe, incluindo a alta gestão, deve estar comprometida com o projeto. 

Independentemente do método, todos exigem acompanhamento permanente por meio de indicadores de desempenho (KPIs). No RH, o processo de controle de ponto pode ser continuamente aperfeiçoado com o uso de sistemas como o NewPonto Cloud. Além de garantir agilidade à gestão, o software gera uma série de dados relevantes para o monitoramento das melhorias.

A Norber desenvolve softwares de controle de ponto que facilitam a gestão da frequência dos colaboradores, tanto presenciais quanto remotos. O NewPonto Cloud armazena dados na nuvem, possibilitando o gerenciamento online da jornada. Já o NewMobile permite a marcação de ponto via smartphone, de qualquer lugar e em tempo real. Para conhecer as funcionalidades destas soluções, visite www.norber.com.br e fale com a Equipe Comercial.

OKR: conheça a metodologia nascida no Vale do Silício que avalia o que importa

No mundo dos negócios, a velocidade das mudanças vem colocando em xeque os modelos de gestão tradicionais. Para crescer e ser competitivo, é crucial ser ágil e, sobretudo, focar naquilo que importa. As empresas mais inovadoras do mundo sabem disso e encontraram na OKR (Objectives and Key Results) uma metodologia para apoiar o crescimento. Criada por Andrew Grove, ex-CEO da Intel, a abordagem ganhou fama ao ser aplicada no Google por John Doerr, investidor e autor do livro “Avalie O Que Importa”. De lá para cá, fez escola em startups do Vale do Silício e ganhou espaço em empresas de todos os portes e segmentos. Entre os seus diferenciais estão a flexibilidade, a maneira como objetivos e metas são definidos, o encadeamento nos departamentos da empresa e os ciclos curtos para medição de resultados. Saiba como a metodologia funciona e quais os benefícios: 

Definição de objetivos

A primeira premissa da metodologia OKR é a definição dos objetivos estratégicos. De modo geral, o objetivo simboliza a direção, o que se almeja alcançar. Deve ser simples, ambicioso e, sobretudo, inspirador, ou seja, descrever um propósito capaz de motivar todos os colaboradores. São exemplos: “oferecer a melhor experiência para o cliente”, ou “ser a melhor empresa para trabalhar”, ou ainda “criar o software de gestão de pessoas mais eficiente do mercado”. Seja para a empresa ou para um departamento, um objetivo bem definido mantém os colaboradores focados e engajados naquilo que realmente importa.

Acompanhamento dos resultados-chave

O segundo componente da abordagem é a definição de key results, os resultados-chave. Para cada objetivo se estabelecem de 3 a 5 resultados-chave relevantes, que são quantitativos, têm um prazo de execução definido e visam acompanhar o progresso. No RH, por exemplo, se o objetivo é “reter talentos estratégicos para a empresa”, podem ser resultados-chave: (KR1) “aplicar pesquisas para verificar a satisfação dos colaboradores no próximo mês”, (KR2) “definir a política de home office até julho”; (KR3) “reduzir o turnover em 20% no trimestre”. Com desdobramentos desse tipo, as atividades se mantêm alinhadas aos objetivos estratégicos.

Ciclos de curto prazo

Um diferencial da metodologia são os ciclos de curto prazo. De modo geral, os OKRs são revisados trimestralmente, mas os resultados-chave costumam ser  reportados semanalmente, o que garante engajamento das equipes no cumprimento dos desafios. O prazo curto e o acompanhamento constante dos indicadores de desempenho ajudam a antecipar problemas e corrigir rotas rapidamente, favorecendo a cultura de aprendizagem.  

Transparência 

Diferentemente de metodologias em que as metas são impostas de cima para baixo, os OKRs são priorizados e definidos pelas equipes envolvidas, aumentando a participação e o comprometimento de cada um. Além disso,  transparência é ponto chave: todos sabem exatamente quais são as metas da área, quais passos são necessários para a execução e em que ponto se encontram os processos. Tudo deve ser comunicado com eficiência e clareza.  

