Copo meio cheio ou vazio: ganhos e perdas da pandemia

Desde que o coronavírus se alastrou mundo afora, todos tivemos que adaptar as rotinas. O #fiqueemcasa virou norma, adotamos novos cuidados, passamos a conviver com incertezas e a repensar valores pessoais e profissionais. No trabalho, nos adaptamos à jornada remota e hoje fazemos reuniões (e happy hours) virtuais. As mudanças foram muitas e, embora haja mais dúvidas que certezas, já é possível apontar ganhos e perdas da pandemia.

A parte cheia do copo

Se podemos ver aspectos positivos de tudo isso, um deles é o desenvolvimento de um olhar de cuidado para com o próximo. Ao escancarar abismos sociais, a pandemia estimulou a cultura de solidariedade e de doação entre as pessoas e colocou à prova o papel social das empresas. Além da preocupação imediata com o bem-estar físico e emocional dos colaboradores, houve um despertar das empresas para a responsabilidade social corporativa. Cada vez mais, serão cobrados das organizações compromissos verdadeiros com ações inclusivas, governança e práticas de sustentabilidade socioambiental.

Em relação ao modelo de trabalho, ganhamos flexibilidade e autonomia com a implantação do home office em larga escala. Trabalhando de casa, ficamos livres dos longos deslocamentos e passamos a desfrutar mais tempo em família. Isso sem falar dos escritórios domésticos agora mais bem equipados. Para colocar os funcionários em trabalho remoto, as empresas investiram em tecnologia para fornecer soluções adequadas, desde equipamentos e rede para conexão com a Internet até sistemas de controle de frequência em nuvem para uma gestão eficiente e transparente da jornada.

E a parte vazia

Além de fazer um número assustador de vítimas, a pandemia do coronavírus esmagou a economia e impactou empresas financeiramente, algumas mais, outras menos. Colaboradores tiveram a jornada reduzida e outros foram desligados. Por causa da necessidade de isolamento social, perdemos também o convívio com amigos e colegas de trabalho.  

Nas empresas, o home office em larga escala e em tempo integral impõe desafios que podem colocar em risco a produtividade, a criatividade e o engajamento das equipes. Para combater eventuais efeitos colaterais de uma jornada remota mal planejada, é imprescindível que os gestores exerçam uma liderança aberta, colaborativa e afetiva. Neste sentido, comunicar metas com clareza é fundamental para manter a equipe unida e capaz de alcançar os resultados esperados. 

Outro fator a ser considerado é o eventual desequilíbrio entre vida profissional e pessoal. Colaboradores sem experiência com o trabalho remoto podem apresentar dificuldade em gerir o tempo, seja relaxando nas entregas ou excedendo a jornada. Para evitar a perda de produtividade associada a estes tipos de comportamento, vale promover treinamentos sobre gestão do tempo e implantar sistemas de controle de ponto online que limitam o acúmulo de horas extras.   

A Norber desenvolve softwares que facilitam o controle de frequência dos colaboradores, incluindo dos que trabalham em home office. O NewPonto Cloud armazena dados na nuvem, possibilitando o gerenciamento online da jornada. Já o NewMobile permite a marcação de ponto via smartphone, de qualquer lugar e em tempo real. Para conhecer as funcionalidades destas soluções, visite www.norber.com.br e fale com a Área Comercial.

Mundo pós-pandemia: tendências e tecnologias que devem crescer no mercado de trabalho

A pandemia do coronavírus está forçando a sociedade a rever valores e mudar hábitos. Além da imediata alteração da rotina, a experiência impõe à humanidade transformações profundas que devem impactar todas as esferas da vida. 

Entre os especialistas, é unanimidade que o mundo pós-pandemia não será como antes. No mercado de trabalho, o home office e outras tendências que já se desenhavam devem evoluir e se consolidar de modo mais acelerado. Saiba mais e prepare-se para novos desafios e oportunidades.

  1. Trabalho remoto 

Para conter a disseminação do coronavírus, o home office passou de esporádico a prática de rotina. Em questão de semanas, empresas adaptaram-se à modalidade aprimorando técnicas de gestão e usando softwares de controle de jornada remotos para garantir produtividade à distância. Hoje, o home office é uma alternativa real, e estudo da FGV aponta crescimento de 30% no pós-pandemia. Visto como um benefício pelos colaboradores, que buscam cada vez mais conciliar trabalho e qualidade de vida, tem a vantagem de evitar o desgaste no trânsito e o deslocamento via transportes públicos, locais de grande aglomeração. 

