Indicadores de RH: conheça métricas para avaliar resultados e alavancar a performance

Mensurar resultados é o melhor modo de avaliar a gestão de uma empresa. Como um termômetro, os indicadores de RH permitem entender o que está dando certo ou errado, definir objetivos futuros e realizar ajustes para alavancar a performance da organização. Conheça as principais métricas e desenvolva uma estratégia focada em resultados.

Índice de rotatividade

O turnover indica a quantidade de contratações e demissões da empresa. A rotatividade elevada gera inúmeros transtornos, como custos com rescisão e contratação de novos profissionais, queda na produtividade e perda de talentos. Pode estar associado a fatores como falta de efetividade nos processos de recrutamento e seleção, baixa atratividade em relação à concorrência e problemas de relacionamento com o gestor.

Taxa de absenteísmo

Mede atrasos, faltas e saídas antecipadas de um colaborador. Para fazer o cálculo da taxa de absenteísmo, basta dividir as horas não trabalhadas pelas efetivamente trabalhadas vezes 100. Se for alta, demonstra a falta de interesse do colaborador ou indica problemas, que podem ser tanto externos quanto internos. Softwares de controle de jornada permitem ter os dados de atrasos e faltas sempre à mão, e sem erros.

Head count

É o número total de colaboradores da empresa. O seu aumento ao longo do tempo indica crescimento, enquanto quedas abruptas podem mostrar problemas ou mudanças de rumo. A estratificação em escolaridade, gênero, idade e faixa salarial garante uma visão mais ampla da situação organizacional.

Pesquisa de clima

É um indicador mais subjetivo e seu objetivo é avaliar a satisfação do colaborador. Normalmente é feito a partir de pesquisa qualitativa que inclui questões acerca do relacionamento com os gestores, comunicação interna, perspectivas futuras, envolvimento com as tarefas, além de percepção sobre o ambiente de trabalho e benefícios. Quanto melhor o clima organizacional, maior o engajamento do colaborador.

ROI em treinamentos

A Taxa de Retorno de Investimento (ROI) relaciona os valores investidos em capacitações aos resultados efetivamente alcançados, como redução de falhas e acidentes. A ideia é avaliar de maneira concreta o impacto dos treinamentos sobre a produtividade das equipes.

A Norber desenvolve softwares de controle de acesso e de frequência que ajudam o RH a avaliar a gestão da empresa. O NewPonto Cloud é um sistema de controle de jornada na nuvem que fornece inúmeros dados sobre a jornada de trabalho dos colaboradores e automatiza a folha de pagamento. Para conhecer as funcionalidades destas soluções, visite www.norber.com.br e fale com a Área Comercial.

5 dicas para melhorar a produtividade no começo da semana

A segunda-feira não é o dia mais adorado da semana, mas pode ser o mais produtivo. Para muita gente, começar bem a semana impacta diretamente no restante dela. Confira estas dicas para aumentar a produtividade com organização do tempo e uso de softwares de gestão, alavancando resultados positivos.

  1. Encare como um recomeço

Que tal encarar a segunda-feira como uma oportunidade de construir algo novo? Ao invés reclamar, encha-se de otimismo e veja o começo da semana como uma nova chance de realizar mudanças, colocar um plano em prática e concretizar algo diferente. Detalhe: motivação é contagiante. Líderes que mantém o astral elevado inspiram quem está ao redor, engajando o restante do time.

  1. Organize as tarefas antecipadamente

Planejamento é essencial para o alcance de metas. Por isso, vale dedicar um tempo à organização da agenda, priorizando as atividades e os compromissos. Faça uma lista de tarefas e determine prazos para a execução de cada uma delas. Cumprindo deadlines diários e semanais, você termina o que começou e pode então encarar novas atribuições.

  1. Proteja o período mais produtivo

A maioria das pessoas rende mais no período anterior ao almoço. Se este é o seu caso, dedique suas manhãs para as atividades prioritárias e que exigem maior concentração, evitando distrações e tarefas de mais fácil execução. A ideia é identificar as horas mais produtivas e usá-las da melhor forma possível, fazendo o que realmente importa.

