eSocial: Confira as 5 fases de implantação do programa

eSocial: Confira as 5 fases de implantação do programa

O eSocial está prestes a começar. A resolução de 30 de novembro do Comitê Diretivo do eSocial manteve para janeiro de 2018 a obrigatoriedade para companhias que faturaram mais de…

O eSocial está prestes a começar. A resolução de 30 de novembro do Comitê Diretivo do eSocial manteve para janeiro de 2018 a obrigatoriedade para companhias que faturaram mais de 78 milhões de reais em 2016, e estabeleceu que o envio das informações será feito de maneira gradual, em fases. Esse grupo representa 13.707 empresas e cerca de 15 milhões de trabalhadores.

Para os demais empregadores, como micro e pequenas empresas e MEIs, o eSocial começa a valer em 16 de julho de 2018. Já para órgãos públicos, a obrigatoriedade terá início em janeiro de 2019. As empresas que optarem pela antecipação têm até o dia 20 de dezembro para fazê-lo, utilizando certificado digital.

5 fases de implantação

Para facilitar a adaptação das empresas ao ambiente digital, a implantação do eSocial será feita em 5 fases. Na primeira, as companhias devem enviar apenas informações relativas às empresas, isto é, cadastros do empregador e tabelas. Na segunda, devem registrar informações dos trabalhadores e seus vínculos (eventos não periódicos), como admissões, afastamentos e desligamentos. O envio das folhas de pagamento torna-se obrigatório na terceira fase. A substituição da GFIP (Guia de Informações à Previdência Social) e a compensação cruzada acontecem na quarta fase. Na quinta e última, devem ser enviados os dados de segurança e saúde do trabalhador.

Fonte: portal.esocial.gov.br

O que é o eSocial

O eSocial é o sistema do Governo Federal que coleta e armazena em um único ambiente digital as informações relacionadas à contratação de mão de obra, com ou sem vínculo empregatício. São seus objetivos: garantir os direitos trabalhistas e previdenciários dos trabalhadores; simplificar para os empregadores o cumprimento das obrigações; e aprimorar a qualidade das informações fornecidas aos órgãos governamentais envolvidos (Caixa Econômica Federal, INSS, Receita Federal, Ministério da Previdência Social, Ministério do Trabalho e Emprego).

Como o eSocial afeta a minha empresa

Por unificar o envio de dados ao Governo Federal, o eSocial vai mudar a forma como as empresas lidam com suas obrigações fiscais, tributárias, previdenciárias e trabalhistas. Mais que uma simples questão tecnológica, a implantação do novo sistema exigirá uma mudança cultural no ambiente administrativo, impactando diretamente o departamento de RH, assim como de TI, Finanças e Jurídico. Além de rever condutas fiscais e trabalhistas internas, as empresas devem dedicar especial atenção à coleta eficiente de dados e à capacitação dos profissionais envolvidos. As empresas que descumprirem o envio de informações por meio do eSocial estarão sujeitas a aplicação de penalidades e multa.

Como a Norber pode me ajudar

Especialista em gestão de controle de ponto, a Norber desenvolve ferramentas capazes de auxiliar o profissional de RH no gerenciamento e processamento das informações requeridas pelo eSocial. O NewPonto, por exemplo, é um software de controle de frequência que automatiza a folha de pagamento e permite a criação de uma nova rotina para verificar alterações de escala em períodos parametrizados. Para saber mais sobre as soluções que a Norber desenvolveu para o eSocial, visite www.norber.com.br e fale com a Área Comercial.

eSocial: Confira as 5 fases de implantação do programa

eSocial: Confira as 5 fases de implantação do programa

5 dicas para evitar gafes na festa da empresa

5 dicas para evitar gafes na festa da empresa

Com o fim do ano se aproximando tem início a temporada de festas de confraternização. Do churrasco do departamento ao amigo secreto, passando por eventos que são megaproduções, a “festa…

Com o fim do ano se aproximando tem início a temporada de festas de confraternização. Do churrasco do departamento ao amigo secreto, passando por eventos que são megaproduções, a “festa da firma” é a chance de estreitar vínculos e se divertir com colegas em um ambiente descontraído. Mas há quem exagera na bebida e acaba amargando uma ressaca moral nos dias seguintes. Lembre-se que festa da empresa não é balada e que seu comportamento será inevitavelmente observado. Confira dicas para não cometer nenhuma gafe na confraternização.