  1. Negócios digitais

O e-commerce e o delivery estão experimentando crescimento, apesar da crise. Mais do que nunca, a transformação digital se impõe com urgência. Mesmo setores tradicionais precisam romper barreiras e apostar na tecnologia como alavanca para o crescimento. Inteligência artificial, machine learning, automação de processos e softwares em cloud computing já estão aí e têm tudo para guiar a nova onda de inovações. 

  1. Valor socioambiental

Crises têm o poder de unir pessoas e reforçar o espírito de solidariedade. Mais que marketing, conceitos como sustentabilidade e responsabilidade social passam a ser encarados como obrigações genuínas, exigindo das organizações compromisso verdadeiro com a preservação ambiental e com comunidades próximas. Sem um propósito claro e capaz de impactar positivamente a sociedade, empresas e marcas correm o risco de perder relevância junto a funcionários, fornecedores e clientes.  

  1. Consumo consciente

Se os millennials introduziram um movimento mais focado no uso do que na posse, daqui em diante as relações de consumo devem ser ainda mais conscientes. Cada vez mais, o supérfluo sai de moda e a decisão de compra combina razão e conexão junto às marcas, com destaque para a experiência. Também vale estar preparado para uma redução do poder aquisitivo como consequência da desaceleração econômica global.

Para atuar no mundo pós-pandemia, observe tendências, faça previsões de cenários e adapte-se rapidamente a modelos que incluam a tecnologia no centro do negócio. Preparado para o que está por vir? Planeje, antecipe investimentos e escreva o futuro da sua empresa agora.  

A Norber desenvolve softwares de controle de frequência que facilitam a gestão da jornada de trabalho dos colaboradores, incluindo dos que trabalham remotamente. O NewPonto Cloud armazena dados do controle de frequência na nuvem, possibilitando o gerenciamento online da jornada. Já o NewMobile permite a marcação de ponto via smartphone, de qualquer lugar e em tempo real. Para conhecer as funcionalidades destas soluções, visite www.norber.com.br e fale com a Área Comercial.

Férias coletivas: como planejar e aplicar na sua empresa

As festas de fim de ano estão chegando e, em muitas empresas, esta época é sinônimo de férias coletivas. Neste período, diversas companhias aproveitam que a procura dos clientes por seus produtos ou serviços é baixa para interromper as atividades e, assim, conceder férias simultaneamente a todos os colaboradores ou àqueles de determinado setor ou unidade. Saiba como planejar a concessão de férias coletivas e conheça os principais custos e procedimentos.

Quando conceder

Embora seja bastante frequente no fim do ano, este recurso pode ser aplicado em qualquer período, desde que cumpridas as obrigações legais. A ideia é aproveitar a sazonalidade do segmento de mercado em momentos em que a demanda, e consequentemente a necessidade de mão de obra, é menor.

Qual o período mínimo

As férias coletivas podem ser determinadas pela empresa independentemente da vontade do colaborador, segundo Artigo 139 da CLT. Podem ser divididas em até dois períodos de, no mínimo, 10 dias cada, e são descontadas do saldo total de férias de cada funcionário. Assim como as férias individuais, não começam em domingos e feriados.

Comunicação e procedimentos administrativos

O aviso de férias coletivas deve ser realizado ao menos 15 dias antes do início do recesso, seja por comunicado no mural de avisos, jornal interno ou email. Quanto antes, melhor o funcionário poderá se planejar. Para validar a ação, o RH precisa comunicar as datas estipuladas e setores beneficiados ao órgão local do Ministério do Trabalho (DRT), assim como informar o sindicato profissional da categoria. Também é imprescindível realizar a anotação na carteira de trabalho.

Pagamento das férias

Do mesmo modo que as férias individuais, as coletivas são remuneradas e têm um acréscimo de 1/3 do salário do trabalhador, proporcionais ao período de duração. Como o valor deve necessariamente ser pago dois dias antes da data de início das férias, é importante fazer um correto planejamento de custos.

A Norber é especialista em controle de ponto e desenvolve soluções que auxiliam na gestão da jornada de trabalho dos colaboradores. Para conhecer as funcionalidades do NewPonto, do NewMobile e de outras soluções, visite www.norber.com.br e fale com a Área Comercial.