Promoção da cultura de dados

Ao invés de avaliar esforço, os OKRs mensuram resultados. Isso é possível graças ao monitoramento permanente de métricas relevantes para o negócio. Dados são usados para acompanhar a progressão das ações e apoiar a tomada de decisões, fortalecendo a cultura data-driven. No RH digital, isso é fácil. Sistemas de gestão de jornada como o NewPonto Cloud, por exemplo, fornecem uma série de dados e relatórios sobre a frequência dos colaboradores, apoiando a mensuração de resultados-chave. 

A Norber desenvolve softwares de controle de ponto que facilitam a gestão da frequência dos colaboradores, tanto presenciais quanto remotos. O NewPonto Cloud armazena dados na nuvem, possibilitando o gerenciamento online da jornada. Já o NewMobile permite a marcação de ponto via smartphone, de qualquer lugar e em tempo real. Para conhecer as funcionalidades destas soluções, visite www.norber.com.br e fale com a Equipe Comercial.

Treinamento e Desenvolvimento: tendências para 2022

O mundo de transformações aceleradas tem exigido das empresas um olhar atento para a requalificação da força de trabalho. Termos como lifelong learning, upskilling e reskilling são palavras de ordem nas companhias que desejam estar preparadas para os desafios atuais e futuros, como a irreversível transformação digital. Não por acaso, a área de Treinamento e Desenvolvimento, com seus variados programas de educação corporativa, tem se reinventado. Conheça tendências voltadas ao fortalecimento do potencial humano nas organizações. 

Personalização da aprendizagem

Manter os participantes de um programa de educação corporativa engajados pode não ser tarefa fácil. Por esse motivo, os programas de desenvolvimento de talentos incluem cada vez mais o colaborador como protagonista do processo de aprendizagem. Ao invés da exposição linear de um conteúdo rígido e único, as plataformas hoje contam com cursos e aulas que podem ser acessados de acordo com o interesse, o momento e o repertório de cada colaborador ou grupo de colaboradores. Também entram em cena conceitos como microlearning, gamificação, além de recursos audiovisuais e interativos. A ideia por trás da personalização de conteúdos e metodologias é permitir que o profissional identifique o que é prioritário para o seu próprio desenvolvimento, dando-lhe autonomia para escolher como e o que aprender para contribuir com a instituição e, consequentemente, evoluir na carreira. 

Aplicação de tecnologias

Os últimos dois anos colocaram o Ensino à Distância (EAD) em um novo patamar. Sobretudo no universo corporativo, com os colaboradores em home office ou em jornada híbrida, é impensável dar passos para trás e voltar ao modelo antigo de workshops em salas de aula. A realidade, hoje, são os ecossistemas digitais de aprendizagem, com destaque para o mobile. Essas plataformas, afinal, não só atendem às expectativas dos nativos digitais como também proporcionam flexibilidade de local e horário. Outra tecnologia que ganha espaço nos treinamentos corporativos é a realidade virtual, simulando situações do cotidiano da empresa. Em um futuro não muito distante, a aposta é no metaverso, que pode gerar soluções interessantes em educação corporativa.

Combinação de vivências

Embora o digital seja uma realidade, a interação entre as pessoas e as dinâmicas em grupo não deixaram de ser eficientes para a troca de experiências e assimilação de conhecimentos. Além disso, em razão do distanciamento social decorrente da pandemia, muitos profissionais estão sentindo falta de espaços para cocriação e compartilhamento de ideias. Seja presencial ou remoto, o contato com o outro, que tem bagagem e vivência distintas, tende a elevar a experiência de aprendizagem e estimular a inovação, a criatividade e a colaboração. 