  1. Participe sempre

Ainda que a participação em festas de confraternização não seja uma obrigação, aceite o convite. Sua presença pode ser esperada pelos gestores e é sinal de prestigio. A ausência, por outro lado, pode aparentar falta de comprometimento.

  1. Não exceda na bebida

Você não quer se tornar o assunto dos colegas nos dias seguintes à festa, certo? Então modere na dose de bebidas alcoólicas, que sempre acabam gerando comportamentos inadequados. Curta a festa sem se exceder e lembre-se: se beber, não dirija.

  1. Use roupas discretas

Assim como a “casual Friday”, a confraternização da empresa não é lugar para um dress code demasiado informal. Você está entre colegas de trabalho – e não entre amigos. Evite roupas curtas e decotes, assim como combinações que prejudiquem sua credibilidade.

  1. Misture-se

Aproveite a oportunidade para fazer networking, estreitar relacionamentos e mostrar suas habilidades interpessoais. Fuja das “panelinhas” e procure interagir com pessoas além de seu grupo habitual. Seja agradável e cordial, aborde assuntos como férias e hobbies e evite temas polêmicos.

  1. Evite brincadeiras de mau gosto

Você pode até ser bastante amigo de seu colega ou gestor, mas não abuse da intimidade. Piadas de mau gosto, apelidos e flertes podem pegar mal e comprometer sua imagem. Em época de selfies e redes sociais, a foto ou vídeo de uma gafe pode causar transtornos irreparáveis. Bom senso é fundamental.

Especialista em controle de frequência, a Norber desenvolve soluções que visam a melhoria de processos voltados à gestão de pessoas. O NewPonto é um software que integra o controle de ponto à folha de pagamento, otimizando tarefas administrativas. Para conhecer as funcionalidades desta ferramenta, visite www.norber.com.br e fale com a Área Comercial.

5 dicas para evitar gafes na festa da firma

5 dicas para evitar gafes na festa da firma

Inteligência Artificial: impactos e benefícios para os negócios

Inteligência Artificial: impactos e benefícios para os negócios

Há poucos anos, carros autônomos eram vistos como uma fantasia de ficção científica. Hoje, com a corrida tecnológica mais acirrada, ninguém duvida que é uma questão de tempo para que…

Há poucos anos, carros autônomos eram vistos como uma fantasia de ficção científica. Hoje, com a corrida tecnológica mais acirrada, ninguém duvida que é uma questão de tempo para que veículos que dispensam motoristas estejam nas ruas. Do mesmo modo, quando a Netflix ou Amazon nos recomendam um filme para assistir ou um livro para comprar, por trás dessa escolha estão algoritmos de aprendizagem de máquina. Essas aplicações, cada vez mais presentes no dia a dia, têm em comum a Inteligência Artificial, softwares programados para detectar padrões e “aprender” à medida que são usados (machine learning e deep learning).

Investimento em tecnologia

A Inteligência Artificial é uma das tecnologias que estão provocando uma nova revolução industrial. O estudo “O Futuro da Indústria” da consultoria PWC indica que empresas de todos os segmentos devem estar preparadas para ampliar os horizontes porque a competitividade, nos próximos anos, será determinada por tecnologias avançadas que geram redução de custos e ganho de eficiência. O investimento por parte das empresas, portanto, será cada vez maior. O banco suíço Julius Baer estima que o faturamento da indústria de Inteligência Artificial deve aumentar 50% ao ano, em média, e chegar a 130 bilhões de dólares até 2025.

