Black Friday: elementos-chave para o sucesso das vendas

Melhor data para o comércio eletrônico brasileiro, a Black Friday deve crescer 15% em 2018 e alcançar R$ 2,43 bilhões de faturamento. Segundo pesquisa da Ebit|Nielsen, o e-commerce é o principal canal de vendas: 52% dos clientes que fizeram compras na data no ano passado compraram em uma loja online. Além das lojas virtuais, o varejo tradicional e o setor de serviços também são beneficiados, pois aproveitam a disposição dos consumidores em encontrar boas ofertas para alavancar as vendas. Sua empresa está preparada para esta oportunidade? Confira quais são os elementos-chave para ser bem-sucedido na Black Friday e turbine seus negócios nesta sexta-feira, 23 de novembro.

Preço

O preço é determinante para o cliente da Black Friday. Segundo a pesquisa da Ebit|Nielsen, 57% das pessoas pesquisam os produtos de interesse online antes de concluir a aquisição. Cientes dos valores, elas não caem em ofertas enganosas que tentam empurrar produtos pela “metade do dobro”. Por isso, negocie preços com fornecedores, planeje as margens de lucro e ofereça ao seu cliente liquidações verdadeiras, com descontos reais.

Confiança

Uma das razões do crescimento do comércio online é o sentimento de segurança por parte dos clientes em fazer transações via internet. Se no passado era grande a desconfiança de fornecer dados do cartão de crédito às lojas virtuais, hoje há certificados e selos que aumentam a segurança das operações. Para conquistar o cliente, invista em sistemas confiáveis e crie uma operação logística sem furos para evitar problema no envio dos produtos. A entrega e o cumprimento do prazo são fundamentais para o sucesso da Black Friday.

Reputação

Comentários e opiniões de consumidores têm cada vez mais impacto na decisão da compra. Preze pela sua reputação na rede, ganhe elogios nos reviews e atraia novos clientes com esses relatos positivos. Mesmo que seu negócio seja presencial, aproveite os canais digitais e as redes sociais para divulgar ofertas e estreitar relações com seu público-alvo. Cultive clientes na Black Friday de olho na próxima grande data de vendas, o Natal.

A Norber é especialista em gestão de controle de ponto e desenvolve softwares que modernizam rotinas do RH. Para conhecer as funcionalidades do NewPonto, do NewMobile e de outras ferramentas, visite www.norber.com.br e fale com a Área Comercial.

Contratação temporária: como reforçar a equipe no fim do ano

O Natal é a principal data para o comércio. De olho no aumento das vendas, no fim do ano, os setores de varejo, indústria e serviços costumam reforçar as equipes com trabalhadores temporários, seja para melhorar o atendimento no ponto de venda ou acelerar a produção. Segundo estimativa da Associação Brasileira do Trabalho Temporário (Asserttem), 434,4 mil novos postos deste tipo devem ser abertos entre setembro e dezembro deste ano, uma alta de 10% em relação a 2017. Se sua empresa planeja abrir vagas temporárias, saiba como funciona este modelo e quais cuidados tomar na contratação.

O que é o trabalho temporário

É um tipo de contratação que visa atender a uma demanda sazonal, como acontece em muitas empresas no fim do ano, ou substituir provisoriamente um funcionário regular, como no caso de licença-maternidade. É uma alternativa para turbinar a força de trabalho em período específicos, dentro de um prazo flexível de no máximo 180 dias, que pode ser prorrogado por até mais 90 dias, se justificada a necessidade.

O trabalhador temporário tem os mesmos direitos do efetivo, como remuneração equivalente, horas extras, adicional noturno, repouso semanal remunerado, férias e 13º salário proporcionais, além de proteção previdenciária. Os direitos referentes à rescisão, como aviso prévio e multa do FGTS, não se aplicam a este modelo por se tratar de contrato com datas definidas de início e fim. Além de ser uma oportunidade para recolocação profissional rápida, é uma porta de entrada para efetivação.

Cuidados na contratação

A legislação determina que o temporário só pode ser admitido por intermédio de Empresas de Trabalho Temporário (ETT), que são responsáveis pela anotação na Carteira de Trabalho. O contrato celebrado pela ETT e a tomadora de serviços deve conter o motivo que justifica a contratação, assim como prazo e valor da prestação de serviço.