Foco nas soft skills

Além de competências técnicas para lidar com um novo software ou algo do tipo, é impossível deixar de falar de desenvolvimento de habilidades comportamentais, as soft ou power skills, quando se trata de educação corporativa. A pandemia colocou em xeque a saúde mental dos profissionais em home office, evidenciando a importância de ajudar o colaborador a desenvolver inteligência emocional, resiliência, liderança e comunicação assertiva. 

Ainda que a adoção de soluções tecnológicas tenha se tornado indispensável para acompanhar a evolução do mercado, está claro que as pessoas são o patrimônio mais valioso das empresas. Por isso, investir em desenvolvimento de talentos e qualidade de vida no trabalho é a chave para prosperar, ser mais produtivo e garantir melhores resultados em longo prazo.  

A Norber desenvolve softwares de controle de ponto que facilitam a gestão da frequência dos colaboradores, tanto presenciais quanto remotos. O NewPonto Cloud armazena dados na nuvem, possibilitando o gerenciamento online da jornada. Já o NewMobile permite a marcação de ponto via smartphone, de qualquer lugar e em tempo real. Para conhecer as funcionalidades destas soluções, visite www.norber.com.br e fale com a Equipe Comercial.  

5 dicas para liderar equipes no modelo híbrido

Combinar o trabalho remoto com alguns dias no escritório parece ser o melhor dos mundos, certo? De um lado, temos os ganhos de produtividade e qualidade de vida que o home office proporciona; de outro, um maior nível de interação e socialização no contato dos profissionais no ambiente físico. A implementação e a rotina do modelo híbrido, contudo, podem não ser tão simples. Confira nossas dicas para superar desafios e liderar equipes com sucesso na modalidade que mescla trabalho presencial e remoto. 

  1. Escute sua equipe

Antes de bater o martelo sobre como o modelo híbrido vai funcionar, é fundamental entender a percepção da sua equipe. Enquanto algumas companhias estabelecem como regra 70% remoto e 30% presencial, outras permitem que o funcionário faça essa escolha livremente. Escute as expectativas dos colaboradores e avalie as particularidades de cada cargo. De maneira geral, a ideia é dar prioridade ao trabalho remoto em todas as funções que possibilitem isso. 

  1. Promova uma mudança cultural

Alguns gestores ainda preferem ter seus funcionários ao seu lado por acreditarem que, à distância, eles não trabalham. Por isso, o sucesso do modelo híbrido passa necessariamente por uma mudança de mentalidade. Para acabar com qualquer estigma que possa existir em relação ao home office, é preciso que as lideranças estabeleçam relações de confiança com os membros de suas equipes e passem a avaliar o desempenho pelas entregas. Também vale fazer alinhamentos periódicos, estipular prazos e metas e, ainda, incentivar entre os profissionais a autogestão, a autonomia e a colaboração. 

  1. Estabeleça regras claras 

Para evitar que quem está em home office se sinta em desvantagem, é importante definir junto à equipe as regras de quando e por que é necessário ir ao escritório. Em relação às reuniões, dê preferência às virtuais, garantindo que quem está trabalhando remotamente não seja excluído das decisões. Outro ponto de atenção é a definição de horários e de métricas de produtividade. Para que os que estão em home office não se sintam pressionados e, consequentemente, sobrecarregados, conte com um sistema de controle de ponto que permita a marcação online dos horários de início e fim da jornada. 

  1. Aprimore a comunicação

Um dos desafios dos modelos híbrido e remoto é, sem dúvida, a comunicação. Para garantir que todos os integrantes da sua equipe estejam alinhados aos objetivos da empresa, centralize as informações em um mesmo canal de comunicação. Priorize a comunicação assíncrona, que não exige a presença simultânea de todos. Documente as informações relevantes, forneça orientações por escrito e garanta acesso remoto a todos os envolvidos. Outra dica é promover momentos de descompressão. O happy hour, seja ele virtual ou presencial, permite que as pessoas se conheçam melhor, melhorando a confiança e a comunicação.  