As vantagens de um sistema de controle de ponto automatizado

Hoje em dia ninguém mais precisa perder um tempão agregando dados do ponto manual à folha de pagamento. Se na sua empresa o time de RH ainda usa planilhas de Excel para realizar esta tarefa, é hora de rever estratégias. Afinal, em pleno século 21, você só precisa de um software de gestão de jornada para automatizar o controle de ponto e livrar sua equipe deste trabalho maçante.

Ao substituir o ponto manual por um software de controle da jornada, as marcações de entrada, saída e intervalos de cada um dos funcionários da empresa são integradas automaticamente à folha de pagamento. Isso gera um incrível ganho de tempo para o RH, que passa a poder atuar em iniciativas mais importantes e alinhadas aos objetivos da empresa.

Outra vantagem é a segurança. Diferente do controle manual, mais passível de fraudes, um sistema de gestão de frequência como o NewPonto da Norber tem seu banco de dados blindado e atrelado ao servidor. Esse recurso impede a manipulação das marcações eletrônicas originais, seja pelo usuário ou pelo gestor, e proporciona maior transparência na relação entre empregador e funcionário.

No quesito controle de acesso, os softwares de gestão de frequência também levam vantagem sobre o ponto manual, já que podem ser integrados a catracas e ao ponto biométrico, limitando o acesso em portarias, departamentos ou refeitórios. Já para empresas que contam com colaboradores externos, como vendedores ou consultores, há soluções que permitem que os horários do expediente sejam marcados remotamente, via smartphone, de qualquer lugar e em tempo real. Em todos estes casos, é possível integrar automaticamente as informações do ponto à folha de pagamento, assim como obter dados para melhor gerenciar a jornada e as horas extras dos funcionários.

A Norber é especialista em controle de ponto e desenvolve softwares que auxiliam na gestão da jornada de trabalho dos colaboradores. Para conhecer as funcionalidades do NewPonto, do NewMobile e de outras soluções, visite www.norber.com.br e fale com a Área Comercial.

Folha de pagamento: como reduzir custos sem demitir funcionários

Em fases de desaquecimento econômico, os valores pagos aos funcionários, associados a encargos e horas extras, podem pesar e colocar em risco a estabilidade financeira da organização. Em alguns casos, a folha de pagamento representa o maior custo de uma empresa. Para gestores, o grande desafio é cortar custos sem demitir colaboradores, já que os valores das rescisões podem gerar um impacto negativo nas finanças. Confira nossas dicas para evitar sustos no fechamento da folha e tornar o seu negócio mais rentável.

Otimize a jornada de trabalho

Uma jornada de trabalho otimizada é sinônimo de eficiência e, consequentemente, economia. A ideia é estimular que se faça mais em menos tempo e, para isso, é importante que as equipes tenham clareza dos trabalhos que devem executar. Engaje os times, delegue tarefas, estabeleça metas e proponha prazos. O resultado será um ganho extra de produtividade.

Invista em tecnologia

A otimização da jornada passa também por investimento em tecnologia. No dia a dia, diversos processos operacionais podem facilmente ser substituídos por softwares de gestão. Ao implantar um sistema de controle de ponto, por exemplo, é possível integrar os dados à folha de pagamento. Com isso, o tempo que seu funcionário gasta realizando o fechamento da folha pode ser ocupado com tarefas mais estratégicas.

Reduza horas extras

Um bom sistema de controle de ponto fornece ao gestor uma série de informações relevantes sobre a rotina dos colaboradores. Por meio dos registros de entrada e saída, você acompanha quem anda se atrasando ou quem fica além do expediente, ou seja, tem em mãos dados para gerenciar o desempenho dos funcionários, identificar quem está sobrecarregado e avaliar a real necessidade de horas extras.

Crie um banco de horas

Uma boa solução para reduzir os custos com horas extras é negociar o uso do banco de horas. Por meio de um sistema de gerenciamento com o NewPonto, as horas adicionais que o colaborador passa na empresa podem ser compensadas com folgas, seja em dias próximos a feriados ou em datas combinadas nas quais ele precise se ausentar. Com um software de controle de ponto, esses registros são realizados automaticamente, garantindo transparência na marcação das horas.

Especialista em gestão de controle de ponto, a Norber desenvolve sistemas que modernizam rotinas do RH, automatizando a marcação dos horários de entrada e saída dos funcionários e integrando os dados à folha de pagamento. Para conhecer as funcionalidades desta solução, visite www.norber.com.br e fale com a Área Comercial.