Qualquer que seja o ramo da empresa tomadora de serviços, não existe vínculo de emprego entre ela e os trabalhadores contratados. No entanto, para evitar eventual reclamação trabalhista, é importante verificar se a ETT está devidamente registrada na Junta Comercial e acompanhar se ela está cumprindo os pagamentos que determina a legislação. Vale lembrar que, mesmo a contratação sendo de responsabilidade da agência especializada, o trabalhador fica subordinado à empresa utilizadora do serviço contratado, devendo cumprir a jornada estabelecida e justificar atrasos e faltas.

A Norber é especialista em controle de ponto e desenvolve softwares para a marcação de horários de entrada e saída dos funcionários, auxiliando na gestão de frequência, tanto dos colaboradores efetivos como dos temporários. Para conhecer as funcionalidades do NewPonto, do NewMobile e de outras ferramentas, visite www.norber.com.br e fale com a Área Comercial.

eSocial: empresas de médio porte devem se cadastrar

Desde 16 de julho, empresas que faturam entre R$ 4,8 milhões e R$ 78 milhões por ano devem se cadastrar no eSocial. A obrigatoriedade para micro e pequenas empresas (com faturamento anual de até R$ 4,8 milhões) e para as MEIs foi postergada para novembro, mas a ferramenta já está disponível também para esse grupo.

A implementação para as empresas de médio porte se dará de forma escalonada, com as informações sendo incluídas gradativamente no sistema. Até 31 de agosto, os empregadores deverão enviar apenas dados de cadastro e tabelas das empresas. Em setembro, será a vez de incluir na plataforma informações sobre os trabalhadores e seus vínculos, como admissões, afastamentos e demissões. Finalmente, entre novembro e dezembro, deverão ser enviados dados referentes às remunerações dos trabalhadores e realizado o fechamento das folhas de pagamento.

Desde janeiro de 2018, o eSocial já é obrigatório para mais de 13 mil companhias de grande porte que possuem faturamento anual superior a R$ 78 milhões. Já para órgãos públicos, a adesão ao sistema começará em janeiro do ano que vem.

O que é o eSocial

O eSocial é o sistema do Governo Federal que coleta e armazena em um único ambiente digital as informações relacionadas à contratação de mão de obra, com ou sem vínculo empregatício. São seus objetivos garantir os direitos trabalhistas e previdenciários dos trabalhadores; simplificar para os empregadores o cumprimento das obrigações; e aprimorar a qualidade das informações fornecidas aos órgãos governamentais envolvidos (Caixa Econômica Federal, INSS, Receita Federal, Ministério da Previdência Social, Ministério do Trabalho e Emprego).

Como o eSocial afeta a minha empresa

Por unificar o envio de dados ao Governo Federal, o eSocial muda a forma como as empresas lidam com suas obrigações fiscais, tributárias, previdenciárias e trabalhistas. Mais que uma simples questão tecnológica, a implantação do novo sistema exige uma mudança cultural no ambiente administrativo, impactando diretamente o departamento de RH, assim como de TI, Finanças e Jurídico. Além de rever condutas fiscais e trabalhistas internas, as empresas devem dedicar especial atenção à coleta eficiente de dados e à capacitação dos profissionais envolvidos. As empresas que descumprirem o envio de informações por meio do eSocial estarão sujeitas a aplicação de penalidades e multa.

Como a Norber pode me ajudar

Especialista em gestão de controle de ponto, a Norber desenvolve ferramentas capazes de auxiliar o profissional de RH no gerenciamento e processamento das informações requeridas pelo eSocial. O NewPonto, por exemplo, é um software de controle de frequência que automatiza a folha de pagamento e permite a criação de uma nova rotina para verificar alterações de escala em períodos parametrizados. Para saber mais sobre as soluções que a Norber desenvolveu para o eSocial, visite www.norber.com.br e fale com a Área Comercial.

Employer branding: como fortalecer a imagem positiva entre os colaboradores

Você já parou para olhar a sua empresa pelos olhos dos funcionários? A imagem que eles têm do lugar em que trabalham é positiva? Tal como uma marca, uma organização precisa de uma boa reputação para ser desejada pelos profissionais do mercado. E é aí que entra o Employer Branding, conjunto de ações que visam fortalecer a imagem empregadora da empresa junto aos colaboradores e candidatos.

Geralmente encabeçada pelo RH, a estratégia de Employer Branding é traçada em conjunto com as áreas de Marketing, Comunicação e Assuntos Corporativos. O propósito é atrair e reter talentos a partir da construção de uma percepção positiva da empresa, assim como engajar os colaboradores e torná-los defensores do lugar onde trabalham.