  1. Invista em soluções adequadas

A satisfação e o engajamento do colaborador em home office estão diretamente ligados à sua integração à empresa e ao uso de ferramentas que lhe permitam desempenhar em alto nível o seu trabalho. A adoção de tecnologias online e em nuvem, portanto, são determinantes para agilizar processos, aumentar a eficiência e melhorar resultados.  

Softwares de gestão baseados na nuvem são grandes aliados do trabalho remoto e híbrido. Por meio de um sistema de ponto online e em nuvem é possível gerir a jornada de trabalho dos colaboradores em tempo real e de maneira colaborativa, estejam os líderes em home office ou na sede da empresa.   

A Norber desenvolve softwares de controle de ponto que facilitam a gestão da frequência dos colaboradores, tanto presenciais quanto remotos. O NewPonto Cloud armazena dados na nuvem, possibilitando o gerenciamento online da jornada. Já o NewMobile permite a marcação de ponto via smartphone, de qualquer lugar e em tempo real. Para conhecer as funcionalidades destas soluções, visite www.norber.com.br e fale com a Equipe Comercial.  

5 tendências em gestão de pessoas no pós-pandemia

Assim como o mercado de trabalho, a área de RH vivenciou grandes mudanças nos últimos dois anos. Por causa da pandemia, a jornada remota foi adotada em larga escala e a transformação digital garantiu a gestão à distância e a sobrevivência de muitos negócios. Os impactos dessas mudanças geraram oportunidades e desafios. Mais do que isso, exigem adaptações e adoção de novas práticas. Confira as principais tendências em gestão de pessoas no pós-pandemia: 

  1. Jornadas de trabalho flexíveis

A experiência do home office mostrou que o trabalho remoto é possível, desejado e produtivo. As vantagens são tantas que, ainda que vacinação e hábitos do novo normal possibilitem o retorno aos escritórios, muitas empresas aderiram ao modelo remoto em definitivo. Há, porém, funções e atribuições que exigem a presença física, mesmo no mundo corporativo. Nesse sentido, o modelo híbrido se destaca como alternativa preferencial na medida em que concilia as necessidades da empresa às demandas dos colaboradores por mais flexibilidade e autonomia. Ao RH, cabe verificar quais modelos melhor se adequam à cultura corporativa e assegurar que eventuais mudanças sejam acompanhadas por alto desempenho, controle de jornada e segurança jurídica

  1. Foco na atração e retenção de talentos

A pandemia gerou reflexões profundas e fez muita gente questionar o sentido do trabalho. Em países como os Estados Unidos, a falta de fit cultural e a insatisfação com salário e condições de trabalho estão gerando o aumento de demissões voluntárias, em um fenômeno nomeado como Grande Demissão, ou Grande Renúncia. Para combater a evasão de talentos e o aumento do turnover entram em cena a revisão do propósito da empresa, assim como o olhar para employee experience, para os planos de carreira e o aprimoramento da política de benefícios. Não menos importante para a retenção de talentos é a atenção ao bem-estar, com cuidados voltados à saúde física e mental dos profissionais

  1. Intensificação do uso de dados e de novas tecnologias

O RH está se tornando mais digital e estratégico. E isso só é possível graças ao uso intensivo da tecnologia. Por meio de softwares que automatizam processos e geram dados para a tomada de decisões, busca-se aumentar a eficiência operacional, melhorar a comunicação e fomentar a colaboração entre equipes. Por isso, sistemas em nuvem, people analytics, controle de ponto online e soluções mobile são recursos indispensáveis no repertório dos gestores de RH no pós-pandemia, inclusive para o gerenciamento e engajamento dos colaboradores remotos.  