Riscos e benefícios

Se, de um lado, a inteligência da máquina pode automatizar tarefas repetitivas e auxiliar na solução de diversos problemas, de outro pode ameaçar milhões de empregos. Recentemente, o cientista britânico Stephen Hawking disse que a Inteligência Artificial “pode ser a pior ou a melhor coisa que já aconteceu para a humanidade”, juntando-se ao debate sobre os riscos e benefícios da tecnologia. “Nós simplesmente precisamos estar cientes dos perigos, identifica-los, empregar a melhor prática e gestão possíveis e nos preparar para suas consequências com muita antecedência”, disse.

Futuro do trabalho

A aplicação da Inteligência Artificial terá cada vez mais impacto na rotina das corporações, alterando modos de trabalho. Tarefas antes feitas por humanos, como redigir uma petição ou selecionar currículos para processos seletivos, começam a ser realizadas por sistemas baseados em algoritmos. Em todas as áreas, processos repetitivos poderão ser feitos por softwares, o que tornará o trabalho humano mais valioso e estratégico, exigindo habilidades como empatia e criatividade.

Especialista em controle de frequência, a Norber desenvolve soluções que modernizam processos voltados à gestão de pessoas. O NewPonto é um software que integra o controle de ponto à folha de pagamento, automatizando tarefas do RH. Para conhecer as funcionalidades desta ferramenta, visite www.norber.com.br e fale com a Área Comercial.

Inteligência Artificial: impactos e benefícios para os negócios

Inteligência Artificial: impactos e benefícios para os negócios

Big Data e os benefícios para o seu negócio

Big Data e os benefícios para o seu negócio

Como a análise de dados beneficia a gestão de pessoas Dados são matéria-prima para qualquer análise. Atualmente, com a tecnologia gerando um imenso volume de dados, as empresas têm em…

Como a análise de dados beneficia a gestão de pessoas

Dados são matéria-prima para qualquer análise. Atualmente, com a tecnologia gerando um imenso volume de dados, as empresas têm em mãos uma fonte quase inesgotável de informação que, mensurada e transformada em conhecimento, conduz a decisões mais acertadas.

Do perfil do consumidor a estratégias para aumentar a competitividade, o Big Data tem ampla utilização e assertividade em áreas como Vendas, Logística e Marketing. Aplicado ao RH, é conhecido como “People Analytics” e tem como função auxiliar o aproveitamento e desenvolvimento do capital humano, contribuindo para o crescimento do negócio.

Dados e pessoas

Diversas fontes digitais, como histórico de navegação, uso de redes sociais e registros de e-mails, geram dados sobre padrões de comportamento dos colaboradores no ambiente de trabalho. Tais dados, somados a pesquisas qualitativas, podem revelar, por exemplo, quais fatores tornam os funcionários mais motivados e produtivos.

Em outras palavras: o Big Data utiliza dados concretos e elimina “achismos” na gestão de pessoas, seja na hora de traçar estratégias em longo prazo ou no momento de criar soluções para questões específicas, como dificuldade na retenção de talentos ou baixo engajamento dos profissionais.

Tecnologia como aliada

Com softwares especializados, o RH tem ferramentas adequadas para processar informações e chegar a conclusões que colaboram para a tomada de decisões sobre contratações, cortes de gastos e capacitação dos profissionais. Vai promover alguém a uma vaga específica? A análise de dados pode auxiliar líderes a encontrarem o profissional que melhor irá desempenhar a função. O cruzamento de dados também pode, por exemplo, ajudar a entender motivos relacionados a faltas e atrasos e, consequentemente, orientar programas efetivos para redução de taxas de turnover e absenteísmo.

Especialista em gestão de controle de ponto, a Norber desenvolve soluções que geram dados importantes para um gerenciamento de pessoas mais efetivo. O NewPonto é um software de controle de frequência que integra o registro de entrada e saída dos colaboradores à folha de pagamento, fornecendo informações relevantes para o RH. Para conhecer as funcionalidades do NewPonto e de outros produtos, visite www.norber.com.br e fale com a Área Comercial.

Big Data e os benefícios para os negócios.

Big Data e os benefícios para os negócios.