Além de baixa taxa de rotatividade e, consequentemente, gastos reduzidos com processos seletivos e treinamentos, a empresa com boa reputação perante seus colaboradores é capaz de torná-los mais engajados e participativos nas atividades do dia a dia, aumentando a produtividade. Vale lembrar que a opinião de quem está dentro é de grande valor para o público externo, ou seja, também impacta fornecedores e clientes finais.

Mas, afinal, como aumentar o nível de satisfação dos funcionários e engajá-los através das técnicas de Employer Branding? Hoje, para ser atrativa, uma marca empregadora deve oferecer mais que remuneração adequada e benefícios compatíveis com o mercado. A questão financeira é importante, mas não suficiente. Cada vez mais, os profissionais buscam uma empresa que lhes ofereça oportunidade de crescimento e que esteja alinhada com seus propósitos pessoais.

Todos querem fazer parte de um time do qual se orgulham, certo? Por isso, para se diferenciar da concorrência, a marca empregadora deve ter clara a sua missão e, sobretudo, destacar seus valores imateriais, como ações socioambientais e de inclusão, comprometimento com a ética e a transparência, além de incentivo à criatividade e à inovação. Principalmente para a geração Millennial, jornadas de trabalho com flexibilidade de horário também costumam ser um diferencial atrativo.

Especialista em gestão de controle de ponto, a Norber desenvolve sistemas que modernizam rotinas organizacionais e permitem rotinas mais flexíveis. Um aplicativo como o NewMobile possibilita a marcação de ponto remotamente por meio de smartphone, de qualquer localidade e em tempo real. Para conhecer as funcionalidades desta ferramenta, visite www.norber.com.br e fale com a Área Comercial.

Profissional do futuro: habilidades exigidas na Economia 4.0

Cerca de 65% das crianças em idade escolar irá trabalhar em atividades que ainda nem sequer existem, segundo relatório do Fórum Econômico Mundial. Novas profissões serão criadas e outras desaparecerão, impactando radicalmente a sociedade e o mercado de trabalho.

Estudos como “Labor 2030: The Collision of Demographics, Automation and Inequality” da Bain & Company e “Workforce of the Future – the competing forces shaping 2030” da PwC traçam cenários para o futuro que se aproxima. Na Quarta Revolução Industrial, o envelhecimento da população, o aumento da urbanização e a escassez de recursos naturais são fatores que impulsionarão a criação de novos negócios voltados para um mercado cujos padrões de consumo serão também diferentes. A força por trás de toda essa mudança é o avanço exponencial e combinado de tecnologias como robótica, Inteligência Artificial e Internet das Coisas.

Mas, afinal, quais serão as habilidades profissionais requeridas num mundo em que atividades baseadas na rotina e na repetição provavelmente passarão a ser realizadas por robôs e outros elementos da automação? Segundo o estudo da PwC, “funções intelectuais exercidas por profissionais com características como liderança, inteligência emocional, criatividade e capacidade de resolver problemas deverão ser mais valorizadas”.

Para ganhar competitividade, as empresas investirão cada vez mais em automação, cruzamento de dados e novas tecnologias, sem deixar de monitorar possibilidades e riscos. Também buscarão alavancar a produtividade incentivando a inovação e, dessa forma, sairá na frente o profissional com capacidade de criar soluções, atuar de modo colaborativo e se adaptar às mudanças. Mais do que nunca, os gestores deverão estar atentos à capacitação de suas equipes, assim como na retenção dos talentos mais qualificados. Além disso, a flexibilidade da jornada de trabalho deverá fazer parte da rotina das corporações, com os colaboradores atuando remotamente e em projetos específicos, em times multidisciplinares com ampla diversidade geográfica e cultural.

Especialista em gestão de controle de ponto, a Norber desenvolve soluções que otimizam processos organizacionais. O NewPontoCloud automatiza a marcação dos horários de entrada e saída dos funcionários e integra as informações à folha de pagamento, agregando funções customizáveis às diversas áreas de sua empresa. Já o NewMobile permite a marcação de ponto remoto por meio de smartphone, de qualquer localidade e em tempo real. Para conhecer as funcionalidades destas e outras ferramentas, visite www.norber.com.br e fale com a Área Comercial.

Programas de recompensa: estratégia para fidelizar o cliente

Satisfazer o cliente não é o mesmo que fidelizar. Para manter o consumidor fiel a marcas ou empresas, apenas oferecer um produto de qualidade pode não bastar. Atualmente, o desafio da fidelização está em gerar encantamento e fazer do cliente satisfeito um verdadeiro porta-voz do seu negócio. Uma estratégia adotada por muitas companhias é a criação de programas de fidelidade, iniciativa que pode ajudar a construir relacionamentos duradouros e a promover uma experiência diferenciada.