  1. Aprimoramento de políticas de diversidade e inclusão

A diversidade é um dos temas mais discutidos na sociedade e, também, no meio corporativo. A construção de empresas mais plurais e, portanto, mais inovadoras e criativas, está diretamente ligada ao aprimoramento de políticas que garantam espaço e oportunidade de crescimento a profissionais de diferentes culturas, etnias, gêneros e idades. Além da pauta da diversidade, outra prioridade do RH em 2022 é a implementação da agenda ESG, com ações voltadas para meio ambiente, responsabilidade social e governança corporativa. 

  1. Desenvolvimento de competências

Frente ao cenário de transformações aceleradas, é atribuição do RH recrutar competências complementares e potencializar as habilidades da força de trabalho. Liderança, adaptabilidade, resiliência e pensamento crítico são algumas das power skills mais buscadas no momento. Quando se fala em treinamentos online, vale apostar em gamificação e microlearning. O propósito de todo esse movimento é formar lideranças preparadas para os desafios atuais e futuros. 

A Norber desenvolve softwares de controle de ponto que facilitam a gestão da frequência dos colaboradores, tanto presenciais quanto remotos. O NewPonto Cloud armazena dados na nuvem, possibilitando o gerenciamento online da jornada. Já o NewMobile permite a marcação de ponto via smartphone, de qualquer lugar e em tempo real. Para conhecer as funcionalidades destas soluções, visite www.norber.com.br e fale com a Equipe Comercial.  

5 power skills para alavancar sua carreira

Há algum tempo, o mercado de trabalho entende que as habilidades comportamentais de um profissional são determinantes para o sucesso do negócio. Em um ambiente de transformações aceleradas como o nosso, as soft skills têm se mostrado tão poderosas e necessárias, que os especialistas em gestão de pessoas agora sugerem chamá-las de “power skills”, reconhecendo sua real importância. Conheça 5 power skills valorizadas pelas empresas e saiba como elas podem alavancar a sua carreira:    

Comunicação

Com parte da força de trabalho em home office, é imprescindível saber se comunicar com clareza e concisão. E se a expressão corporal pouco conta em videochamadas, vale aprimorar a comunicação oral e escrita para fortalecer a relação com equipes remotas, melhorar a qualidade dos briefings e evitar ambiguidades e mal-entendidos. Pratique a escuta ativa, certifique-se de que está sendo compreendido e seja assertivo nas mensagens e feedbacks. 

Adaptabilidade

Do mesmo modo que as empresas, os profissionais também precisam estar dispostos a adaptarem-se a novas rotinas, a modelos de trabalho mais flexíveis e a recursos tecnológicos de última geração. Profissionais abertos a mudanças são também mais resilientes e capazes de suportar momentos de pressão sem prejuízo à saúde mental. 

Pensamento crítico

A capacidade analítica permite antecipar cenários e tomar decisões com agilidade e coerência. Quem tem essa qualidade desenvolvida utiliza dados, julga com os critérios corretos e tem uma visão abrangente das situações, incluindo contextos externos. Como resultado, esses profissionais fazem de um problema uma oportunidade de aprendizado e melhoria, aportando soluções com criatividade e inovação.    

Liderança

Proatividade, curiosidade e empatia são características inatas dos grandes líderes. Altamente motivadas, pessoas que tomam à frente nas iniciativas são também mestres em priorizar tarefas, delegar responsabilidades e, sobretudo, estimular a colaboração e o trabalho em equipe, incluindo colaboradores em jornada remota. Por serem otimistas quanto ao trabalho e à vida, são bons influenciadores e impactam positivamente os talentos que estão ao redor, engajando-os em torno de um mesmo objetivo. 

Autogerenciamento

O autogerenciamento é uma power skill cada vez mais valorizada porque implica ser responsável pelas próprias escolhas e ações. Significa também ser disciplinado para gerenciar o tempo e ter autonomia para desempenhar o trabalho, independentemente de cargo ou local de trabalho.  

Enquanto as hard skills podem ser aprendidas por meio de cursos técnicos específicos, as power skills exigem maturidade, interação com o próximo e inteligência emocional, ou seja, costumam ser desenvolvidas ao longo do tempo e com o acúmulo de experiências. São muito buscadas pelos recrutadores porque permitem às empresas enfrentar situações desafiadoras no presente e no futuro. 