5 dicas de ouro para vender mais na Black Friday

5 dicas de ouro para vender mais na Black Friday

Você está preparado para fazer as vendas da sua empresa bombarem na Black Friday? Conhecida mundialmente, essa data comercial se instalou no Brasil em 2010 e desde então tem crescido…

Você está preparado para fazer as vendas da sua empresa bombarem na Black Friday? Conhecida mundialmente, essa data comercial se instalou no Brasil em 2010 e desde então tem crescido em vendas e número de empresas participantes. Segundo pesquisa do Ebit, o comércio eletrônico brasileiro faturou R$ 1,9 bilhão na Black Friday em 2016, e eletrodomésticos, seguidos de celulares, foram as categorias mais vendidas. Para 2017 estima-se um aumento de 15% nas vendas. Além das lojas virtuais, o varejo tradicional também aproveita a ocasião para atrair novos clientes – e a sua empresa não vai perder essa oportunidade, certo? Veja como alavancar suas vendas no dia 24, última sexta-feira de novembro/2017.

  1. Faça promoções reais

O cliente sabe o valor do produto que deseja comprar e está cada vez mais atento e exigente. Subir o preço nas semanas anteriores à Black Friday para depois baixar é a maior furada, e só aumenta a desconfiança do consumidor. Por isso, analise suas margens de lucro, negocie condições com fornecedores e só ofereça descontos reais. Você não quer que sua empresa fique conhecida como “Black Fraude”, certo?

  1. Prepare seu estoque

Datas especiais como a Black Friday são ocasiões excelentes para movimentar o estoque e liquidar coleções antigas. Faça um plano de ação antecipadamente, esteja preparado para lidar com volumes grandes e, principalmente, venda só o que pode entregar. Caso não tenha produtos de grande demanda em quantidade suficiente, certifique-se que seu fornecedor lhe entregará dentro do prazo. Antecipe seu planejamento para aproveitar ao máximo a oportunidade de venda.

  1. Seja pontual na entrega

O prazo de entrega é determinante para a decisão de compra, principalmente no e-commerce. Seja pontual com seu cliente, e evite multas e reclamações. Segundo a Ebit, o prazo médio de entrega é de 8 dias na Black Friday. Para atender um fluxo de vendas maior, reforce a capacidade logística da sua empresa e, se preciso, faça novas parcerias.

  1. Atenção às obrigações fiscais

Com o volume de compras e de vendas aumentado, maior será também o número de documentos fiscais referentes a essas transações. Tenha um controle preciso das notas fiscais, verifique quantidades e valores que entram e saem, confira o pagamento de impostos e tributos. É preciso estar em dia com as obrigações fiscais – e, na Black Friday, vale a pena redobrar a atenção.

  1. Reforce sua equipe

Foque no atendimento, seja ele online ou presencial. Se seu negócio é virtual, verifique a capacidade de carregamento do seu site, invista em marketing e ofereça ao cliente um suporte para eventuais dúvidas. No caso de lojas físicas, treine sua equipe e, se necessário, monte uma “força-tarefa”. Em ambos os casos, fique atento às horas extras que a demanda adicional pode gerar e procure soluções em conjunto com seu contador ou com o RH.

Especialista em gestão de controle de ponto, a Norber desenvolve soluções que auxiliam o RH na apuração das jornadas de trabalho e no cumprimento das obrigações trabalhistas. O NewPonto é um software de controle de frequência que integra os registros de entrada e saída dos funcionários à folha de pagamento. Para conhecer todas as funcionalidades desta ferramenta, visite www.norber.com.br e fale com a Área Comercial.

5 dicas de ouro para vender mais na Black Friday

5 dicas de ouro para vender mais na Black Friday

Turnover: como evitar a saída dos melhores da empresa

Turnover: como evitar a saída dos melhores da empresa

Perder um colaborador de alto desempenho para a concorrência gera impactos negativos em qualquer negócio, principalmente quando se trabalha com equipes enxutas. Ainda que a retração econômica possa ter diminuído…

Perder um colaborador de alto desempenho para a concorrência gera impactos negativos em qualquer negócio, principalmente quando se trabalha com equipes enxutas. Ainda que a retração econômica possa ter diminuído a rotatividade devido à menor oferta de vagas no mercado, é importante conseguir reter aquele talento cujo papel pode ser decisivo na retomada do crescimento. Conheça as causas do turnover e saiba como reduzi-lo.