  1. Gerencie o tempo

Deixe a procrastinação de lado, gerencie seu tempo e tenha cuidado com falsas urgências. Para otimizar o dia, também vale usar softwares e outros recursos que automatizam tarefas repetitivas. Um sistema de gestão de frequência, por exemplo, permite realizar o controle de jornada dos colaboradores com mais agilidade e eficiência, reduzindo o tempo gasto com o fechamento da folha de pagamento.

  1. Repita os bons hábitos

A melhor recompensa por um trabalho bem feito é tê-lo feito. Tem algo mais gratificante que a sensação de atingir um objetivo? Quando no fim do expediente sua lista de tarefas estiver completa, analise quais atitudes o ajudaram a ser mais produtivo e repita-os no dia seguinte. É cultivando os bons hábitos que se alcança melhores resultados.

A Norber desenvolve sistemas de controle de acesso e de frequência que melhoram a produtividade no ambiente corporativo. O NewPonto Cloud é um software de controle de jornada na nuvem que automatiza a folha de pagamento, proporcionando agilidade ao RH. Para conhecer as funcionalidades desta solução, visite www.norber.com.br e fale com a Área Comercial.

Tecnologia melhora a experiência no trabalho e aumenta a produtividade

O que o uso da tecnologia no ambiente de trabalho tem a ver com o engajamento das equipes e, consequentemente, o aumento da produtividade? De acordo com pesquisa do The Economist para a Citrix, estes fatores estão fortemente relacionados, sendo tecnologia o segundo elemento (41%) que mais contribui para a melhoria da satisfação do profissional nas empresas com alto índice de engajamento, atrás apenas da qualidade gerencial da liderança (59%).

Realizado em oito países incluindo o Brasil, o estudo “The Experience of Work: The Role of Technology in Produtivity and Engagement” explora os esforços das companhias em utilizar a tecnologia para impulsionar novas formas de trabalho e oferecer ferramentas para os funcionários atuarem de modo mais eficaz e significativo.

Acesso à informação e trabalho remoto

A pesquisa aponta que o acesso a dados necessários para a realização do trabalho, independentemente de onde o colaborador esteja localizado, é o fator tecnológico que mais influencia o engajamento (47%), seguido da possibilidade de trabalhar de qualquer lugar (43%). Na prática, isso se traduz em políticas mobile, na automatização de processos e na utilização de sistemas que facilitam a comunicação e a troca de informação.

Experiência ágil como a do consumidor

Para ser efetiva e gerar resultados, a tecnologia deve ser útil e simples de usar. Por esse motivo, muitas companhias têm buscado recriar no ambiente de trabalho os avanços já alcançados junto ao consumidor final. A ideia é tornar a experiência mais simples através de aplicações focadas no usuário e com interfaces intuitivas.

Atuação conjunta entre RH e TI

A implantação de tecnologias que impactam positivamente o dia a dia dos funcionários é entendida como uma responsabilidade compartilhada das áreas de RH e TI. A transformação digital é um projeto estratégico nas corporações e, conduzida por especialistas, visa agregar soluções capazes de motivar as pessoas e de incentivar a criatividade e a colaboração.

A Norber desenvolve sistemas de controle de acesso e de frequência que modernizam rotinas no ambiente de trabalho. O NewPonto Cloud é um software que armazena as informações do controle de ponto na nuvem, facilitando a gestão dos recursos humanos e agilizando a tomada de decisões. O NewMobile, por sua vez, permite a marcação de ponto remoto, via smartphone e em tempo real. Para conhecer as funcionalidades destas soluções, visite www.norber.com.br e fale com a Área Comercial.

4 dicas para manter o controle emocional no ambiente de trabalho

Você tem reações intempestivas diante de situações adversas? Ou é do tipo que não sabe dizer “não” e aceita calado tudo que lhe impõem? Ambos os comportamentos podem ser prejudiciais no ambiente de trabalho, pois abalam as relações com as pessoas, afetam o clima organizacional e reduzem a produtividade. Hoje, além de habilidades técnicas comprovadas, saber lidar com as emoções é chave para se destacar profissionalmente. Veja dicas para desenvolver a inteligência emocional e cultivar melhores relações no trabalho.

  1. Busque o autoconhecimento

Respeitar os próprios limites e reconhecer o que causa irritação, medo ou angústia ajudam a desenvolver o autocontrole. Procure mapear os sentimentos e entender quais situações o desestabilizam, evitando agir por impulso diante da pressão. A ideia é controlar os sentimentos – e não se deixar dominar.