A Norber desenvolve softwares de controle de ponto que facilitam a gestão da frequência dos colaboradores, incluindo os que atuam em trabalho remoto. O NewPonto Cloud armazena dados na nuvem, possibilitando o gerenciamento online da jornada. Já o NewMobile permite a marcação de ponto via smartphone, de qualquer lugar e em tempo real. Para conhecer as funcionalidades destas soluções, visite www.norber.com.br e fale com a Equipe Comercial.  

Retrospectiva 2021: desafios, mudanças e soluções que marcaram o ano

O ano de 2021 foi um período de muitas mudanças no ambiente empresarial. Ainda lidando com os impactos da pandemia, as empresas aceleraram suas estratégias de transformação digital para se adequarem aos novos hábitos de consumo e aos modelos flexíveis de trabalho. Nesta retrospectiva, relembre o que marcou o ano e entenda como as soluções inovadoras da Norber ajudaram as companhias clientes a serem mais resilientes e flexíveis.   

Atuando no mundo VUCA

Em janeiro, o início da vacinação contra a Covid-19 no Brasil encheu a população de esperança. Mas o mundo volátil e incerto em que vivemos, também chamado mundo VUCA, exigiu das lideranças uma gestão ágil, já que o agravamento da pandemia em março voltou a impor medidas restritivas e impulsionar novamente o home office para atividades não essenciais. Um ano já havia se passado desde os primeiros casos no país e, dentre os aprendizados, estava o de que o trabalho remoto pode, sim, ser produtivo, desde que acompanhado de disciplina e soluções para a gestão à distância, como o controle de ponto em nuvem da Norber. Com o NewPonto Cloud e o New Mobile, as empresas clientes puderam administrar a frequência dos funcionários remotos de maneira online, com agilidade e eficiência.

Prioridades e tendências    

O RH manteve seu papel estratégico frente ao cenário desafiador que foi 2021. A área desenvolveu e consolidou tendências em curso como também ampliou o seu escopo de atuação lançando um olhar para a sustentabilidade ambiental, a diversidade das equipes, a governança de dados e os aspectos da agenda ESG. Entre as prioridades, destaque para o aprimoramento da produtividade e do engajamento à distância, tanto no home office quanto no formato híbrido e no chamado anywhere office. Também foi alvo de atenção o cuidado com o bem-estar e a saúde mental dos colaboradores, com foco na conscientização acerca de stress, burnout e outros distúrbios.

Unindo forças

No começo de julho, a Norber teve o prazer de comunicar que teve 100% de seu capital social comprado pela LG Lugar de Gente. A aquisição, resultado de uma relação de longa data entre as duas empresas, teve como objetivo ampliar o escopo das soluções de ponto eletrônico, melhorando cada vez mais a experiência de gestores e colaboradores. A união de forças permitiu à Norber oferecer uma melhor estrutura aos seus clientes, já que a empresa continuou operando seus produtos de controle de ponto e controle de acesso no mercado.

Avanços tecnológicos

Com o avanço da vacinação no segundo semestre, os riscos à saúde foram se reduzindo e as empresas voltaram a planejar crescimento. Com a iminência do 5G, ficou claro que a adoção de tecnologias é um caminho sem volta, pois agiliza processos, melhora a colaboração entre as equipes e aumenta a competitividade das empresas. O uso de dados pelo RH foi intensificado pelo People Analytics e uma variedade de softwares de gestão, permitindo mapear padrões comportamentais, avaliar riscos, mensurar resultados e até prever perfis com potencial de alto desempenho. Mesmo contando com a tecnologia como importante aliado, a gestão humanizada se mostrou imprescindível. Liderança compartilhada, valorização das equipes e desenvolvimento de talentos por meio do microlearning foram alguns dos temas que marcaram o ano que vai chegando ao fim.  