Causas e impactos

A saída repentina de profissionais de alto desempenho afeta a produtividade e também gera custos para a empresa. Além de gastos relacionados à rescisão dos contratos, há despesas com a contratação e o treinamento de outros profissionais. Os principais motivos que desmotivam o colaborador a permanecer na equipe são: insatisfação com o trabalho, inadequação à vaga, estagnação ou impossibilidade de crescimento, remuneração abaixo do mercado e clima organizacional ruim.

Como reduzir

O primeiro passo para reduzir o turnover é analisar os índices de rotatividade e identificar em quais áreas ou departamentos os sucessivos desligamentos são mais frequentes. Uma pesquisa de clima pode trazer informações relevantes sobre as causas, que podem ser desde uma dificuldade de relacionamento com o gestor até insatisfação com o salário. Uma vez detectada a causa, o RH deve entrar em campo propondo soluções adequadas.

Especialista em gestão de controle de ponto, a Norber dispõe de ferramentas que auxiliam as empresas a baixarem o índice de rotatividade dos funcionários, gerando economia. Com um software de controle de frequência como o NewPonto, o RH tem acesso a dados de extrema importância para a realização de ações efetivas visando a redução do turnover. Para conhecer as funcionalidades do NewPonto e de outros produtos, visite www.norber.com.br e fale com a Área Comercial.

Turnover: como evitar a saída dos melhores da empresa

Turnover: como evitar a saída dos melhores da empresa

5 dicas para turbinar sua carreira em TI

5 dicas para turbinar sua carreira em TI

Implementação de sistemas, Big Data, cloud computing e segurança digital tornam-se cada vez mais necessários dentro dos planos de crescimento das empresas. Para suprir as novas demandas dentro de um…

Implementação de sistemas, Big Data, cloud computing e segurança digital tornam-se cada vez mais necessários dentro dos planos de crescimento das empresas. Para suprir as novas demandas dentro de um cenário tecnológico em constante transformação, o profissional de TI tem que acompanhar essa evolução. Veja como turbinar sua carreira e deixar de ser visto apenas como “o cara do computador”.

  1. Vire “o” especialista

Entenda por onde caminha o mercado, identifique um assunto de que goste e aprofunde-se. Dedicar-se a um tema a ponto de se tornar uma referência vai ajudá-lo a se destacar na carreira, principalmente se seu conhecimento estiver alinhado às necessidades da empresa. Em áreas técnicas, profissionais especialistas são bastante valorizados porque sabem o que outros não sabem.

  1. Domine o inglês

Yes, you can! Dominar o inglês é pré-requisito na área de TI. Além de ser a língua universal do mundo dos negócios, é também a da programação. Como muitos termos são em inglês, não tem como escapar. Ao dominar o idioma, você consegue ler artigos e livros técnicos, se comunicar com a sede da empresa no exterior, consultar os manuais das novas ferramentas. Certamente, terá acesso a uma infinidade de conteúdo – e isso é a bagagem que você precisa para se especializar.

  1. Esteja sempre atualizado

As coisas realmente mudam muito rapidamente em tecnologia. Para estar sempre atualizado com o que é tendência, seja curioso, acompanhe discussões em mídias especializadas e mantenha contato com outros profissionais. Em uma área que se transforma a todo instante, achar que já sabe tudo definitivamente não o fará avançar.

  1. Conquiste tempo de voo

Assim como a experiência de um piloto é medida por seu tempo de voo, o conhecimento que você adquire trabalhando numa empresa conta muito para torna-lo um profissional melhor. É botando a mão na massa que você entende como projetos funcionam e como problemas são solucionados no dia a dia. Ao aplicar a teoria na prática, você ganha experiência e se prepara para tomar decisões cada vez mais importantes.