Ofereça vantagens reais

Clientes leais esperam ser devidamente recompensados. Para valorizar aqueles que se identificam com o seu negócio e sempre voltam, vale investir em ações de relacionamento. Estimule a compra frequente com um programa de fidelidade que ofereça vantagens reais, como descontos e ofertas exclusivas. A antecipação de lançamentos e convites para eventos especiais, por exemplo, demonstram ao cliente que sua empresa o prestigia.

Promova ações personalizadas

O cadastro do cliente, assim como seu histórico de compras, fornece uma série de dados que mostram seus gostos e hábitos de consumo. Faça uso destes dados, acrescente uma dose de criatividade e promova ações personalizadas. Se seu cliente é comprador de livros de botânica, ofereça a ele um curso de jardinagem! Conhecendo os desejos e necessidades do consumidor é possível reforçar o vínculo entre ele e sua empresa, gerando um maior engajamento.

Satisfação em primeiro lugar

De nada adianta oferecer descontos ou benefícios se a experiência de compra deixa a desejar. Independentemente destas vantagens, o cliente não volta quando está descontente com o produto ou com o atendimento. Abra canais de comunicação e dê atenção às avaliações do consumidor. Com isso, você aprimora o serviço oferecido, estabelece conexões e fideliza o cliente, evitando uma fuga para a concorrência.

Especialista em gestão de controle de frequência, a Norber desenvolve soluções customizadas, atendendo demandas específicas de seus clientes. Além de produtos sob medida, a empresa acompanha todo o processo de implantação do software, realiza treinamentos e disponibiliza um help desk diferenciado, pronto para oferecer suporte qualificado ao usuário. Para conhecer as funcionalidades do NewPonto e de outros produtos, visite www.norber.com.br e fale com a Área Comercial.

 

Programas de recompensa: estratégia para fidelizar o cliente
Programas de recompensa: estratégia para fidelizar o cliente

 

6 dicas para gerenciar o tempo

Estar sempre ocupado não significa necessariamente ser produtivo. Diante de um dia a dia repleto de tarefas, saber utilizar o tempo de modo adequado é um dos desafios do ambiente corporativo. Confira essas dicas para otimizar sua jornada de trabalho e alcançar melhores resultados.

  1. Organize sua rotina

Dedique alguns minutos do seu dia para organizar sua agenda. Liste os telefonemas que precisa fazer, os relatórios a entregar, as reuniões a participar. Com esse planejamento, que pode ser diário, semanal e até mensal, você consegue priorizar atividades e gerenciar seu tempo com mais eficácia.

  1. Elimine distrações

Ficar checando a caixa de e-mails, as redes sociais e as mensagens de WhatsApp a todo momento tira a concentração. Elimine distrações silenciando alertas e reserve horários para checar mensagens e respondê-las. Ao manter o foco e afastar o que prejudica o fluxo de trabalho, o tempo certamente vai render mais.

  1. Fuja da procrastinação

Não deixe para amanhã o que pode fazer hoje. A procrastinação é um dos males do ambiente corporativo, um comportamento inadequado que deve ser combatido. Coloque a mão na massa e resolva imediatamente o que pode ser resolvido. Há algo mais complexo, que exige o apoio de terceiros? Peça auxílio ao profissional competente e coloque o projeto em andamento. O importante é não postergar.

  1. Conclua as tarefas

Estabeleça um deadline para concluir as tarefas. Ao prever uma data limite e colocar um ponto final em determinado assunto, você fica livre para assumir outras responsabilidades. Seja claro e objetivo. Isso vale para reuniões, que às vezes se prolongam além da pauta.

  1. Faça pausas para descanso

Tão importante quanto se manter concentrado é fazer pausas para descansar a mente. Quando se sentir cansado ou com bloqueio criativo, permita-se parar por 5 ou 10 minutos. Tomar um café ou trocar ideia com um colega pode ajudar a retomar o trabalho com mais foco e inspiração.

  1. Use ferramentas de mobilidade

A tecnologia está aí para nos auxiliar. Hoje, smartphones conectados à Internet permitem responder e-mails, compartilhar arquivos, agendar reuniões e até mesmo bater o ponto remotamente. Adote ferramentas de mobilidade corporativa no seu dia a dia, ganhe minutos valiosos e alavanque a produtividade.