A Norber deseja aos seus funcionários, parceiros e clientes um Ano Novo repleto de saúde, paz e prosperidade. Em 2022, seguirá fornecendo softwares de controle de ponto que facilitam a gestão da frequência dos colaboradores, incluindo os que atuam em jornada remota. O NewPonto Cloud armazena dados na nuvem, possibilitando o gerenciamento online da jornada. Já o NewMobile permite a marcação de ponto via smartphone, de qualquer lugar e em tempo real. Para conhecer as funcionalidades destas soluções, visite www.norber.com.br.

Liderança compartilhada: como tirar máximo proveito do modelo

O modelo de chefe autoritário, que dita ordens para que seus subordinados obedeçam, está ficando para trás. Cada vez mais, ganha espaço nas empresas a liderança compartilhada, em que os colaboradores têm voz ativa e poder de decisão, independentemente do nível hierárquico. 

A liderança compartilhada se baseia no trabalho em equipe e na colaboração, com todos os membros do time assumindo responsabilidades nos projetos. Com isso, cada área possui não apenas um líder para gerenciar toda uma equipe, mas uma equipe inteira de profissionais com autonomia para gerenciar a si mesmos.

De modo geral, todo profissional busca espaço e reconhecimento no ambiente de trabalho. Na medida em que são chamados a participar, sentem-se mais engajados com o alcance dos objetivos da empresa, envolvendo-se na formulação de estratégias e na resolução de problemas. 

A liderança compartilhada requer relações de confiança, respeito a opiniões contrárias, além de comunicação transparente e maturidade. Na prática, tem potencial para impactar positivamente o clima organizacional, melhorando a satisfação do colaborador, reduzindo o turn over e o absenteísmo, fomentando a criatividade e a inovação. 

Para tirar o máximo proveito do modelo, é fundamental que os processos estejam integrados. Centralizar o fluxo de trabalho em uma mesma ferramenta permite uma comunicação mais fluida, garantindo que todos os envolvidos naquele determinado projeto estejam na mesma página. 

Softwares de gestão baseados na nuvem são grandes aliados da gestão compartilhada, sobretudo em tempos de trabalho remoto. Por meio de um sistema de ponto online e em nuvem é possível gerir a jornada de trabalho dos colaboradores em tempo real e de maneira colaborativa, estejam os líderes em home office ou na sede da empresa.    

A Norber desenvolve softwares de controle de ponto que facilitam a gestão da frequência dos colaboradores, incluindo equipes remotas. O NewPonto Cloud armazena dados na nuvem, possibilitando o gerenciamento online da jornada. Já o NewMobile permite a marcação de ponto via smartphone, de qualquer lugar e em tempo real. Para conhecer as funcionalidades destas soluções, visite www.norber.com.br.

5 habilidades comportamentais para ter sucesso em qualquer trabalho

Para ser atrativo em um mercado de trabalho dinâmico e competitivo é preciso ter mais que conhecimentos técnicos específicos. Cada vez mais, espera-se do profissional um conjunto de competências sociais e comportamentais que ajudem a empresa a alcançar seus objetivos. Conheça 5 habilidades para ser imprescindível no trabalho e ter sucesso onde quer que esteja. 

  1. Compromisso com a cultura da empresa

Cada empresa tem um modo próprio de conduzir seu dia a dia e de se relacionar com clientes, colaboradores e sociedade. Ser comprometido com a cultura da empresa passa por conhecer os seus processos, incorporar os seus hábitos e valores e, sobretudo, se engajar na sua missão. Ao vestir a camisa e adotar uma postura proativa, seu trabalho será mais efetivo para a conquista dos resultados.

  1. Capacidade de adaptação

Ser flexível e capaz de adaptar-se a novos momentos e realidades é o jeito de ser sempre relevante para o negócio. Isso implica adquirir novas habilidades constantemente. Seja curioso e conscientize-se que o aprendizado é algo a se buscar por toda a vida. É preciso estar aberto para adquirir novos conhecimentos, pois tudo muda o tempo todo, independentemente da carreira. 