  1. Desenvolva habilidades interpessoais

De nada adianta ter conhecimento e não saber trabalhar em equipe. Para crescer na carreira, deixe a timidez de lado e comece já a se relacionar com as pessoas. É falando com o gestor, conquistando o apoio de colegas e gerenciando bem seu tempo que você vai tirar do papel aquela sua ideia genial. Tem dificuldade em se comunicar? Como qualquer outra habilidade, a comunicacional pode e deve ser desenvolvida.

Especialista em gestão de controle de ponto, a Norber atua como parceira tecnológica. Além de desenvolver soluções customizadas, dispõe de profissionais para acompanhar todas as etapas do processo, da implantação do software ao suporte técnico. Para conhecer produtos como o NewPonto, visite www.norber.com.br e fale com a Área Comercial.

5 dicas para turbinar sua carreira em TI

5 dicas para turbinar sua carreira em TI

O que muda com a Reforma Trabalhista

O que muda com a Reforma Trabalhista

A Lei nº 13.467/2017 alterou diversos pontos da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). As empresas, independentemente do porte, devem se adaptar às novas regras, que impactam as relações de…

A Lei nº 13.467/2017 alterou diversos pontos da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). As empresas, independentemente do porte, devem se adaptar às novas regras, que impactam as relações de trabalho. Conheça as principais mudanças, que passam a valer a partir de 11 de novembro.

Acordado sobre legislado
Acordos firmados entre empresas e sindicatos passam a ter força de lei para questões como jornada de trabalho, participação nos lucros e banco de horas. Não entram nessa lista direitos essenciais, como FGTS, férias proporcionais e décimo terceiro salário.

Jornada de trabalho
Mediante acordo individual ou coletivo, a jornada de oito horas diárias pode ser ampliada para doze, desde que respeite 36 horas ininterruptas de descanso e que não ultrapasse 48 horas semanais.

Contrato temporário
Foi ampliado de 90 para 180 dias, podendo ser prorrogado por outros 90 dias. Os direitos do trabalhador temporário são equivalentes aos do trabalhador em regime CLT. No entanto, em caso de demissão sem justa causa, o temporário não recebe o valor rescisório.

Trabalho parcial e intermitente
A jornada parcial foi ampliada para até 30 horas semanais, sem horas extras, ou 26 horas semanais, com até 6 horas extras por semana. Já o trabalho intermitente, que não era previsto na CLT, passa a ser autorizado. Nesse modelo, a prestação de serviço é feita de modo descontinuado, isto é, o empregado trabalha por períodos alternados, recebendo pelas horas, dias ou períodos trabalhados.

Home office
O teletrabalho, isto é, a prestação de serviço fora das dependências da empresa, passa a ser regulada. A esse modelo do tipo home office não se aplicam o controle de jornada e nem as horas extras.

Rescisão por acordo
Em caso de demissão consensual, o aviso prévio indenizado é de 15 dias e a multa do FGTS é de 20%. Com este acordo, o empregado pode resgatar 80% dos valores do depósito do FGTS, mas não tem direito ao seguro-desemprego.

Intervalo intrajornada
Empregador e empregado podem negociar o intervalo intrajornada, isto é, a hora de almoço. Segundo a nova lei, o período de descanso não pode ser inferior a meia hora para jornadas de trabalho acima de 6 horas.

Hora extra e banco de horas
Sistema de compensação de horas extras, o banco de horas pode ser negociado diretamente com o empregado e a compensação deve ser feita em no máximo seis meses.

Férias
As férias podem ser divididas em até três períodos, com concordância do empregado. Um dos períodos não pode ser inferior a 14 dias; os outros dois devem ter no mínimo 5 dias corridos cada.

A nova lei trabalhista vai alterar as relações de trabalho e a Norber, especialista em gestão de frequência, está preparada para ajudá-lo na adaptação. O NewPonto, software que integra o controle de ponto à folha de pagamento, dispõe de soluções para adequar sua empresa às novas regras da legislação. Para conhecer as funcionalidades desta ferramenta, visite www.norber.com.br e fale com a Área Comercial.

O que muda com a Reforma Trabalhista

O que muda com a Reforma Trabalhista

1 2 3 11