Especialista em gestão de controle de frequência, a Norber desenvolve soluções que vão de encontro às necessidades de economia de tempo nas organizações modernas. O NewMobile é um software que permite a marcação de ponto remoto por meio de smartphone, de qualquer localidade e em tempo real. Operando via GPS, ele informa a localização onde o ponto é marcado e delimita o perímetro da marcação, otimizando a rotina do funcionário. Para conhecer as funcionalidades do NewMobile e outras ferramentas, visite www.norber.com.br e fale com a Área Comercial.

6 dicas para gerenciar o tempo
6 dicas para gerenciar o tempo

 

 

4 dicas para cumprir metas profissionais no Ano Novo

O fim do ano é o momento de fazer balanços e estabelecer novas metas para os doze meses que estão por vir. Neste período, renovamos a nossa lista de coisas para realizar – e, não raro, nos frustramos ao verificar que não tiramos do papel tudo o que havíamos planejado. A razão do insucesso pode estar tanto na definição da meta, como na execução do plano de ação. Confira um passo a passo para tornar realidade suas metas profissionais, sejam individuais ou dos negócios.

  1. Defina uma meta clara

A primeira dica é estabelecer com clareza o objetivo a ser alcançado. Uma boa maneira de fazer isso é seguir a metodologia SMART, que propõe que a meta seja específica, mensurável, atingível, relevante e temporal. Ao observar estas características, você potencializa a chance de chegar aos resultados esperados. Vale lembrar que uma boa meta deve estar alinhada ao objetivo estratégico do negócio.

  1. Divida a meta em etapas

Se o seu objetivo for, por exemplo, implantar um novo sistema de gestão na empresa até meados de 2018, fatie a meta em etapas menores. Para começar o projeto, você deve avaliar as necessidades da companhia. Na próxima etapa, pode consultar fornecedores de software para, em seguida, aprovar o orçamento com os responsáveis. Por fim, vai acompanhar a implantação e testar o funcionamento do novo sistema. Vencer cada etapa não apenas mantém a motivação da equipe em alta como permite monitorar o andamento do projeto.

  1. Planeje e execute a estratégia

Lembre-se que meta é o fim, não o meio. Criar um plano de ação e, claro, executar a estratégia colocando a mão na massa são passos importantes na trajetória rumo ao objetivo. Ainda que surjam obstáculos ao longo do caminho, não desista. Se sua meta é aprender uma nova língua, mas falta tempo para frequentar uma escola de idiomas tradicional, procure alternativas flexíveis. Quando preciso, mude a rota com soluções criativas. Faça ajustes, mantenha o foco e não desanime.

  1. Mensure resultados e atribua recompensas

Vincular a meta a indicadores de desempenho é um modo de mensurar conquistas individuais e manter a equipe alinhada a um objetivo comum. Além disso, é positivo associar a contribuição do colaborador ou da equipe a um sistema de recompensas, estimulando a busca por resultados e elevando o nível de satisfação ao atingir a meta.

Especialista em gestão de controle de ponto, a Norber produz softwares que integram o controle de ponto à folha de pagamento, auxiliando o departamento de RH na definição de metas assertivas. O registro de entrada e saída dos colaboradores fornecido pelo NewPonto, por exemplo, gera dados acerca do quadro de funcionários que pode servir para determinar metas e mensurar a evolução do processo. Para conhecer as funcionalidades desta ferramenta, visite www.norber.com.br e fale com a Área Comercial.

4 dicas para cumprir metas profissionais no Ano Novo
4 dicas para cumprir metas profissionais no Ano Novo

A importância das relações interpessoais no trabalho

Você já sofreu uma “puxada de tapete”? Já sentiu que o comportamento de um colega afetava o clima a ponto de prejudicar o trabalho dos profissionais ao redor? No ambiente corporativo, relações interpessoais podem tornar o dia a dia mais leve ou mais pesado, influenciando diretamente o rendimento da equipe e, consequentemente, os resultados dos negócios. Relações baseadas na colaboração e na competição saudável são chaves para a construção de uma rotina mais harmoniosa e produtiva.

Relações colaborativas

No ambiente de trabalho, lidamos com pares diretos, com gestores e também com profissionais de diferentes áreas em nossas organizações. Cada uma destas relações se estabelece sob dinâmicas particulares, impondo desafios que podem envolver conflitos de interesses entre departamentos, imposição de autoridade por parte da liderança e, até mesmo, competição entre colegas. Para contornar problemas, o colaborador deve aprimorar sua habilidade relacional. Colocar-se no lugar do outro praticando a empatia, alinhar expectativas e manter uma comunicação direta e eficiente são componentes importantes para cultivar relações mais colaborativas do que competitivas.