  1. Cultive o aprendizado

Frustrações acontecem. Na vida e no trabalho, nem sempre os projetos se concretizam do modo como planejamos. Por isso, é importante ser flexível e saber alterar rotas para atingir metas. Ao invés de guardar rancor, procure tirar lições da adversidade e utilize esse aprendizado para fazer diferente em oportunidades futuras.

  1. Desenvolva relações saudáveis

Um ambiente conflituoso desmotiva as pessoas, compromete o trabalho em equipe e aumenta as taxas de turnover e absenteísmo. A inteligência emocional, por sua vez, está ligada ao respeito e à empatia, assim como à habilidade de comunicar-se com clareza. Em geral, os líderes são figuras que valorizam o outro e engajam quem está ao redor. Inspire-se neles para desenvolver relações saudáveis e impactar seu entorno positivamente.

  1. Exercite-se

Está mais que provado que a prática regular de exercícios físicos gera bem-estar, reduz o stress e garante mais disposição para encarar rotinas sempre repletas de desafios. Técnicas de relaxamento, ioga e mindfulness também são válidas na busca pelo equilíbrio físico e emocional. Procure levar uma vida saudável, mantenha o controle das emoções e colha melhores resultados no ambiente de trabalho.

A Norber desenvolve sistemas de controle de acesso e de frequência que promovem melhorias nos processos de gestão de pessoas. O NewPonto Cloud é um software que automatiza o controle de ponto e o integra à folha de pagamento, facilitando o dia a dia do RH. Para conhecer as funcionalidades desta solução, visite www.norber.com.br e fale com a Área Comercial.

Treinamento e desenvolvimento: como criar programas eficazes

Sua equipe apresenta rendimento abaixo do esperado ou não consegue se adequar a um novo tipo de procedimento organizacional? Talvez seja a hora de avaliar o que pode estar provocando esse quadro e considerar aplicar um programa de capacitação que efetivamente traga melhoramentos para o profissional e para a empresa. Confira nossas dicas para obter resultados.

Faça o diagnóstico preciso

Um erro recorrente dos programas de capacitação é o diagnóstico falho. O primeiro passo, portanto, é detectar quais são os pontos fracos da equipe e então, com o apoio do RH, promover um programa de qualificação adequado. Enquanto treinamentos visam preparar o colaborador para algo mais pontual e específico, como operar um novo sistema ou realizar determinada atividade, os programas de desenvolvimento profissional costumam ser mais abrangentes e trazer benefícios em médio e longo prazos.

Defina orçamento e periodicidade

Depois de definido o objetivo da capacitação, seja um treinamento ou um programa mais amplo de desenvolvimento, é importante definir orçamentos. A qualificação profissional deve ser parte do plano estratégico da empresa e, portanto, requer certa periodicidade. Leve em conta que questões pontuais podem até ser resolvidas numa única etapa, mas que transformações mais profundas, normalmente associadas a hábitos comportamentais ou à cultura organizacional, podem levar meses para acontecer. Por isso, avalie custos planejando programas que tenham continuidade.

Alinhe expectativas

Quantas vezes você ouviu um colaborador se queixar que treinamento é perda de tempo? Isso geralmente acontece quando o programa de capacitação não atende a expectativa do funcionário, isto é, não traz respostas para suas dúvidas e dificuldades. Converse com a sua equipe e entenda a origem dos problema. Ao considerar as questões do colaborador, a capacitação vai direto ao ponto – e o que é melhor, com altas taxas de engajamento.

Avalie resultados

Procure mensurar resultados para checar a efetividade de programas de treinamento e desenvolvimento. Busque meios de avaliar se houve ou não a mudança desejada e peça feedback dos participantes sobre temas abordados, qualidade dos instrutores e utilidade do conhecimento transmitido.

Especialista em gestão de controle de ponto, a Norber desenvolve sistemas que otimizam processos organizacionais. Um software como o NewPonto automatiza a marcação dos horários de entrada e saída dos funcionários e integra as informações à folha de pagamento. Para conhecer as funcionalidades desta solução, visite www.norber.com.br e fale com a Área Comercial.