  1. Pontualidade

Atrasos e faltas não são bem vistos em lugar nenhum. É claro que eventualmente acontecem, mas não podem se tornar uma rotina. Afinal, ser pontual no horário de entrada, nas reuniões agendadas, bem como nos prazos de entrega dos trabalhos significa demonstrar organização, além de respeito e comprometimento com a empresa. Em home office, uma boa forma de disciplinar a jornada de trabalho é por meio do uso de um software de controle de ponto.  

  1. Trabalho em equipe

Ninguém faz nada sozinho – e, por esse motivo, a habilidade de atuar em equipe é tão valorizada no mercado de trabalho. Entenda seu papel na engrenagem, desenvolva relacionamentos saudáveis com colegas e chefes e comunique-se com clareza. Atuar de maneira colaborativa, pedindo e fornecendo ajuda, é sempre um modo de construir um time de alta performance.   

  1. Pensamento crítico

Profissionais criativos são capazes de analisar cenários, melhorar processos e implementar soluções inovadoras diante de novos ou velhos problemas. Expanda seu pensamento crítico, olhe as questões a partir de diferentes pontos de vista e proponha novos caminhos.   

A Norber desenvolve sistemas de controle de ponto que facilitam a gestão da frequência dos colaboradores, incluindo equipes remotas. O NewPonto Cloud armazena dados na nuvem, possibilitando o gerenciamento online da jornada. Já o NewMobile permite a marcação de ponto via smartphone, de qualquer lugar e em tempo real. Para conhecer as funcionalidades destas soluções, visite www.norber.com.br.

Contratação sem fronteiras: como e por que recrutar talentos de longe

A distância física não é mais um impedimento para uma empresa não ter o colaborador ideal em seu quadro de funcionários. Com o trabalho remoto sendo não só bem aceito pelos gestores como também desejado pelos colaboradores, muitas companhias estão repensando seus modelos de contratação na hora de buscar candidatos para uma vaga. A possibilidade de recrutar talentos de fora da cidade, do estado e até do país é vantajosa, sobretudo, em segmentos de mercado em que faltam trabalhadores qualificados. 

Na medida em que a presença física não é mais mandatória e que sistemas de ponto online possibilitam a marcação do ponto à distância, um leque de possibilidades se abre no processo de recrutamento e seleção. Além de agregar habilidades eventualmente não encontradas localmente, uma contratação desse tipo tem a vantagem de não gerar custos adicionais com uma mudança de cidade. Outro benefício é a formação de equipes mais diversas. Afinal, profissionais com origem e bagagem diferentes costumam trazer ideias novas, estimulando a inovação. 

Mas para ter sucesso com um processo seletivo que rompa as fronteiras geográficas, o recrutador deve observar, como em qualquer contratação, a aderência do candidato à cultura da empresa. Outro ponto de atenção é garantir que o idioma, no caso de estrangeiros, não seja um problema ou cause dificuldades de comunicação. Além disso, oferecer um pacote de benefícios condizente, assim como um plano de carreira para desenvolvimento profissional contínuo, são fundamentais para reter os melhores talentos, independentemente de onde eles estejam. 

A sua empresa está expandindo fronteiras na hora de recrutar talentos? Você sabia que há no mercado softwares que viabilizam a marcação e a gestão do ponto à distância?    

A Norber desenvolve sistemas de controle de ponto que facilitam a gestão da frequência dos colaboradores, incluindo equipes remotas. O NewPonto Cloud armazena dados na nuvem, possibilitando o gerenciamento online da jornada. Já o NewMobile permite a marcação de ponto via smartphone, de qualquer lugar e em tempo real. Para conhecer as funcionalidades destas soluções, visite www.norber.com.br.