O papel do RH

É papel do RH estimular as boas relações interpessoais e propor ações que promovam a construção de um ambiente que respeite os objetivos pessoais e profissionais dos colaboradores. Além de fornecer treinamentos comportamentais, o RH pode realizar pesquisas de clima para verificar percepções, melhorando pontos que incomodam os colaboradores. Também é fundamental estabelecer uma avaliação de desempenho coerente. Quando há regras claras sobre resultados a atingir e metas a alcançar, assim como normas sobre promoção, estabelece-se uma competitividade saudável na organização.

Especialista em controle de frequência, a Norber desenvolve soluções que visam a melhoria de processos voltados à gestão de pessoas. O NewPonto é um software que integra o controle de ponto à folha de pagamento, otimizando tarefas administrativas. Para conhecer as funcionalidades desta ferramenta, visite www.norber.com.br e fale com a Área Comercial.

A importância das relações interpessoais no trabalho
A importância das relações interpessoais no trabalho

eSocial: Confira as 5 fases de implantação do programa

O eSocial está prestes a começar. A resolução de 30 de novembro do Comitê Diretivo do eSocial manteve para janeiro de 2018 a obrigatoriedade para companhias que faturaram mais de 78 milhões de reais em 2016, e estabeleceu que o envio das informações será feito de maneira gradual, em fases. Esse grupo representa 13.707 empresas e cerca de 15 milhões de trabalhadores.

Para os demais empregadores, como micro e pequenas empresas e MEIs, o eSocial começa a valer em 16 de julho de 2018. Já para órgãos públicos, a obrigatoriedade terá início em janeiro de 2019. As empresas que optarem pela antecipação têm até o dia 20 de dezembro para fazê-lo, utilizando certificado digital.

5 fases de implantação

Para facilitar a adaptação das empresas ao ambiente digital, a implantação do eSocial será feita em 5 fases. Na primeira, as companhias devem enviar apenas informações relativas às empresas, isto é, cadastros do empregador e tabelas. Na segunda, devem registrar informações dos trabalhadores e seus vínculos (eventos não periódicos), como admissões, afastamentos e desligamentos. O envio das folhas de pagamento torna-se obrigatório na terceira fase. A substituição da GFIP (Guia de Informações à Previdência Social) e a compensação cruzada acontecem na quarta fase. Na quinta e última, devem ser enviados os dados de segurança e saúde do trabalhador.

Fonte: portal.esocial.gov.br

O que é o eSocial

O eSocial é o sistema do Governo Federal que coleta e armazena em um único ambiente digital as informações relacionadas à contratação de mão de obra, com ou sem vínculo empregatício. São seus objetivos: garantir os direitos trabalhistas e previdenciários dos trabalhadores; simplificar para os empregadores o cumprimento das obrigações; e aprimorar a qualidade das informações fornecidas aos órgãos governamentais envolvidos (Caixa Econômica Federal, INSS, Receita Federal, Ministério da Previdência Social, Ministério do Trabalho e Emprego).

Como o eSocial afeta a minha empresa

Por unificar o envio de dados ao Governo Federal, o eSocial vai mudar a forma como as empresas lidam com suas obrigações fiscais, tributárias, previdenciárias e trabalhistas. Mais que uma simples questão tecnológica, a implantação do novo sistema exigirá uma mudança cultural no ambiente administrativo, impactando diretamente o departamento de RH, assim como de TI, Finanças e Jurídico. Além de rever condutas fiscais e trabalhistas internas, as empresas devem dedicar especial atenção à coleta eficiente de dados e à capacitação dos profissionais envolvidos. As empresas que descumprirem o envio de informações por meio do eSocial estarão sujeitas a aplicação de penalidades e multa.

Como a Norber pode me ajudar

Especialista em gestão de controle de ponto, a Norber desenvolve ferramentas capazes de auxiliar o profissional de RH no gerenciamento e processamento das informações requeridas pelo eSocial. O NewPonto, por exemplo, é um software de controle de frequência que automatiza a folha de pagamento e permite a criação de uma nova rotina para verificar alterações de escala em períodos parametrizados. Para saber mais sobre as soluções que a Norber desenvolveu para o eSocial, visite www.norber.com.br e fale com a Área Comercial.

eSocial: Confira as 5 fases de implantação do programa
eSocial: Confira as 5 fases de implantação do programa